Avaliação: Range Rover Velar é um Evoque com fermento

SUV com toques de cupê, o novo Velar adianta as linhas do futuro Evoque e usa plataforma de Jaguar para mirar no Porsche Macan. O interior é sofisticado e tudo é personalizável

O Range Rover Velar é um SUV com toques de cupê, como que um Evoque com fermento (ainda mais na nova geração). Tem a mesma plataforma dos Jaguar F-Pace e XF e é bastante esportivo no visual e ao volante – como seu principal alvo, o Porsche Macan das páginas anteriores. E em ambos a mistura de carrocerias é bem menos “agressiva” do que nos BMW X4 e X6, com uma linha do teto que cai de modo mais suave. Com motor 2.0 de 250 cv, parte de atraentes R$ 287.700, mas com o V6 já vai a R$ 335.900 e sobe a R$ 353.100 na opção R-Dynamic (com visual esportivo) “básica”, com rodas aro 18. A R-Dynamic HSE avaliada sobe a R$ 442.200, e com opcionais como rodas 22 e head-up display, beira os R$ 500.000 – como o Macan GTS.

Há muitas opções de personalização, como os faróis a laser (R$ 6.000), o teto de camurça (R$ 8.000), o acabamento de fibra de carbono (R$ 5.800), som Meridian Signature com 23 alto-falantes (R$ 12.050) e mais. Dá pra escolher cor e material de bancos, volante e painel, pintar o teto, tirar emblemas… vale quase tudo. O interior é magnífico, certamente entre os melhores do mundo hoje. Inédito nos Land Rover é o Touch Pro Duo, sistema com duas telas de 10” sensíveis ao toque, uma em cima (multimídia) e outra embaixo, onde os comandos do Terrain Response (seletor de terreno), os ajustes dos bancos (com massagem) e do ar-condicionado (até quatro zonas) aparecem de forma totalmente integrada ao console e aos poucos (mas úteis) botões “reais”.

O cluster digital (12”) também é novo, com muito mais opções de visualização. Por fim, a central multimídia melhorou muito (precisava!), e de fato ficou excelente, mas ainda faltam Android Auto e Apple CarPlay. Ao volante, o conjunto emprestado do esportivo Jaguar F-Type – V6 de 380 cv com compressor duplo e câmbio automático de oito marchas – garante bastante fôlego (0-100 em menos de seis segundos!), mas falta um pouco de agilidade quando o Terrain Response está fora do modo Dynamic e, apesar do acerto primoroso do chassi e das suspensões com molas a ar e altura ajustável, que deixam a carroceria inclinar pouco, o SUV é um tanto pesado ao volante (um SUV pode até ser esportivo, mas não deixa de ser um SUV).

A 120 km/h o conta-giros marca 2.000 rpm e o consumo fica na faixa de razoáveis 11 km/l. Há piloto automático adaptativo, assistentes de manutenção em faixa e ponto-cego (com alerta e intervenção no volante opcional, que impede, por exemplo, fechar outro carro). Na cidade, o consumo cai para a faixa de 5 a 6 km/l, e no péssimo asfalto de São Paulo as rodas de 22” não são uma ideia muito boa: mesmo no modo conforto, o rodar é bastante duro. Falando nas rodas exageradas, ninguém vai pensar em levar esse Velar para o off-road – mas, de qualquer forma, com outro “calçado” o Velar encara qualquer parada. Tem bloqueio do diferencial traseiro e o tradicional sistema de tração inteligente. Outra vantagem sobre o Macan, mais limitado também no interior.


Ficha técnica:

Range Rover Velar R-Dynamic HSE

Preço básico: R$ 287.700
Carro avaliado: R$ 479.650
Motor: 6 cilindros em V 3.0, 24V, duplo comando variável, compressor com duplo vórtex, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 2995 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 380 cv a 6.500 rpm
Torque: 45,9 kgfm de 3.500 a 5.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Direção: elétrica
Suspensões: duplo A (d) e integral link (t)
Freios: discos ventilados (d/t)
Tração: integral, seletor de terreno, bloqueio do diferencial traseiro
Dimensões: 4,803 m (c), 1,930 m (l), 1,665 m (a)
Entre-eixos: 2,874 m
Pneus: 235/55 R19 (d) e 255/50 R19 (t)
Porta-malas: 673 litros
Tanque: 63 litros
Peso: 1.884 kg
0-100 km/h: 5s7
Velocidade máxima: 250 km/h (limitada)
Consumo: não divulgado
Emissão de Co2: sem dados
Nota do Inmetro: não participa

blog comments powered by Disqus