Avaliação: Mercedes-Benz GLC

O novo Mercedes GLC é o SUV da Classe C. Ele já existia e se chamava GLK – portanto, trata-se da segunda geração do modelo, mas com novo nome. As duas versões do GLC são bem mais baratas do que as duas do GLE Coupé. Considerado o “puro sangue SUV” da Mercedes, o GLC custa R$ 222.900 na versão 250 4Matic e sai por R$ 264.900 na 250 4Matic Sport, que avaliamos nas estradas que ligam São Paulo e Sorocaba. Trata-se de um SUV premium versátil de tamanho médio para homens e mulheres de 40 a 60 anos, experientes em tecnologia, para quem o design e a funcionalidade do carro são fatores decisivos para a compra.

O novo GLC tem motor 4 cilindros 2.0 de 211 cv de potência e 35,7 kgfm de torque. Ele pesa 1.735 quilos e acelera até 100 km/h em 7,3 segundos. Um número muito bom, considerando que seu compromisso é mais com a economia de combustível do que com o desempenho. Tanto que ele ficou 19% mais eficiente em relação ao GLK, devido à redução de 80 quilos em sua carroceria, que passou a contar com alumínio e aços de alta resistência. Os pneus são 235/60 R18 na versão de entrada e 235/55 R19 na versão Sport.

Ele também é menor que seu irmão esportivo (mede 4,656 metros), mas cresceu 5 cm na largura. O GLC 250 também utiliza o câmbio automático 9G-Tronic e a tração integral 4Matic. O carro é bem equipado e seus cinco modos de condução incluem a opção Eco, que reduz a potência do motor e o consumo. Os outros são Comfort, Sport, Sport+ e Individual. O sistema Dynamic Select muda os parâmetros do motor, do pedal do acelerador, do volante e do câmbio. Quem procura por praticidade vai gostar do GLC.

Ele tem partida sem chave, permite que o motorista tire o pé do freio ou do acelerador num anda-e-para em subida (basta pressionar o freio por 2 segundos) e tem o fechamento do porta-malas por toque no botão com função antiesmagamento. Sua altura pode ser programada ao segurar o botão por 3 segundos (útil em locais com teto baixo). Em relação ao GLK, o GLC ganhou 80 litros no bagageiro. A versão Sport traz rodas AMG aro 19 com cinco raios duplos e cromados na grade, no para-choque, nas duplas ponteiras de escapamento e nas travessas do teto solar panorâmico.

O interior oferece bancos esportivos, tapetes AMG, alumínio no painel e pedais com cravos emborrachados. O carro não é um foguete, mas anda bem. E seu novo motor a gasolina é mais silencioso que o antigo propulsor a diesel utilizado no GLK. Se não pode impressionar como o dono de um GLE Coupé, pelo menos o comprador de um GLC pode dizer que tem um legítimo SUV alemão, pois ele é fabricado em Bremen, Alemanha, enquanto o outro é montado em Tuscaloosa, Estados Unidos.

—–

Ficha técnica:

Mercedes-Benz GLC 250 4Matic

Preço estimado: R$ 222.900
Carro avaliado: R$ 264.900
Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V
Cilindrada: 1991 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 211 cv a 5.500 rpm
Torque: 35,7 kgfm de 1.200 a 4.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, nove marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e multi-link (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: integral
Dimensões: 4,656 m (c), 1,890 m (l), 1,664 m (a)
Entre-eixos: 2,873 m
Pneus: 235/60 R18 (235/55 R19 na versão Sport)
Porta-malas: 550 litros (1.600 litros com os bancos rebatidos)
Tanque: 66 litros
Peso: 1.735 kg
0-100 km/h: 7s3
Velocidade máxima: 222 km/h (limitada eletronicamente)
Consumo cidade: não divulgado
Consumo estrada: não divulgado
Emissão de CO2: 194 g/km
Nota do Inmetro: não participa

NOSSO VEREDICTO
Motor
Câmbio
Desempenho
Consumo
Segurança
Equipamentos
Multimídia
Conforto
Porta-malas
Prazer ao dirigir
COMPARTILHAR
Notícia anteriorA batalha final
Próxima notíciaAvaliamos a nova Ford Ranger Flex
blog comments powered by Disqus