Avaliação: novo Troller TX4 é para qualquer terreno (ou ambiente)

Troller TX4 é a versão automática do T4. Ele vem para ampliar a versatilidade do carro e seu público-alvo. Agora dá até para andar com o jipão na cidade – com um pouquinho mais de conforto

Depois de tantos pedidos dos consumidores, enfim chegou o novo Troller TX4 — versão automática do T4 (leia aqui). A nova configuração custa R$ 167.530, contra R$ 141.800 da equipada com câmbio manual. De acordo com o fabricante, a novidade vem para atender a um novo tipo de público e de uso – que pode ser até parcialmente urbano.

VISUAL INCREMENTADO

Além do câmbio automático, o Troller TX4 tem adesivos alusivos à versão e é sempre bicolor, com as cores verde Maragogi, prata Geada e Marrom Trancoso sempre combinadas ao azul Naval presente. Este aparece na grade frontal, no capô, no teto, na tampa traseira, nos para-choques, nos estribos e no snorkel. O TX4 também recebeu faróis auxiliares de LED da Hella (2.000 lumens). 

A cabine do Troller TX4 tem bancos forrados em vinil com costuras laranja (mesma tonalidade das saídas de ar) e bordado TX4 nos encostos, além de acendimento automático dos faróis, aviso sonoro/luminoso do cinto de segurança – três pontos para os ocupantes traseiros -, central multimídia com tela de 6.75” e conectividade Android Auto/Apple CarPlay.

Embora ofereça o Isofix para fixação de bancos infantis, o Troller não é obrigado a possuir airbags frontais tampouco controles eletrônicos de tração/estabilidade por ser classificado como um veículo para fora-de-estrada. Ao menos ele traz os freios com ABS. 

DESCANSO PARA O PÉ ESQUERDO

O motor do Troller TX4 é de cinco cilindros 3.2 Duratorq. Foi conectado à caixa automática de seis marchas da picape média Ford Ranger, mas teve com mudanças na calibração do módulo e relações encurtadas. São 200 cv de potência e 47,92 kgfm de torque. É fôlego suficiente para vencer as adversidades do off-road e também enfrentar as tarefas cotidianas.

Nosso primeiro contato com o Troller TX4 aconteceu no Campo de Provas da Ford, em Tatuí, no interior de São Paulo. Guiar um Troller é uma experiência singular, seja pela posição de dirigir quanto pelas reações bem diferentes em relação aos veículos de passeio.

A força disponível no Troller TX4 permite acelerar ou retomar a velocidade com vigor devido ao alto torque disponível na faixa entre 1.750 e 2.500 rpm. O comportamento do câmbio agrada pelas mudanças suaves e quem preferir pode fazer trocas sequenciais na alavanca. Os pneus lameiros Pirelli Scorpion 245/70 R17 (20% on-road e 80% off-road) rodam quietos no asfalto e não tiram o conforto acústico dos passageiros. 

NASCIDO PARA A TERRA

novo Troller TX4
Foto: Divulgação

Apesar das noivas qualidades no asfalto, o habitat do Troller TX4 é o fora-de-estrada. Segundo um estudo, o uso do Troller pelos consumidores é 55% no off-road e 5% urbano, mas isso pode mudar com a nova versão. 

Os ótimos ângulos de entrada (53º) e de saída (50º) do Troller TX4 possibilitam transpor os obstáculos sem esforços. Também merecem destaque o ângulo de transposição de rampa (30º), a inclinação máxima lateral (40º) e rampa máxima (45º). O vão livre do solo sob os eixos é de 227 mm (dianteiro) e 208 mm (traseiro), enquanto o vão livre do solo sob o entre-eixos é de 316 mm.  

A carroceria do Troller TX4 é de material SMC veste um chassis de longarinas de perfil retangular. Também coopera na valentia as suspensões dianteiras e traseiras de eixo rígido com molas helicoidais e amortecedores de dupla ação. Não só asseguram robustez, como garantem bom controle da carroceria. E até certo conforto ao passar por valetas e pedaços de madeira no caminho. Às respostas da direção leva-se um tempo para se acostumar.

Estão disponíveis no Troller TX4 os modos de tração 4×2 (asfalto, terra batida seca e concreto), 4×4 High (lama, areia, terra batida/grama/vegetação molhada), podendo ser acionada em velocidade de até 120 km/h, e 4×4 Low (erosões, travessias alagadas, ladeiras íngremes, areia e duna). Este último, com o veículo parado e o câmbio na posição N (Neutro). 

QUALQUER TERRENO, OU AMBIENTE

Em grande parte do tempo utilizamos o Troller TX4 com a tração 4×4 por conta da lama e da chuva moderada. Nos trechos alagados, basta pressionar levemente o pedal do acelerador – a capacidade de travessia na água é de 800 mm. Nos trechos mais heavy metal recorremos ao diferencial traseiro blocante, que “salva a pele” ao transferir o torque para a roda com maior aderência ao solo.

Como na trilha a suavidade na condução conta muito, o pedal de freio do Troller TX4 tem acionamento progressivo. Os discos dianteiros são ventilados de 302 mm e os traseiros sólidos com 305 mm. Não está disponível o auxílio em descidas (HDC). 

O jipão “raiz” não é pequeno. Tem 4,163 m de comprimento e 2,585 m de entre-eixos. Só para comparar, o Suzuki Jimny Sierra (leia a avaliação aqui) mede 3,645 m e 2,250 m, respectivamente. Outro rival do Troller neste segmento é o Jeep Wrangler (leia a avaliação aqui). O Troller TX4 é uma opção para deseja valentia e robustez, agora associado a comodidade do câmbio automático. Dá até para rodar na cidade sem reclamar tanto.


FICHA TÉCNICA

TROLLER TX4
Preço básico: R$ 167.530 
Carro avaliado: R$ 167.530 

Motor: 5 cilindros em linha 3.2, 20V, turbo, intercooler
Cilindrada: 3198 cm3
Combustível: diesel
Potência: 200 cv a 3.000 rpm
Torque: 47,9 kgfm entre 1.750 e 2.500 rpm
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: hidráulica
Suspensão: eixo rígido, com barra estabilizadora e barra panhard, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos de dupla ação (d/t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)  
Tração: 4×2, 4×4 e 4×4 com reduzida
Dimensões: 4,163 m (c)1,992 m (l), 1,936 m (a)
Entre-eixos: 2,585 m
Pneus: 245/70 R17
Porta-malas: 149 litros (835 com o banco traseiro rebatido)
Tanque: 62 litros
Peso: 2.297 kg
0-100 km/h: 12s5
Velocidade máxima: 180 km/h 
Consumo cidade: 7,7 km/l
Consumo estrada: 7,5 km/l
Emissão de CO2: 263 g/km
Nota do Inmetro: E*
Classificação na categoria: E*
*estimado

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar