Avaliação: Renault Sandero R.S. mudou pouco para permanecer o mesmo

Esportivo combina (parte) das mudanças de estilo das versões normais com o conjunto mecânico acertado pela divisão Renault Sport

Renault Sandero R.S. (Divulgação)

O esportivo Renault Sandero R.S. foi o que menos mudou na linha 2020 do compacto da marca francesa. E a “não-mudança” é uma ótima notícia. Custando R$ 69.690, ele segue com uma combinação inigualável em termos de custo-diversão.

Diferente do restante da linha Sandero 2020 (leia mais aqui), que passou por mudanças mecânicas e visuais, o R.S. manteve inalterado todo o conjunto motriz, freios, direção e suspensão calibrados pela divisão esportiva Renault Sport, presentes desde o lançamento da versão em 2015.

No visual, enquanto os Sandero mais acessíveis ganharam traseira e dianteira reestilizadas, o pacote de mudanças do esportivo deixou de fora os novos faróis com luzes diurnas de LED e a grade frontal redesenhada. Além das novas lanternas traseiras, as mudanças se limitaram aos novos para-choques, rodas diamantadas de 17″ e novos adesivos laterais.

Na cabine, que agora segue o padrão da antiga série especial Racing Spirit, as novidades ficam por conta do comando dos vidros elétricos traseiros nas portas, do tecido imitando fibra de carbono nas laterais de porta e dos airbags laterais, que agora são item de série em toda a linha.

Nas voltas no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), pudemos constatar que o Sandero R.S. segue sendo uma ótima opção para quem busca um hatch relativamente acessível e com desempenho de esportivo. Diferente das pacatas versões normais (confira aqui a avaliação com o novo Sandero CVT), o motor 2.0 16V de 150 cv é combinado a um câmbio manual de seis marchas.

Com relações curtas, permite manter o motor sempre aceso (e berrando alto) para aproveitar melhor o torque máximo de 20,9 kgfm, que aparece somente a 4.000 rpm. Já a suspensão tem acerto bem mais firme e mantém o carro sempre “na mão”, grudado ao solo nas curvas.

O aspirante à piloto conta ainda com o seletor de modos de condução “R.S. Drive”, que permite alternar entre três ajustes (Standart, Sport e Sport+) que alteram itens como a rotação de marcha lenta, respostas do acelerador e o funcionamento dos controles eletrônicos de tração e estabilidade. E tudo isso pelo preço de um VW Polo 1.6 MSI completo (R$ 69.910) ou do Fiat Argo HGT (R$ 69.990), que apesar do visual esportivo traz o mesmo conjunto mecânico da comportada versão Precision.


Ficha técnica:

Renault Sandero R.S.

Preço básico: R$ 69.690
Carro avaliado: R$ 69.690
Motor: 4 cilindros em linha 2.0, 16V
Cilindrada: 1998 cm3
Combustível: flex
Potência: 145 cv a 5.750 rpm (g) e 150 cv a 5.750 rpm (e)
Torque: 20,2 kgfm a 4.000 rpm (g) e 20,9 kgfm a 4.000 (e)
Câmbio: manual, seis marchas
Direção: eletro-hidráulica
Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,070 m (c), 1,733 m (l), 1,499 m (a)
Entre-eixos: 2,590 m
Pneus: 205/45 R17
Porta-malas: 320 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.181 kg
0-100 km/h: 8s4 (g) e 8s0 (e)
Velocidade máxima: 200 km/h (g) e 202 km/h (e)
Consumo cidade: 8,3 km/l (g) e 5,9 km/l (e)
Consumo estrada: 10,8 km/l (g) e 7,6 km/l (e)
Emissão de CO2: 148 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: E (Compacto)