Avaliação: seria o melhor BMW M3 de todos os tempos?

A sexta geração do BMW M3 estreou no Brasil nas opções Competition e Competition Track, ambas com motor de seis cilindros turbinado de 510 cv de potência

0
1620
BMW M3 Competition Track
Foto: Roberto Assunção

Lá se vão 35 anos da apresentação do BMW M3 no Salão de Frankfurt, na Alemanha, em 1985. O primeiro de uma dinastia à época na geração E30, com produção iniciada em 1986. Sob o capô, o motor de quatro cilindros 2.3 naturalmente aspirado casado ao câmbio manual de cinco marchas da Getrag entregava 200 cv a 6.750 rpm e 24,5 kgfm a 4.750 rpm.

+ BMW Motorrad oferece condições especiais para os modelos G 310 R, F 750 GS Sport e R 1250 RT
+ BMW lança novos Série 1 e Série 2 no Brasil
+ Mulher dá à luz dentro de BMW a quase 100 km/h
+ BMW Wallbox é 26 vezes mais potente que carregador portátil e carrega elétricos de outras marcas

Uma mecânica concebida por Paul Rosch, gerente técnico da BMW Motorsport GmbH, fundada em 1972, e responsável por chefiar o propulsor turbo que Nelson Piquet conquistou o bicampeonato de Fórmula 1, em 1983, com o BMW Brabham BT52. Ou seja, o BMW M3 trazia essa expertise aplicada em um carro de 1.200 kg, cuja relação peso-potência de 6 kg/cv permitia ir de 0 a 100 km/h em 6,7 segundos e atingir 235 km/h de máxima.


BMW M3 E30
BMW M3 E30 (Foto: Divulgação)

Do primeiro BMW M3, feito entre 1986 e 1991, vieram as gerações seguintes E36 (1992 a 1999), E46 (2000 a 2006), E90 (2007 a 2013), F80 (2014 a 2018) e a novíssima G80 para atormentar, por exemplo, o Mercedes-AMG C 63 S e o Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio Verde.

Impactante

O tratamento do BMW M3 G80 impressiona visualmente e as bitolas dianteiras crescidas em 31 mm junto dos para-lamas alargados conferem um visual musculoso e agressivo. A largura da carroceria é de 1,903 m contra 1,827 m da versão 320i GP, para comparar. Ainda falando das dimensões, o sedã radical da Bayerische Motoren Werke AG possui 4,794 m de comprimento, 1,433 m de altura e 2,857 m de entre-eixos.

Na antecessora geração F80 apareciam 4,671 m de comprimento, 1,877 m de largura, 1,424 m de altura e 2,812 m de entre-eixos.

Desde o lançamento do modelo Série 4 Coupé a dianteira divide opiniões pela grade “duplo rim” vertical de proporções exageradas. Contudo, no passado outros BMW, como os modelos 303, o primeiro com motor de seis cilindros e o “duplo rim”, e o 328 a ostentavam, porém, exibindo um estilo mais clássico, só para lembrar.


Voltando ao BMW M3 G80, a grade frontal sem molduras (e polêmica) cumpre a função de levar ar fresco para o intercooler e os freios, enquanto as entradas de ar nas extremidades do para-choque frontal reduzem o turbilhonamento do vento na região das caixas de rodas. Aliás, as “redondas” de alumínio forjado são de 19” na dianteira e de 20” na traseira vestidas por pneus Michelin Pilot Sport Cup² de medidas 275/35 ZR19 na frente e largos 285/30 ZR20 atrás. Outro fornecedor é a Pirelli com o modelo PZero Corsa.

As rodas são de alumínio forjado, enquanto os pneus Michelin Pilot Sport Cup² possuem medidas 275/35 ZR19 na dianteira (Foto: Roberto Assunção)

A fibra de carbono foi aplicada exaustivamente e o nobre material aparece na porção inferior dianteira, nas capas dos retrovisores, no teto, no spoiler montado sobre a tampa do porta-malas e no difusor de ar traseiro, que acomoda as quatro saídas de escape com 100 mm de diâmetro (cada).

Seis cilindros em linha sobrealimentado 

Ao longo dos anos, o BMW M3 empregou motores de quatro cilindros, de seis cilindros em linha aspirado, V8 e, agora retornou ao seis cilindros em linha, contudo, sobrealimentado com dois turbocompressores. É um conjunto 80% diferente comparado ao Série 3 “normal” – à venda em nosso mercado por iniciais R$ 267.950 na configuração 320i GP.

A unidade S38 longitudinal do BMW M3, entre as soluções de engenharia, ostenta o virabrequim aliviado, a injeção direta, o sistema de exaustão feito de inox e os já citados turbos sequenciais com pressão de trabalho de 1,5 bar.

Estão disponíveis brutais 510 cv de potência (79 cv a mais frente ao antecessor) e 66,28 kgfm de torque tanto no BMW M3 Competition (R$ 757.950) quanto no BMW M3 Competition Track (R$ 849.950) possibilitando partir da imobilidade aos 100 km/h em rápidos 3,9 segundos e cravar 290 km/h de velocidade máxima. A relação peso-potência é de 3,53 kg/cv.

BMW M3 Competition Track
Motor de seis cilindros em linha com dois turbos despeja 510 cv de potência e 66,28 kgfm de torque (Foto: Roberto Assunção)

São números de desempenho semelhantes ao do Mercedes-AMG C 63 S, que ostenta um V8 4.0 biturbo de 510 cv/71,4 kgfm, e ao do Alfa Romeo Giulia Quadrifoglio Verde dotado de um V6 2.9 biturbo de 510 cv/61,2 kgfm.

Durante nossa experiência com o BMW M3 Competition Track, na belíssima cor verde Isle of Man, foi possível constatar o quão assombrosa é a geração G80. Um supersedã que te obriga a ter o máximo de respeito. O ronco encorpado nas baixas rotações ganha uma entonação aguda à medida que as rotações crescem e a ferocidade do M3 surge a todo instante, seja nas saídas de semáforos ou nas ultrapassagens realizadas na estrada.

O BMW M3 Competition Track responde de maneira espetacular ao cutucar o pedal do acelerador e requer atenção de motoristas menos experientes. Afinal, a tração é apenas no eixo traseiro e os pneus semi slick necessitam habilidade ao volante. Mesmo assim, permite uma usabilidade cotidiana apesar das suspensões adaptativas firmes sofrerem em nosso asfalto esburacado. Elas copiam o piso de forma espetacular e a extrema comunicabilidade/precisão da caixa de direção cooperam na condução. 

Os programas Comfort, Efficiency, Sport e Sport Plus configuram determinados parâmetros, como as respostas do motor, da direção, da transmissão, das suspensões e até da atuação dos freios em dois níveis (Comfort e Sport).

A distribuição de peso na ordem de 50:50 contribui no intenso comportamento dinâmico, com mudanças de trajetória sem rolagem da carroceria e mínima transferência de cargas nas frenagens – o chassis do BMW M3 Competition Track foi reforçado para aumentar a rigidez torsional ao passo que o subchassi é construído de alumínio.

Ao selecionar os modos Sport e Sport Plus um atuador enrijece a barra estabilizadora, enquanto o diferencial eletrônico é dez vezes mais rápido frente ao do “antigo” BMW M3. Além disso, o controle eletrônico de tração pode ser regulado em até dez ajustes ao ser desligado. Um refinamento de engenharia espetacular! 

O rápido trabalho da caixa automática ZF M Steptronic de oito velocidades muda ou reduz as marchas em um piscar de olhos e ela substituiu a de dupla embreagem do BMW M3 F80. As trocas sequenciais no BMW M3 Competition Track G80 podem ser realizadas na alavanca ou pelas generosas borboletas atrás do volante revestidas de fibra de carbono – ela também cobre o painel, o console central, o volante e os magníficos bancos esportivos de formato concha ajustáveis eletricamente.

