Avaliação: Peugeot 3008 se destaca frente à concorrência

O novo Peugeot 3008 combina o espaço de um SUV com a dinâmica de um esportivo e os equipamentos de um carro de luxo. E nem cobra tanto

29274

Como jornalistas automotivos, temos que tomar muito cuidado ao dosar razão e emoção para levar a avaliação mais precisa ao leitor. Mas fica difícil não se empolgar com determinados modelos. Na redação da MOTOR SHOW, o primeiro a avaliar o novo Peugeot 3008 (confira o teste na edição 408) foi nosso editor Flavio Silveira. Mesmo com anos de experiência (e várias máquinas avaliadas), ele ficou impressionado com o SUV e me perguntou se havia exagerado na animação em seu texto.

Na ocasião, achei que sim. Havia rodado somente uns poucos quilômetros com o novo Peugeot. Mas depois de passar uma semana com o 3008, pegando estrada e enfrentando o trânsito parado do horário de pico da capital paulista, sinto que me enganei. Poucos carros conseguem concentrar tantas qualidades em um mesmo pacote. O estilo da carroceria dessa segunda geração, menos família, me agrada mais que o do antigo 3008. E o novo conserva qualidades reconhecidas do seu antecessor, como o bom espaço interno e a boa capacidade do porta-malas (aqui, um detalhe negativo para quem gostava de dividir o espaço ao meio com a “prateleira” móvel: o ajuste mudou).

Na cabine, os passageiros encontram acabamento impecável (com materiais macios ao toque e detalhes em tecido no painel e laterais de porta), ótima posição de dirigir (destaque para o pequeno volante, digno de um esportivo) e mimos como painel digital configurável, iluminação ambiente indireta com LEDs até na moldura do teto panorâmico, carregador de celular por indução e bancos dianteiros com ajuste elétrico, memória, aquecimento e programas de massagem. O prazer ao dirigir é outra qualidade do SUV da marca francesa.

O conjunto motor e câmbio (1.6 turbo de 165 cv e 24,5 kgfm a 1.400 rpm, com seis marchas) trabalha com uma afinação exemplar, garantindo o silêncio na tocada mais sossegada e ótimas arrancadas quando se pisa fundo. Combinado à suspensão firme (porém confortável) e a direção leve e direta, é possível esquecer que se está no comando de um SUV com mais de 1.500 kg. Apesar de defender uma sociedade menos consumista e achar que ninguém precisa de fato gastar mais de R$ 100 mil em um carro (o 3008 sai por R$ 135.990, menos até do que alguns rivais menos sofisticados), às vezes fica difícil resistir à tentação. Realmente, o Flavio tinha toda razão ao se empolgar tanto com esse 3008.


Ficha técnica:

Peugeot 3008 Griffe THP

Preço básico: R$ 135.900
Carro avaliado: R$ 135.900
Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, duplo comando variável, turbo, injeção direta
Cilindrada: 1598 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 165 cv a 6.000 rpm
Torque: 24,5 kgfm de 1.400 a 4.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: pseudo MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,447 m (c), 1,906 m (l), 1,625 m (a)
Entre-eixos: 2,675 m
Pneus: 235/50 R19
Porta-malas: 521 litros
Tanque: 53 litros
Peso: 1.567 kg
0-100 km/h: 8s9
Velocidade máxima: 206 km/h
Consumo cidade: 9,4 km/l
Consumo estrada: 9,6 km/l
Emissão de CO2: 142 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (SUV Grande)


Contraponto

Por Rafael Poci Déa

Fico ressabiado quando meu colega Evandro fala de Peugeot. Afinal, estamos lidando com um apaixonado pela marca do leão e proprietário de um 207. Depois de implorar, enfim meu colega “largou o osso” e pude conferir as tão aclamadas qualidades do 3008, contadas exaustivamente por ele e pelo editor Flavio Silveira. E eles estavam certos. Que dirigibilidade acertada, que acabamento e silêncio interno! Esse utilitário esportivo (realmente) é de tirar o chapéu. Mas, como nem tudo são flores, não curti a visibilidade traseira e a interface da central multimídia.

Aliás, tudo é feito por meio dela, como ajustar o ar-condicionado ou escolher o programa de massagem. Estou com 35 anos e não sou casado, tampouco tenho a pretensão de ter filhos – questão de opção de vida. Portanto, esse Peugeot não me serve e eu não o compraria, apesar de suas ótimas qualidades. Ao invés do 3008 prefiro comprar um hatch alemão e desfilar por aí de Mercedes Classe A, BMW Série 1 ou Audi A3. O difícil seria escolher um deles. Como já disse, tudo é questão de gosto e, principalmente, de estilo de vida.

COMPRE SE…
Quer um carro com bom espaço interno, mas gosta de também uma tocada mais esportiva.
Faz questão de um carro completo, com equipamentos inexistentes na concorrência.

NÃO COMPRE SE…
Prefere um SUV com motor a diesel. Este 3008 só é comercializado com a motorização 1.6 THP a gasolina.
Quer um visual pacato e um interior mais versátil. Leve um Citroën C4 Picasso, que é tem a mesma mecânica e custa quase o mesmo.

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES

blog comments powered by Disqus