Avaliação: Novo Honda Accord bota emoção na racionalidade

Agora com motor turbo e novas tecnologias de condução, o Accord de 10ª geração ganha perfil mais esportivo sem perder as suas tradicionais qualidades

5880

 

O Honda Accord mudou. Mas continua quase o mesmo. Revelado no final do ano passado nos Estados Unidos, o sedã grande chega neste mês ao mercado brasileiro, apenas na versão de topo Touring e com preço de tabela de R$ 198.500. E agora soma ao seu reconhecido conforto à americana pitadas de tecnologia e esportividade.

Além de adotar uma nova plataforma, com 29% de aços de ultra alta resistência (a maior proporção já aplicada a um carro de produção da marca, aponta a Honda) o Accord de 10ª geração ficou ligeiramente mais curto (4,89 m) e largo (1,86 m), além de ter perdido 1,5 cm na altura. Por outro lado, o entre-eixos cresceu 5,5 cm. O resultado dessas mudanças é uma carroceria mais rígida e de perfil mais esportivo, que lembra o Civic de 10ª geração, mas que ainda se destaca pelo ótimo espaço interno para os passageiros e no porta-malas.

Se mudou bastante por fora, no interior a Honda optou por manter a sobriedade. Apesar das linhas mais atuais, a cabine lembra bastante a do Accord de geração passada. Bem acabada (com muitos materiais macios e plásticos de boa qualidade) e confortável, mas com linhas conservadoras. As novidades são o painel digital configurável (mas que mantém o velocímetro analógico), o Head Up Display (que espelha informações do painel e do navegador no para-brisa), o carregador de celular por indução e o novo sistema multimídia com tela de 8”, compatível com Android Auto e Apple CarPlay e que é a mais fácil de usar dentre as centrais oferecidas pelos carros da marca no Brasil.

O novo Accord traz faróis de LED, ar-condicionado automático de duas zonas, bancos dianteiros com ajustes elétricos (memória de posição no assento do motorista) e ventilação, partida do motor a distância, sistema de som premium com 10 alto-falantes e subwoofer, e teto solar. Na lista de itens de segurança, o novo Accord está equipado com airbags de joelho para o motorista e passageiro e marca a estreia no País do pacote Honda Sensing, que inclui piloto automático adaptativo, frenagem automática de emergência, assistente de manutenção e de mudança involuntária de faixa. A Honda oferece três opções de cores para o interior, que variam de acordo com a pintura da carroceria: marfim com a carroceria branca, preto com a carroceria prata e interior cinza ou escuro com a carroceria em preto.

Mas a principal mudança do Accord foi a troca do motor 3.5 V6 por um 2.0 turbo de quatro cilindros. Mesmo usado no esportivo Civic Type R, é menos potente do que o antigo seis cilindros (256 cv ante 280 cv), mas oferece mais torque e em uma faixa mais ampla de giros (37,7 kgfm de torque entre 1.500 e 4.000 rpm ante os 34,6 kgfm a 4.900 rpm do V6). O novo propulsor veio acompanhado de um também novo câmbio automático de dez marchas, que trocou a tradicional alavanca por botões e borboletas atrás do volante.

Impressões ao volante

Pudemos avaliar o novo Accord em um trajeto de cerca de 200 quilômetros, rodando no trânsito de São Paulo e nas estradas da região de Itu. Pensado principalmente para o consumidor norte-americano, o sedã se destaca pelo conforto na rodagem. Mesmo em velocidades acima de 100 km/h, quase não se ouvem os ruídos de fora da cabine. Mérito do sistema ativo de cancelamento de ruídos, evolução do equipamento lançado na geração passada do sedã.

Mas quem gosta de dirigir esportivamente também não irá se decepcionar. A posição de dirigir é baixa mesmo colocando o banco nos ajustes mais altos, enquanto a suspensão é bem equilibrada, sem ser macia em excesso, e a direção leve ganha precisão em altas velocidades. Mesmo no modo de condução “Econ”, que altera a resposta do acelerador, do câmbio e o funcionamento do ar-condicionado para priorizar a economia de combustível, o propulsor turbo mostra fôlego de sobra para carregar os mais de 1.500 kg do sedã. Se o motorista quiser mais diversão, pode selecionar o modo de condução “Sport”: o sistema de cancelamento de ruídos deixa o ronco do motor “vazar” para dentro da cabine, enquanto o acelerador e o câmbio reagem mais rápido aos comandos do motorista. É possível arrancar cantando pneus sem fazer esforço algum.

O Accord sempre foi uma opção de ótimo custo-benefício aos alemães de marcas premium. Mas desta vez, o sedã grande da Honda mostra que é capaz de atender também aqueles que valorizam mais a emoção do que a racionalidade.


Ficha Técnica

Honda Accord Touring
Preço básico: R$ 198.500
Carro avaliado: R$ 198.500
Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V
Cilindrada: 1998 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 256 cv a 6.500 rpm
Torque: 37,7 kgfm de 1.500 rpm a 4.000 rpm
Câmbio: automático, dez marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) multi-link (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,889 m (c), 1,862 m (l), 1,460 m (a)
Entre-eixos: 2,830 m
Pneus: 235/45 R18
Porta-malas: 574 litros
Tanque: 56 litros
Peso: 1.547 kg
0-100 km/h: não divulgado
Velocidade máxima: não divulgado
Consumo cidade: 9 km/l
Consumo estrada: 12,3 km/l
Nota do Inmetro: C*
Classificação na categoria: C (extra grande)*
*Estimado

 

blog comments powered by Disqus