Borboletas atrás do volante e detalhes do volante empregam fibra de carbono. Os botões M1 e M2 permitem gravar configurações distintas de condução (Foto: Roberto Assunção)

O fôlego é contido pelos freios de carbono-cerâmica com pinças de seis pistões à frente e de um pistão atrás. Elas mordem os discos duplos frontais/perfurados de carbono-cerâmica de 400 mm x 38 mm no eixo dianteiro e de 380 mm x 36 mm no traseiro. A sensibilidade impressiona pela potência e a sensibilidade de frenagem.

Com 510 de potência, mais de 65 kgfm de torque e tração apenas no eixo traseiro o BMW M3 Competition Track é uma máquina de drift. Portanto, ele está equipado com o M Drift Analyser, que mede a duração, a distância percorrida de lado e o ângulo do drfit feito. Ainda há o M Lap Timer para analisar os dados dinâmicos e cronometrar os tempos de volta. Não menos importantes são os botões M1 e M2 encontrados no volante e responsáveis por permitir ao condutor gravar regulagens distintas de motor, direção, suspensão, freios, ronco, transmissão e o controle dinâmico de estabilidade.

Foto: Roberto Assunção
Mimos a bordo? Temos!

O BMW M3 Competition Track oferece o controlador de velocidade adaptativo (ACC), o sistema de proteção contra pedestres, o quadro de instrumentos totalmente digital de 10,25” e o multimídia de 12,2” dotado de conectividade Android Auto/Apple CarPlay e interação com a assistente pessoal Alexa.

O ar-condicionado é de três zonas e há carregador de smartphone por indução, assistente de farol alto, faróis BMW Laserlight, Head-Up Display (HUD), além do BMW Connected Drive, com uma série de serviços tais como chamada de emergência inteligente, BMW Teleservices, serviços Connected Drive (BMW Online, englobando portal de notícias, clima e aplicativos), serviços remotos com utilização de algumas funcionalidades por meio de smartphones Android e iOS), informações de trânsito em tempo real e concierge.

Com um desempenho e dinâmica impressionantes somados a lista de equipamentos de série, o BMW M3 Competition Track é muito mais que uma grade frontal exagerada. Sem dúvidas, é o melhor M3 de todos os tempos!


FICHA TÉCNICA

BMW M3 COMPETITION TRACK
Preço básico: R$ 757.950 (BMW M3 Competition) 
Carro avaliado: R$ 849.950

BMW M3 Competition Track
Motor: seis cilindros em linha 3.0, 24V, injeção direta, duplo comando variável, biturbo, intercooler
Cilindrada: 2993 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 510 cv a 6.250 rpm
Torque: 66,28 kgfm entre 2.750 e 5.500 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Direção: eletro-mecânica
Suspensões: duplo A (d) e multilink (t)
Freios: discos ventilados e perfurados (d/t)
Tração: traseira
Dimensões: 4,794 m (c), 1,903 m (l), 1,433 m (a)
Entre-eixos: 2,857 m
Pneus: 275/35 ZR19 (d) e 285/30 ZR20 (t) 
Porta-malas: 480 litros
Tanque: 59 litros
Peso: 1.805 kg
0-100 km/h: 3s9
Velocidade máxima: 290 km/h
Consumo cidade: 6,8 km/l
Consumo estrada: 13,1 km/l
Emissão de CO2: 234 g/km
Com etanol = 0 g/km
Nota do Inmetro: D*
Classificação na categoria: E (extra-grande)*
*estimado

 

Mais na Motor Show

+ Honda XRE 300 2022 estreia com novos grafismos
+ Vídeo flagra momento em que carro é engolido por buraco
+ Gasolina é mais vantajosa do que o etanol em todo o Brasil, aponta a ANP
+ Emerson Fittipaldi: em Nürburgring com o Porsche 917/10 da Can-Am
+ Comparativos históricos (2010): VW Polo GT vs. Fiat Punto Sporting
+ Carro Usado: Honda HR-V é um SUV para não esquentar a cabeça