Avaliação: Renault Duster e o motor 1.3 turbo que muda tudo

O Renault Duster 2023 evoluiu e está mais disposto após a inclusão do propulsor 1.3 turbinado de até 170 cv e 27,5 kgfm; confira nossa avaliação

0
31
RENAULT DUSTER ICONIC TURBO TCe 1.3 CVT
Foto: Divulgação

Depois do Captur, agora chegou a vez do Renault Duster ter sob o capô a mecânica 1.3 turbinada desenvolvida em conjunto com a Mercedes-Benz. Uma atualização mecânica, que deixou o SUV mais eficiente na versão topo de linha Iconic TCe (a partir de R$ 135.950).

O Renault Duster sempre primou pela relação custo x benefício associado ao amplo espaço interno ao invés do desempenho – era apenas condizente à proposta. Mesmo assim, a linha 2023 do utilitário esportivo conservou o propulsor 1.6 16V SCe naturalmente aspirado nas configurações Zen MT (inicial R$ 99.990), Zen CVT (R$ 108.090) e Intense (R$ 115.190).

Uma atualização de engenharia, que pouco mudou os traços do exterior adotados na linha 2020, mas deixou o Renault Duster alinhado para combater os rivais sobrealimentados Chevrolet Tracker, Hyundai Creta, Volkswagen T-Cross e o recém-atualizado Jeep Renegade, para citar.

+ Renault revela design do novo Austral
+ Renault amplia serviço de assinatura com os novos Kwid, Duster e Master
+ Último Sandero R.S. produzido vai para acervo da Renault
+ Renault confirma Master elétrica em 2022 no Brasil

Motor desenvolvido com a Mercedes-Benz

Vamos direto ao ponto-alto do Renault Duster 2023, pois é a unidade 1.3 16V TCe (sigla para Turbo Control Efficiency) a responsável pela mudança de hábitos do SUV. Emprestada do “irmão” maior Captur, a mecânica equipa alguns carros da Mercedes-Benz, como o Classe A, o CLA, o GLA (confira o comparativo) e o GLB (leia a avaliação). Contudo, nos alemães há o sistema de desativação de cilindros, o qual “corta” dois dos quatro cilindros em momentos de condução branda para privilegiar tanto o consumo quanto a baixa emissão de poluentes.

Estão disponíveis até 170 cv de potência e 27,5 kgfm de torque a partir de 1.600 rpm, quando abastecido com etanol. Para atingir tais números de desempenho foram adotadas algumas soluções. Entre elas, o turbocompressor com pressão de trabalho de 1,4 bar e válvula wastegate controlada eletronicamente, o cabeçote em formato de delta, que proporciona um tamanho compacto, um centro de gravidade mais baixo e melhor controle térmico.


Renault Duster Iconic Turbo TCe 1.3 CVT
Foto: Divulgação

Também foram empregados o duplo eixo do comando de válvulas com variação na admissão/escape, os anéis e pinos dos pistões com tratamento superficial (DLC) para reduzir o atrito e o consumo de combustível, a injeção direta de combustível, enquanto o bloco de alumínio possui o tratamento superficial na parede dos cilindros Bore Spray Coating (BCS). Essa tecnologia já aplicada no monstruoso Nissan GT-R possibilita uma melhor troca térmica entre a câmera de combustão e a camisa d’ água reduzindo o atrito com os pistões/anéis e um controle mais preciso da pré-detonação.

Da engenharia para a prática

Esqueça o que você sabe ou lembra do comportamento do Renault Duster 1.6 e 2.0, pois a conversa mudou de rumo. E a injeção de ânimo proporcionada pelo propulsor 1.3 16V surpreende logo nos primeiros metros graças aos até 170 cv de potência e 27,5 kgfm de torque – o Jeep Renegade 1.3 turbo produz até 185 cv e o mesmo torque bebericando o combustível vegetal.

Afinal, o Renault Duster passou a responder de prontidão ao menor toque do acelerador. As respostas ágeis são acompanhadas de um leve turbolag (aquele atraso antes de o turbocompressor acordar) e o desempenho cooperado pela caixa CVT XTRONIC de oito marchas simuladas, porém, com opção de trocas sequenciais apenas pela alavanca de câmbio e não há um modo Sport.

