Avaliação: novo Nissan Versa sobe de patamar para atacar VW Virtus, Chevrolet Onix Plus e cia.

Em sua segunda geração, o Nissan Versa une suas antigas qualidades com um visual mais arrojado, uma dirigibilidade aprimorada e mais equipamentos de série

Nissan Versa

Se a primeira geração do Nissan Versa tinha visual controverso e conquistava mais pela racionalidade e pelo amplo espaço interno, a segunda geração melhora esses atributos e ainda transmite um design mais emocional; podemos até chamá-lo de “Mini-Sentra”. Feito em Aguascalientes, no México, ele estreia com nova nomenclatura, nas versões Sense (R$ 72.990), Sense CVT (R$ 77.990), Advance CVT (R$ 83.490) e Exclusive (R$ 92.990). O visual mais arrojado é uma das armas para enfrentar modelos como Chevrolet Onix Plus, Honda City, Hyundai HB20S, Toyota Yaris Sedã, Volkswagen Virtus e Fiat Cronos (veja mais abaixo detalhes deles).


Fabricado sobre uma nova plataforma, ele teve o comprimento praticamente inalterado, mas ficou maior na largura (cresceu de 1,695 m para 1,740 m) e menor na altura (de 1,506 m para 1,475 m nesta versão topo de linha Exclusive). A primeira geração segue em linha, rebatizada de Versa V-Drive, e parte de de R$ 59.990. Compare as duas na galeria acima.

A beleza não é apenas externa, mas também está presente na nova cabine. Dentro do sedã japonês, saltam aos olhos a qualidade dos acabamentos, com plásticos de boa qualidade e texturizados, áreas macias ao toque e um material que imita fibra de carbono aplicado nas laterais das portas e ao redor do cluster.

O quadro de instrumentos digital e o volante de base achatada do novo Nissan Versa são similares aos do SUV Kicks, enquanto os bancos com tecnologia “Zero Gravity”, inspirada em estudos da Nasa, apoiam bem o corpo/pernas e não deixam o Nissan Versa cansativo após horas ao volante. Eles têm revestimento em couro ecológico com duas combinações diferentes de visual, ambas nas cores preta e cinza. A ergonomia é garantida pelos comandos bem à mão e amplos ajustes de altura e profundidade da coluna de direção. O sistema multimídia de 7” tem conectividade com Android Auto e Apple CarPlay (com fio), além do cada vez mais raro GPS “offline” integrado.

Cabine espaçosa

Um ponto muito positivo na nova geração do sedã, como na anterior, é o espaço para os ocupantes traseiros, que equivale ao de modelos bem maiores. Afinal, o entre-eixos de 2,620 m (eram 2,600 m) é superior aos de Onix Plus, Cronos, Yaris Sedã, HB20S e City, assegurando bastante conforto para os ocupantes traseiros. A inclinação do encosto também agrada, mas os apoios de cabeça são fixos e não há saídas de ar traseiras, como em alguns rivais (mas ele tem ali duas tomadas USB de carregamento rápido).

O Versa ainda estreia em seu segmento o alerta de esquecimento de objetos no banco traseiro (oferecido desde a versão Advance). E, como porta-malas é critério na compra de sedã, a novidade adotou alças do tipo “pescoço de ganso” deslocadas para as extremidades do compartimento para acomodar 482 litros (22 a mais que antes). No entanto, algumas áreas do compartimento não têm pintura no acabamento – questão de custo.

Por dentro, o novo Versa tem muitos elementos em comum com o SUV Kicks, como a central multimídia. O cluster tem velocímetro analógico e conta-giros digital que pode dar lugar a outras informações, ao gosto do motorista. Neste top de linha, o ar-condicionado é automático e digital

Condução silenciosa

O uso de aços nobres, somado à atenção dada ao isolamento acústico, torna a experiência ao volante do Nissan Versa bem agradável. Segundo o fabricante, a espessura do vidro dianteiro cresceu de 3,5 mm para 4 mm e a manta do painel corta-fogo passou de 5 para 30 mm. Também foram aplicadas espumas para reduzir o ruído na região das rodas e guarnições duplas aparecem nas portas e na carroceria.

