Avaliação: Mitsubishi L200 Triton Sport reage à Chevrolet S10 e se prepara para nova Toyota Hilux

Avaliamos a Mitsubishi L200 Triton Sport 2021 na versão topo de linha HPE-S. Entre as novidades, o novo câmbio automático de seis marchas ajudou bem no desempenho

Mitsubishi L200 Triton Sport HPE-S
Foto: Divulgação

Se a Chevrolet S10 mudou para melhor neste ano, com a adoção do novo visual e do turbocompressor da “irmã” norte-americana Colorado, agora quem reage — e ao mesmo tempo se prepara para a chegada da nova Toyota Hilux, que ocorrerá ainda este ano — é a Mitsubishi L200 Triton Sport.

A linha 2021 da picape média feita em Catalão (GO) chegou às concessionárias para fazer companhia aos modelos L200 Triton Outdoor (valores entre R$ 155.990 e R$ 208.990). A linha L200 Triton Sport ficou assim: L200 Triton Sport GLS AT (R$ 188.990), L200 Triton Sport HPE (R$ 212.990) e a avaliada L200 Triton Sport HPE-S (R$ 232.990).

É a mesma faixa de preço das picapes topo de linha a diesel Chevrolet S10 High Country (a partir de R$ 213.990), Nissan Frontier LE 4×4 AT (R$ 218.990), Ford Ranger Limited 3.2 4×4 AT (R$ 219.890), Volkswagen Amarok V6 Extreme (R$ 241.280) e Toyota Hilux GR-S II 4×4 AT (R$ 239.590).

Rodamos cerca de 300 km a bordo da novidade por trajetos urbanos, rodoviários e no fora-de-estrada. E ao final é possível dizer que a injeção de ânimo fez bem à “picapona”.

Logo de cara, chama a atenção o design seguindo a identidade visual “Advanced Dynamic Shield”, dos modelos Eclipse Cross e Pajero Sport. A dianteira exibe a grade do radiador em tonalidade alumínio, os para-choques com elementos cromados em formato de bumerangue, o capô mais alto, os faróis com tecnologia Bi-LED/DRL (luzes de circulação diurna) e as luzes de neblina.

Atrás, o para-choque foi revisto, e vem equipado com sensores de estacionamento e degrau de acesso à caçamba. Aliás, com capacidade de carga de 1,055 tonelada, enquanto a de reboque com freio é de 2,3 toneladas. Completam o visual as belas rodas de 18” vestidas por pneus de medidas 265/60.

Ao volante

O acesso ao interior é facilitado pelos estribos laterais e a cabine seduz tanto pela posição de dirigir quanto pelos materiais empregados ao acabamento. A ergonomia traz o banco do motorista ajustável eletricamente, o volante de boa empunhadura, os comandos bem posicionados à mão e o multimídia da JBL possui tela tátil de 7”, conectividade Android Auto/Apple CarPlay e GPS off-line.

A boa visibilidade vem da coluna “A” estreita e o desenho dos retrovisores, aliás, com setas integradas, rebatimento elétrico e desembaçador. Já quem viaja atrás encontrada espaço para as pernas/joelhos por conta dos 3,000 m de entre-eixos. O ar-condicionado é de duas zonas (na HPE e HPE-S) e há saídas de ar no teto para os ocupantes traseiros.

+ Chevrolet apresenta o novíssimo Onix Plus Midnight
+ Avaliação: Toyota Corolla GLi é o melhor carro para se comprar com R$ 110 mil

 

Ao dar a partida, o motor 2.4 turbodiesel de 190 cv (mesma potência da Nissan Frontier) e 43,9 kgfm de torque possui um funcionamento suave transmitindo baixo ruído e vibração.

O câmbio automático é outra novidade e, agora é de seis velocidades. Ou seja, beneficiou as respostas, o consumo e ainda promoveu melhor conforto acústico – na estrada, viajando a 120 km/h o ponteiro do conta-giros marca 1.500 rpm.

