Avaliação: Para o trabalho, Nissan Frontier S não sacrifica o motorista

Na Frontier S, a caçamba leva uma tonelada e uma turbina a menos no motor não fez falta

Nissan Frontier S
Roberto Assunção

A Nissan Frontier S é uma versão destinada a frotistas e empresas, mas até que oferece um pacote de itens de série bacana. Ar-condicionado, trio elétrico, direção hidráulica, controles de tração/estabilidade, assistente de partida em subida e ajuda em descidas são alguns deles. O visual sem “frescuras” exibe para-choques na cor da carroceria, faróis com máscara negra, maçanetas e retrovisores pretos e rodas de 16” com calota central. 

A marca cobra R$ 137.550 pelo modelo, que enfrenta Ford Ranger XL (R$ 132.320), Mitsubishi L200 Triton Sport GLX (R$ 137.990), Toyota Hilux STD Power Pack (R$ 149.705), VW Amarok SE (R$ 153.190) e Chevrolet S10 LT (R$ 166.090) – todas a diesel e com cabine dupla. Sob o capô, a picape da Nissan fabricada na Argentina traz o motor 2.3 turbodiesel e a caixa manual de seis marchas. 

Ao contrário das versões mais caras, o motor da Frontier S tem um turbocompressor de geometria variável para oferecer 160 cv e 41 kgfm de torque – as outras são biturbo, com 190 cv e 45,9 kgfm. Mesmo com a força menos, a configuração S “acorda” logo acima das 2.000 rpm, transmitindo boas arrancadas e retomadas. A caixa de seis marchas oferece engates pesados e justos – típico em picapes manuais –, e a direção hidráulica é pesada ao esterço. As suspensões possuem boa calibração e a tração 4×4 é acionada pelo seletor giratório no painel.

Na cabine, os bancos têm revestimento em veludo e ajuste de altura – também na coluna de direção –, com quadro de instrumentos de fácil visualização, computador de bordo e indicador de troca de marchas. Entretanto, a ausência dos sensores de ré dificulta bastante as manobras em um veículo de mais de 5 metros. 

O compartimento de carga da Frontier pode levar 1.005 kg e tem quatro ganchos de fixação. Fica devendo o protetor de caçamba e a capota marítima, vendidos como acessórios Falando nisso, caso ache essa Frontier muito “crua” você pode equipá-la com rodas de liga leve aro 16 (R$ 4.796) e rádio (R$ 458 sem a instalação). Completa, custa R$ 142.804. Uma picape que mira frotistas e empresas, mas que pode atender a outros consumidores. 


FICHA TÉCNICA

Nissan Frontier S MT 4×4
Preço básico:: R$ 137.550
Carro avaliado: R$ 138.008 (com rádio)
Motor: quatro cilindros em linha 2.3, 16V, turbodiesel, injeção direta
Cilindrada: 2298 cm3
Combustível: diesel
Potência: 160 cv a 3.750 rpm
Torque: 41 kgfm a 1.500 rpm
Câmbio: manual, seis marchas
Direção: hidráulica
Suspensão: braços sobrepostos (d) eixo rígido com links transversais (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: 4×2 traseira ou 4×4, com reduzida
Dimensões: 5,264 m (c), 1,850 m (l), 1,826 m (a)
Entre-eixos: 3,150 m
Pneus: 255/70 R16
Caçamba: 1.005 kg / 1.054 litros
Tanque: 80 litros
Peso: 2.030 kg
0-100 km/h: 13s5
Velocidade máxima: 180 km/h
Consumo cidade: 9,2 km/l
Consumo estrada: 10,5 km/l
Emissão de CO2:  205 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: C (Picape)