O novo Versa é um carro agradável ao volante, capaz de entregar aquilo que promete. Embora não tenha adotado um motor turbo, como o trio Onix Plus, HB20S e Virtus, o baixo peso joga a favor (1.137 kg, quase o mesmo do Honda City), com uma relação peso-potência de bons 9,97 kg/cv (melhor que a dos concorrentes da Toyota e da Volks).

Em grande parte do tempo, o motor 1.6 16V aspirado associado ao câmbio continuamente variável (CVT) – mesmo conjunto anterior, e que fez muito sucesso no Kicks – não fica devendo nada nas saídas de semáforo ou nas ultrapassagens. Já ao encarar subidas íngremes, é necessário pisar mais fundo no pedal do acelerador, e o ruído do propulsor de quatro cilindros invade a cabine – mas nada que o desabone ou exija elevar o tom de voz para manter um diálogo. Com ângulos de entrada de 16,9º, de saída de 20,2º e uma altura livre do solo de 14,3 cm, o Versa não é SUV, mas não raspa facilmente em lombadas ou valetas.

Já na estrada, os 114 cv de potência e 15,5 kgfm de torque, seja com gasolina, seja com etanol, ficam devendo nas retomadas. Ao aplicar 50% de carga no pedal do acelerador e elevar a rotação, o câmbio CVT de relações expandidas simula as trocas de marchas para deixar a condução mais agradável, entregando uma dirigibilidade bem condizente com sua proposta familiar (o câmbio manual de cinco marchas é encontrado na configuração Sense).

Nissan Versa
O terceiro volume é curto, o que dá ao novo sedã japonês um toque de “cupê de quatro portas”. O design segue o do novo Sentra

O Nissan Versa não sofre muito com a incidência do vento, e os retrovisores externos foram afastados da carroceria para ajudar na passagem do ar. Enquanto isso, os pneus Continental ContiPremium Contact 2, de perfil 50, transmitem conforto e rodam silenciosamente, mesmo a 120 km/h. As suspensões impressionam pelo seu trabalho também sem ruídos, além de transmitirem bastante confiança, com equilíbrio e estabilidade nas curvas.

O ângulo de cáster do Nissan Versa foi ampliado em 30% e a suspensão traseira reforçada traz fixações e suportes inéditos, inclusive com os batentes de borracha substituídos por novos, de poliuretano. O conjunto filtra e absorve bem as irregularidades do piso e não “batem seco” em valetas e outras irregularidades do asfalto. Também chama a atenção a baixa rolagem da carroceria e a boa comunicabilidade da direção elétrica.

Na hora de parar, os discos dianteiros ventilados de 258 mm e os tambores de 203 mm oferecem acionamento progressivo. Caso não deem conta ou o motorista se distraia, há um bom pacote de itens de segurança. Ele inclui chave presencial, seis airbags, controles eletrônicos de tração e estabilidade e assistentes de frenagem e partida em rampas, tudo isso oferecido desde a versão de entrada, a Sense 1.6 manual.

A topo de linha Exclusive ainda tem aviso de colisão frontal com assistente de frenagem automática, alertas de pontos cegos e de tráfego cruzado, além de detector de objetos em movimento, câmeras 360º, retrovisores externos com aquecimento e faróis e lanternas de LEDs. Somando às antigas qualidades um visual mais agradável, o Versa é uma nova e atraente alternativa aos líderes do segmento. Nissan Versa

Nissan Versa Exclusive CVT

Preço básico R$ 72.990
Carro avaliado R$ 92.990

Motor: quatro cilindros 1.6, 16V, duplo comando de válvulas, variável na admissão
Cilindrada: 1598 cm3
Combustível: flex
Potência: 114 cv a 5.600 rpm (g/e)
Torque: 15,5 kgfm a 4.000 rpm (g/e)
Câmbio: automático continuamente variável (CVT), sete marchas simuladas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,495 m (c), 1,740 m (l), 1,475 m (a)
Entre-eixos: 2,620 m
Pneus: 205/50 R17
Porta-malas: 482 litros
Tanque: 41 litros
Peso: 1.137 kg
0-100 km/h: 10s7
Vel. máxima: 180 km/h (g/e)
Consumo cidade: 11,7 km/l (g) e 8,0 km/l (e)
Consumo estrada: 13,9 km/l (g) e 10,2 km/l (e)
Emissão de CO2: 106 g/km
Com etanol = 0 g/km
Consumo nota: B
Nota do Inmetro: B*
Classif. na categoria: C*

 

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel