Avaliação: Mercedes-AMG C 43 Coupé equilibra esportividade e conforto

Os 367 cv do C 43 Coupé garantem emoção, enquanto as suspensões ajustáveis agradam no cotidiano

3686

A nomenclatura C 43 já apareceu antes, na geração W 202 do Classe C (1993 a 2000), um supersedã que foi lançado ainda em 1998 com motor aspirado V8 4.3 de 302 cv de potência. Agora, a mesma sigla voltou como uma opção não tão atômica quanto o C 63 S de 510 cv. Fugindo da filosofia “one man, one engine” (um homem, um motor), o propulsor do Mercedes-AMG C 43 Coupé não é produzido artesanalmente como nas versões 63, mas em uma linha de produção convencional. Por isso, não leva a plaquinha com a assinatura do engenheiro sobre sua capa.

Ao dar a partida, o 6 cilindros acorda com um rugido rouco. Logo nos primeiros metros é incontestável a diferença para o Mercedes-Benz C 250 Coupé Sport de 218 cv. Afinal, no C 43 Coupé são despejados 367 cv. Esse bloco “seis canecos” já apareceu no C 450 AMG 4Matic. Segundo o fabricante, o C 43 e o C 450 são quase o mesmo carro. Aliás, não ouse achá-lo fraco em nenhum momento; a palavra equilíbrio o define bem melhor, pois ele entrega seu poderio sem a brutalidade do C 63 S – e assim é perfeitamente utilizável no cotidiano, para ir ao trabalho ou ao supermercado.

Entretanto ele não nega fogo se provocado. Pelo Dynamic Select (seletor de chassi) é possível mudar entre os programas Eco, Comfort, Sport, Sport+ e Individual, que alteram os parâmetros do motor, da transmissão, da direção, das suspensões e do ar-condicionado. As respostas são rápidas, devido à potência específica de 122 cv/l e à relação peso/potência de 4,7 kg/cv. O ronco agudo junto do assovio dos turbos, desde os giros mais baixos, é um convite a afundar o pé no pedal do acelerador. Esse desempenho é ajudado pela nova transmissão automática de nove marchas, no lugar da antiga de dupla embreagem e sete velocidades.

Sem dúvida, uma belíssima mudança, que somou agilidade ao carro. A tração 4Matic deixa o cupê grudado no chão ao enviar 31% da força para o eixo dianteiro e 69% para o traseiro. O controle de estabilidade é ajustável em três níveis; quando totalmente desligado, possibilita fazer derrapagens controladas de traseira. A direção é precisa, direta e rápida ao esterço. Ao passar dos modos Sport ou Sport+ para o Eco, esse Mercedes-AMG permite dirigir acima de 60 km/h em oitava marcha.Para ser eficiente, a função Sailing, dependendo da situação, desconecta o motor da transmissão para aproveitar a inércia e reduzir o consumo.

As suspensões com AMG Ride Control possuem calibração firme e, como o controle de estabilidade, a rigidez dos amortecedores pode ser ajustada de três formas distintas (Comfort, Sport e Sport Plus), independentemente do modo de condução escolhido. Ou seja: dá para andar com o motor em Sport+ e deixar os amortecedores no Comfort. As rodas raiadas de 19” deixam à mostra os discos dianteiros perfurados de 360 mm e de 320 mm no eixo traseiro. Não só potente e instigante, o Mercedes-AMG C 43 Coupé também exala sensualidade por onde passa, pela beleza da sua carroceria cupê. Temos beleza, esportividade e conforto em um só carro.


Ficha técnica:

Mercedes-AMG C 43 Coupé

Preço básico: R$ 388.900
Carro avaliado: R$ 388.900
Motor: 6 cilindros em V 3.0, 24V, duplo comando variável, biturbo, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 2996 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 367 cv a 5500 rpm
Torque: 53 kgfm a 2000 rpm
Câmbio: automático sequencial, nove marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e multilink (t)
Freios: disco ventilado perfurado (d) e disco ventilado (t)
Tração: integral
Dimensões: 4,696 m (c), 1,877 m (l), 1,405 m (a)
Entre-eixos: 2,840 m
Pneus: 225/40 R19 (d) e 255/35 R19 (t)
Porta-malas: 400 litros
Tanque: 66 litros
Peso: 1.735 kg
0-100 km/h: 4s7
Velocidade máxima: 250 km/h*
Consumo cidade: 8,0 km/l
Consumo cidade: 11,4 km/l
Emissão de CO2: 149 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: B

blog comments powered by Disqus