Com um funcionamento suave, seja na marcha lenta quanto nas rotações mais altas, o Renault Duster entrega uma potência específica de 127,6 cv/litro, enquanto os 1.353 kg do SUV asseguram uma relação peso-potência de 8 kg/cv e peso-torque de 49,2 kg/kgfm. Ligeiramente mais pesado, com 1.386 kg, o Captur Iconic entrega 8,2 kg/cv e 50,4 kg/kgfm, na ordem.

RENAULT DUSTER ICONIC TURBO TCe 1.3 CVT
Logotipo TCe na tampa do porta-malas identifica a versão Iconic com o novo motor 1.3 turbinado (Foto: Divulgação)

+ Avaliação: Renault Kwid 2023 amadurece com design e mecânica reformulados
+ Avaliação: uma semana de Renault Zoe – carro elétrico vale a pena?
+ Comparativo: Renault Captur 1.3 vs. Chevrolet Tracker 1.2
+ Avaliação: Renault Sandero GT Line é “esportivado” urbano com motor 1.0

Ao volante, fica evidente o comportamento e as retomadas mais animadas garantindo ultrapassagens seguras, seja na cidade ou na estrada. Aliás, segundo o fabricante, elas estão 36% mais rápidas. Já o sistema start-stop transmite um funcionamento suave ao ligar/desligar o motor durante as breves paradas, como nos semáforos.

As suspensões robustos sempre foram um atributo do Renault Duster e o conjunto suporta bem as condições do nosso asfalto ao passo que as belas rodas de 17” calçam pneus de medidas 215/60. Outra qualidade aparece nos ângulos de entrada (30º), de saída (34,5º) e na altura em relação ao solo de 237 mm, mas a direção assistida eletricamente é um pouco anestesiada, enquanto o sistema de frenagem utiliza tambores no eixo traseiro ao invés de ser a disco nas quatro rodas, como no Jeep Renegade, por exemplo.

Renault Duster Iconic Turbo TCe 1.3 CVT
Foto: Divulgação
Interior

A cabine do Renault Duster exibe plásticos em sua totalidade, mas eles são de qualidade e com texturas. Tanto a posição de dirigir quanto a visibilidade proporcionada pela grande área envidraçada agradam. O multimídia de 8” traz conectividade Android Auto/Apple CarPlay e o famigerado comando satélite segue firme e forte na coluna de direção. Já quem viaja atrás dispõem de amplo espaço para as pernas/joelhos por conta dos 2,673 m de entre-eixos e o porta-malas é um grande atrativo pela capacidade volumétrica de abundantes 475 litros.

Em segurança, há o sistema de frenagem automática de emergência, o isofix para fixação de bancos infantis, o controle eletrônico de estabilidade com assistente de partida em rampas, o sistema de câmeras multiview, que ajuda a vida do motorista nas manobras e balizas, o alerta de ponto cego nos espelhos retrovisores e o acendimento automático dos faróis. O pênalti fica pelos dois airbags frontais – o “pequenino” Kwid oferta quatro.

Sem dúvidas, foi uma mudança da água para o vinho, que agradará em cheio os consumidores em busca do SUV da Renault. “Completão” e igual ao carro das fotos o Renault Duster Iconic 1.3 TCe sai por R$ 138.640. Ou seja, R$ 16.650 de diferença para o Captur Iconic (R$ 155.290) para deixar a briga em casa.


FICHA TÉCNICA

RENAULT DUSTER ICONIC TURBO TCe 1.3 CVT
Preço básico: R$ 99.990 (Zen MT)
Carro avaliado: R$ 138.640

Renault Duster Iconic Turbo TCe 1.3 CVT
Motor: quatro cilindros em linha 1.3, 16V, turbo, injeção direta, duplo comando de válvulas com variação na admissão e no escape
Cilindrada: 1332 cm3
Combustível: flex
Potência: 162 cv (g) e 170 (e) a 5.500 rpm
Torque: 27,5 kgfm (g/e) a 1.600 rpm
Câmbio: automático continuamente variável (CVT), oito marchas simuladas
Direção: elétrica
Suspensões: Macpherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,376 m (c), 1,832 m (l), 1,693 m (a)
Entre-eixos: 2,673 m
Pneus: 215/60 R17
Porta-malas: 475 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.353 kg
0-100 km/h: 9s2
Velocidade máxima: 190 km/h
Consumo cidade: 10,8 km/l (g) e 7,7 km/l (e)
Consumo estrada: 11,5 km/l (g) e 8,4 km/l (e)
Emissão de CO2: 120.8 g/km
Consumo nota: A
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Grande)

 

MAIS NA MOTOR SHOW: