Avaliação: Renault Captur ganha câmbio CVT para dobrar as vendas

O Renault Captur 1.6 SCe ganhou a transmissão X-Tronic CVT em duas versões intermediárias e se tornou mais competitivo no mercado de SUVs

Chegou o câmbio que faltava ao Renault Captur. Lançado primeiramente com a ultrapassada caixa automática de quatro marchas na versão 2.0 e com a cada vez mais desprezada transmissão manual na versão 1.6, o SUV produzido em São José dos Pinhais (PR) ganhou um câmbio CVT. Melhor ainda: um CVT do tipo X-Tronic, que tem polias menores, é 13% mais leve que um convencional e ocupa menos espaço. Essa transmissão continuamente variável é fabricada pela Jatco – empresa da Aliança Renault Nissan – e equipa também o Kicks. Ele tem seis marchas simuladas (podem ser trocadas sequencialmente pela alavanca) e trabalha com menos atrito, pois a lubrificação das polias é por meio de bomba e não por imersão no óleo.

A nova caixa passa a equipar as duas versões intermediárias do Captur: 1.6 CVT Zen (R$ 84.900) e 1.6 CVT Intense (R$ 88.400). A outra versão Zen é a 1.6 manual (R$ 78.900) e a outra Intense é a 2.0 AT4 (91.900). Segundo o gerente de marketing da Renault, Dimitri Castiglia, o Captur 1.6 com câmbio CVT será responsável por 60% das vendas do modelo, sendo 50% para a versão Intense (que avaliamos) e 10% para a Zen. Os restantes 40% do mix serão divididos igualmente entre a configuração Zen 1.6 manual e a Intense 2.0 automática.

A Renault acredita que essa transmissão fará as vendas do Captur dobrarem, passando de 1.400 para 2.800 carros/mês. Se isso acontecer, ele ficará no atual nível do Jeep Renegade, o que não é pouco. Rodando, esse Captur 1.6 CVT ficou bastante agradável. O motor SCe tem um gerenciamento eletrônico para entregar mais potência com menos consumo. Uma das possibilidades do Captur é dirigir no modo Eco. Dessa forma, conseguimos médias de 9,9 km/l de gasolina na cidade, contra 7,3 km/l no modo normal.

Aliás, por ser um motor sem muita potência (118/120 cv), o carro é proporcionalmente mais econômico na cidade, onde as velocidades são menores. O Captur CVT Zen já vem com controle de tração/estabilidade, quatro airbags, chave cartão e retrovisores rebatíveis eletricamente. Já o CVT Intense acrescenta ar-condicionado automático, Media Nav com tela tátil de 7”, câmera de ré, sensor de chuva, farol de neblina com função cornering e sensor de luminosidade.


Ficha técnica:

Renault Captur 1.6 SCe X-Tronic CVT Intense

Preço básico: R$ 84.900
Carro avaliado: R$ 88.400
Motor: 4 cilindros 1.6, 16V, sistema de regeneração de energia
Cilindrada: 1597 cm3
Combustível: flex
Potência: 118 cv a 5.500 rpm (G) e 120 cv a 5.500 rpm (e)
Torque: 16,2 kgfm a 4.000 rpm (g/e)
Câmbio: automático, CVT, seis marchas simuladas
Direção: eletro-hidráulica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,329 m (c), 1,813 m (l), 1,619 m (a)
Entre-eixos: 2,673 m
Pneus: 215/60 R17
Porta-malas: 437 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.286 kg
0-100 km/h: 14s5 (g) e 13s1 (e)
Velocidade máxima: 168 km/h (g) e 169 km/h (e)
Consumo cidade: 10,5 km/l (g) e 7,3 km/l (e)
Consumo estrada: 11,7 km/l (g) e 8,1 km/l (e)
Emissão CO2: 122 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

blog comments powered by Disqus