Segundo o fabricante, a primeira e segunda marcha foram encurtadas em 12% frente a caixa antiga e a última 12% alongada. As trocas sequenciais são realizadas pela alavanca ou pelas generosas borboletas fixas na coluna de direção (uma herança do esportivo Mitsubishi EVO X).

+ Land Rover Defender inspirado em “007” é anunciado
+ Volkswagen Tarek vai se chamar Taos; conheça novo SUV

As suspensões macias asseguram o conforto ao passar por buracos ou transpor os obstáculos do off-road. Bem calibradas, elas não transmitem o incômodo “pula-pula” ao trafegar com a caçamba descarregada tampouco batem secas ou dão final de curso em situações mais extremas. No quesito conforto, o utilitário da Mitsubishi está no patamar da Chevrolet S10 e da Nissan Frontier.

Seja na cidade ou no fora-de-estrada, o raio de giro de 5,3 m ajuda permitindo manobrar com facilidade em locais apertados. Já o sistema Super Select 4WD-II garante a capacidade de tração e comprovamos ao andar bons quilômetros por terrenos acidentados no interior de São Paulo.

Estão disponíveis quatro modos selecionados por meio de um seletor giratório: 2H (estradas ou vias públicas e privilegia o consumo), 4H (pisos irregulares), 4HLc (terrenos irregulares) e 4LLc (subidas ou descidas íngremes, rochas, areia e lama).

Foto: Divulgação

Também está presente o Off-Road Mode, com os programas Cascalho, Lama/Neve, Areia e pedra. Cada um deles otimiza o torque e a entrega de potência, o sistema de freios, o trabalho da transmissão e os controles eletrônicos de tração/estabilidade.

Uma novidade está no prático Controle de Descida em Rampas (HDC), que atua entre velocidades de 2 e 20 km/h. A Mit ainda possui bloqueio do diferencial traseiro e ângulos de entrada (32º), de saída (23º) e consegue transpor áreas alagadas com até 600 mm de profundidade.

Segurança

Falando no bem-estar dos ocupantes, a Mitsubishi empregou o Brake Override System (BOS), capaz de monitorar constantemente a utilização dos pedais de freio e de acelerador pelo motorista, além de oferecer sete airbags (frontais, laterais, de cortina e de joelhos para o motorista), monitoramento de pontos cegos e alerta de mudança involuntária de faixas.

Ainda em segurança, o sistema Auto High Beam alterna do farol alto para o baixo automaticamente ao perceber a aproximação de um outro veículo em sentido oposto. A opção HPE-S ainda traz os sistemas de frenagem autônoma e de prevenção de aceleração involuntária, que reduz o torque do motor para evitar uma colisão contra objetos a até quatro metros de distância.

Outros itens são os já citados controles eletrônicos de tração/estabilidade, os sensores crepuscular/chuva, entrada/partida sem chave, câmera de ré e os alertas de trafego reverso e de pontos cegos. Com tudo isso, a Mitsubishi L200 Triton Sport possui as armas para encarar de frente o ataque das rivais e se manter viva no segmento.


Ficha Técnica

MITSUBISHI L200 TRITON SPORT HPE-S 2021
Preço básico: R$ 188.990 (L200 Triton Sport GLS)
Carro avaliado: R$ 232.990

Mitsubishi L200 Triton Sport HPE-S 2021
Motor: quatro cilindros em linha 2.4, 16V, injeção direta, turbo, intercooler
Cilindrada: 2442 cm3
Combustível: diesel
Potência: 190 cv a 3.500 rpm
Torque: 43,9 kgfm a 2.500 rpm
Câmbio: automático, seis marchas
Direção: hidráulica
Suspensão: MacPherson (d) e eixo rígido (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: 4×2, 4×4 e 4×4 com reduzida
Dimensões: 5,300 m (c), 1,820 m (l), 1,795 m (a)
Entre-eixos: 3,000 m
Pneus: 265/60 R18
Caçamba: 1.046 litros
Tanque: 76 litros
Peso: 1.960 kg
0-100 km/h: 10s4
Velocidade máxima: 190 km/h
Consumo cidade: 9,4 km/l
Consumo estrada: 10,8 km/l
Emissão de CO2: 201 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: C

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar