Avaliação: Porsche 718 Boxster GTS esbanja esportividade

O novo Porsche 718 Boxster GTS traz um toque extra de esportividade para o roadster alemão, com 35 cavalos a mais em relação ao antigo modelo com motor aspirado

O Porsche desliza na estrada a 60 km/h, silencioso. O ponteiro do conta-giros informa que o motor 2.5 trabalha a apenas 1.800 rpm. O pequeno botão giratório no lado direito do volante marca a posição D, de Drive. Sem pressionar o pedal do acelerador, eu apenas posiciono o botãozinho na letra S, de Sport. O carro “acorda”, o ponteiro sobe a 2.000 rpm e o ronco aumenta – afinal, a partir de 1.900 rpm o motor já entrega a totalidade de seus 43,9 kgfm de torque. Então, ainda sem fazer qualquer solicitação ao acelerador, eu giro mais ¼ do botão do volante para a direita e coloco-o na posição S+, de Sport+. Imediatamente o ponteiro do conta-giros (situado bem no meio do quadro de instrumentos) sobe para 4.000 rpm. O ronco se torna mais forte. O Porsche está pronto. Enfio o pé no pedal do acelerador e em menos de 3 segundos o motor vai a 7.000 giros. A marcha sobe e já vou a 120 km/h, o que ainda não é nada para esse carro, que chega facilmente a 200 e atinge 290 km/h.

A nova versão GTS, que chegou com seus 365 cavalos para deixar o 718 Boxster ainda mais nervoso, é capaz de ir de 0-160 km/h em 9 segundos e de 0-200 em 14,2 segundos. Sua aceleração de 0-100 é feita em apenas 4,1 segundos. Essa capacidade de aceleração é resultado de um casamento perfeito entre o motor de 2,5 litros, o câmbio PDK de sete marchas, o Pacote Sport Chronos e a carroceria de 1.405 kg – uma combinação traduzida em ótimas relações de peso com a potência e o torque (3,8 kg/cv e 32 kg/kgfm). Mas é preciso sentir o 718 GTS para não querer mais sair dele. Se a velocidade é um convite à emoção, as curvas são um convite à diversão. O carro tem tração traseira, mas o motor e o câmbio posicionados logo atrás do motorista, antes do eixo traseiro, dão a ele um equilíbrio perfeito. Os pneus muito largos, a suspensão ativa (PASM) e o sistema de vetorização de torque (PTV Plus) mantêm o 718 grudado no chão. A rigidez do Boxster também impressiona – se não fosse a capota aberta e o vento zunindo por cima da cabeça, não daria para perceber que se trata de um conversível.

Em dias de levíssima garoa e de frio, fez falta um “aircap” e um “airscarf” (boné de ar e cachecol de ar), como tem o Mercedes C 300 Cabriolet, por exemplo. Mas não dá para reclamar dos equipamentos do Porsche 718 GTS, pois o carro tem tudo que um exigente casal necessita em uma cabine reduzidíssima. A menos que você seja baixinho ou goste de dirigir com o encosto do banco muito para a frente, não cabe nada atrás dos bancos. Nem mesmo uma revista. Mas, em compensação, o painel tem dois porta-copos embutidos, a lateral das portas fica mais larga para acomodar uma garrafinha e o sistema multimídia é completo.

O aproveitamento de espaço é impressionante. Para o motorista, tudo está muito bem localizado. Para começar, o modo de condução fica no volante, como dissemos, o que é muito mais prático. A chave de ignição (um charme na cor do carro) fica espetada no painel do lado esquerdo do volante. O capô e o porta-malas podem ser abertos por duas alavancas que ficam discretamente acomodadas no assoalho, entre a porta e o banco do motorista. O quadro de instrumentos tem três visores redondos e permite várias configurações. Da mesma forma, a tela multimídia fica bem visível e acessível no meio do painel, podendo ser operada pelos dedos ou por botões. Os bancos e o volante são revestidos de couro alcantara e a capota de lona dá um toque de sedução incrível ao Porsche Boxster. Ela abre ou fecha em 9 segundos com o carro em movimento até 50 km/h. Também facílimos são os ajustes de suspensão, de acionamento do aerofólio e do som do escapamento.

Em relação ao 718 Boxster S (R$ 445.000), que já é mais esportivo que o Boxster de entrada (R$ 349.000), o 718 Boxster GTS (R$ 480.000) tem 15 cv a mais de potência. Porém, em relação ao antigo GTS, são 35 cavalos extras. Para apimentar mais o 718 GTS, a Porsche desenvolveu um novo duto de admissão para o motor boxer de quatro cilindros e também melhorou a performance do turbocompressor. Não percebemos qualquer turbolag nas acelerações. Vale lembrar que o 718 GTS antigo tinha o motor naturalmente aspirado (uma pena que agora o motor não berre como antes; o som mais comum é o do zunido do turbo, o que é um pouco decepcionante). Ainda em relação ao Boxster S, a carroceria do GTS é rebaixada em 10 mm e as rodas são de 20” – ele calçava pneus Michelin Pilot Sport4 S. Os módulos luminosos dianteiros e os faróis bi-xenônio são escurecidos. Aliás, todos os detalhes são escurecidos ou pretos na versão GTS. Entre eles as ponteiras do escapamento, que ficam posicionadas no centro da traseira. Na base das portas, o logotipo GTS preto está ali para lembrar o porquê de você ter pago R$ 35 mil a mais em relação ao S.

Na família 718, o Boxster (versão conversível) trava uma pequena batalha com seu irmão gêmeo Cayman (cupê). Nos primeiros sete meses, o Boxster vendeu 79 unidades, contra 71 do Cayman. Juntos, eles vendem mais do que o 911 e o Panamera; só perdem para os SUVs Macan e Cayenne dentro da linha Porsche. Com a chegada do GTS, o 718 Boxster fica ainda mais atraente para quem busca um carro verdadeiramente exclusivo, bonito como poucos e perfeitamente utilizável no dia-a-dia em locais de piso bom. E nessa cor azul do carro avaliado, você se apaixona mais rápido do que o tempo que leva para fechar a boca.


Ficha técnica:

Porsche 718 Boxster

Preço básico: R$ 480.000
Carro avaliado: R$ 480.000
Motor: 4 cilindros boxer 2.5, 16V, turbo, injeção direta
Cilindrada: 2497 cm³
Combustível: gasolina
Potência: 365 cv a 6.500 rpm
Torque: 43,9 kgfm de 1.900 a 5.000 rpm
Câmbio: automatizado sequencial, sete marchas
Direção: elétrica
Suspensões: independentes (d/t)
Freios: discos ventilados e perfurados (d/t)
Tração: traseira
Dimensões: 4,379 m (c), 1,801 m (l), 1,272 m (a)
Entre-eixos: 2,475 m
Pneus: 235/35 R20 (d) e 265/35 R20 (t)
Porta-malas: 150 litros (d) e 125 litros (t)
Tanque: 64 litros
Peso: 1.405 kg
0-100 km/h: 4s1
Vel. máxima: 275 km/h
Consumo cidade: 9,0 km/l
Consumo estrada: 12,5 km/l
Emissão de CO²: 140 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: D (Esportivo)