Avaliação: Nissan Kicks SL 2020 é bacana ao volante, mas não é um canhão

O Nissan Kicks SL agrada pela dirigibilidade atribuída pela relação peso-potência, mas não espere por respostas de prontidão ao volante

Fotos: Divulgação

O Nissan Kicks foi lançado em 2016, à época importado do México, e depois nacionalizado no ano seguinte. Em breve este modelo à venda hoje dirá “bye,bye” ao nosso mercado. Afinal, achegada da nova geração está prevista para o próximo ano, incluindo uma variante híbrida e-Power a partir de 2022. É hora de pedir descontos, mas será que ele continua sendo uma alternativa bacana diante dos rivais novos e/ou recentemente atualizados?

Feito em Resende (RJ) estão disponíveis seis versões, com valores entre R$ 82.490 e R$ 109.790. Modelo mais vendido do fabricante em nosso mercado, segundo a Fenabrave, em 2019, foram 56.060 unidades licenciadas – lado a lado do Hyundai Creta (57.460) e à frente do Honda HR-V (49.488), do Volkswagen T-Cross (37.081), do Ford EcoSport (34.205) e dos Renault Captur (28.660) e Duster (26.090), só para citar.

As opções

A linha 2020 do Nissan Kicks trouxe na versão de topo de linha SL de R$ 107.390 (avaliada) os faróis de LED, o apoio de braço central e o tão pedido controlador automático de velocidade. Este último, também encontrado nas configurações 1.6 S CVT (R$ 89.990), 1.6 SV CVT (R$ 97.290) e 1.6 SV Pack Plus (R$ 100.290). A SL Pack Tech (R$ 109.790) traz mais o alerta de colisão com assistente de frenagem de emergência.

Ou seja, na opção mais cara o preço do Nissan Kicks é superior ao do Jeep Renegade Longitude 1.8 16V 4×2 (a partir de R$ 106.190), do Honda HR-V EX 1.8 (R$ 105.600) e do Hyundai Creta Prestige 2.0 (R$ 107.990). Todos eles, já atualizados. Não só isso, como o valor do SUV também é próximo do Chevrolet Tracker LTZ 1.2 (R$ 103.890) e do Volkswagen T-Cross Comfortline 200 TSI (R$ 110.260), ambos com motores turbinados de até cv 133 cv e 128 cv de potência, na ordem, quando abastecidos com etanol.

Construído sobre a plataforma do March e do Versa (Nissan V), o Kicks SL oferece 4,295 m de comprimento e 2,620 m de entre-eixos. O HR-V possui 4,329 m e 2,610 m, enquanto o Volkswagen T-Cross Comfortline mede 4,199 m e 2,651 m. O porta-malas do Kicks é de 432 litros – Renegade (320), HR-V (437), Creta (431), Tracker (393) e T-Cross (373).

O interior

A cabine do Nissan Kicks SL agrada pelos bons materiais e um dos elogios vai para os confortáveis bancos, com excelente ergonomia e que não cansam em viagens longas. Também aparecem acabamentos macios em couro ecológico tanto no painel quanto nas laterais de portas.

Os comandos elétricos dos vidros possuem acionamento um toque para subida/descida, a coluna de direção é ajustável em altura/profundidade, o quadro de instrumentos tem tela colorida TFT de 7” e a central multimídia de 7” oferece conectividade Android Auto/Apple CarPlay. Outros itens de série são: ar-condicionado automático/digital, partida sem chave e o prático sistema de câmeras 360º.

Dirigibilidade leve

Sob o capô do Nissan Kicks SL, está o motor aspirado 1.6 16V de 114 cv de potência e 15,5 kgfm de torque (gasolina/etanol). Embora não seja um canhão de acelerar, o SUV da Nissan agrada ao volante, principalmente pelo peso de 1.142 kg, com relação peso-potência de 10,02 kg/cv. Isso se traduz em boa dirigibilidade no circuito urbano devido as respostas nos giros baixos.

Nissan Kicks SL 2020
Fotos: Divulgação

A transmissão continuamente variável (CVT) coopera no conforto e no consumo. Entretanto, não espere por pitadas de esportividade ao volante, como acontece no Volkswagen T-Cross ou no Chevrolet Tracker.

No Nissan Kicks SL, ao exigir mais do pedal do acelerador o ruído do motor invade a cabine, porém não é nada que incomode muito. Quem deseja um toque extra pode apertar a tecla Sport ‘escondida’ na parte de trás da alavanca de câmbio.

As suspensões asseguram o conforto e as rodas de 17” com acabamento diamantado vestem pneus de medidas 205/55. Bem calibradas, elas asseguram conforto em ruas esburacadas e a boa dinâmica nas curvas contornadas mais rapidamente. A direção assistida eletricamente é bem leve em baixas velocidades e oferece o peso correto ao trafegar mais animadamente.

Caso algo dê errado, os controles eletrônicos de tração/estabilidade e os seis airbags (frontais, laterais e de cortina) também ajudam na proteção dos ocupantes. Em suma, é um carro bem agradável no dia a dia. Sem dúvidas, a vinda do modelo renovado dará um gás a mais para o deixar o Nissan Kicks ainda mais vivo em nosso mercado.


Nissan Kicks 

Preço básico (S manual): R$ 82.490
Carro avaliado (SL Pack Tech): R$ 109.790

Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, duplo comando variável
Cilindrada: 1598 cm3
Combustível: flex
Potência: 114 cv a 5.600 rpm (g/e)
Torque: 15,5 kgfm a 4.000 rpm (g/e)
Câmbio: automático CVT, modos Sport e Low (“reduzida”), seis marchas simuladas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,295 m (c), 1,760 m (l), 1,590 m (a)
Entre-eixos: 2,620 m
Pneus: 205/55 R17
Porta-malas: 432 litros
Tanque: 41 litros
Peso: 1.142 kg
0-100 km/h: 12s0 (g/e)
Velocidade máxima: 175 km/h (e)
Consumo cidade: 11,4 km/l (g) e 7,7 km/l (e)
Consumo estrada: 13,7 km/l (g) e 9,4 km/l (e)
Emissão de CO2: 109 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: C (Utilitário esportivo compacto)

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar