Avaliação: Toyota SW4 é um SUV à moda antiga; vale a pena?

Você pode não precisar de um SUV raiz como o Toyota SW4 para andar na cidade grande, mas você pode precisar de um SUV raiz pra andar na cidade grande. Outro dia eu precisei. O metrô não ficou pronto, a rua continua alagando, o Ka não passou, o Renegade não passou. Já esse SW4 passou sem pestanejar, pois é um SUV raiz. Mas em versão nutella. Ou melhor, “Diamond”. São R$ 270.374, ou R$ 38 mil a mais que o SR de entrada, a diesel (esqueça o flex: anda pouco e gasta muito). E se até o Land Rover Discovery adotou o monobloco, um SUV com chassi ainda vale a pena?

Pelo valor desse Toyota SW4, não dá pra comprar um Discovery, mas sim um Discovery Sport HSE 2.0 TD4. Também a diesel e com sete lugares, é mais ágil e econômico por usar monobloco (além de ser mais potente). Porém o SW4 é maior, (muito) mais espaçoso e tem tanque maior, com mais autonomia. E essa não é a única vantagem.

Meu primo mora na Chapada dos Veadeiros. Se morasse lá, o SW4 seria meu carro (o dele é uma velha Hilux, picape que ainda dá origem ao SW4). Na Chapada, autonomia é vital, assim como a manutenção fácil – outra vantagem desse SUV raiz, com mecânica simples e conhecida – e menos eletrônica. E ainda tem fama de inquebrável, de carro de expedições. Não por acaso. Talvez por isso venda mais que Chevrolet Trailblazer e Mitsubishi Pajero Sport.

Seu eu o compraria morando em São Paulo? Sim, talvez fizesse a loucura, porque gosto de off-road e de visitar meu primo. Mas levaria o SRX, de R$ 253.500, adicionado da terceira fileira de bancos (R$ 6.060) – as crianças adoraram, e não roubam espaço “pendurados” nas laterais quando não em uso. Sentiria falta dos bancos ventilados, úteis no calor (no Cerrado ou na cidade), mas não dos detalhes dourados (não gostei), do couro claro (suja fácil e ficaria marrom em um dia em Goiás) e do som JBL (a central multimídia é a mesma, ruim). Mas mantém o que importa: ótimos faróis full-LED, saídas de ar no teto e boa mecânica.

Falando nela, há aletas para trocar marchas no volante e os modos Power e Eco, que mudam sensivelmente as respostas. Na cidade, o SW4 é grande e desajeitado, mas salvou da enchente e encarou os buracos sem dó, e pulando menos que o esperado. Na estrada não esbanja agilidade, mas tem torque de sobra e a 120 km/h marca 1.800 rpm e faz 12 km/l. Um carro para viagens longas, principalmente na Chapada, onde só há retas – o SW4 é ruim de curva, como todo SUV raiz. Outro defeito é o ruído do motor, sempre presente. Faz parte. Pelo menos você passa onde todos os outros carros – e muitos SUVs – ficam.


Contraponto

Por Evandro Enoshita | Repórter

Diferentemente do Flávio, não tenho um primo morando na Chapada dos Veadeiros. Pronto. Acabo de perder um dos pré-requisitos enumerados pelo meu colega para me tornar dono de um SW4. Brincadeiras à parte, essa seria realmente a única razão que me faria comprar o SUV da Toyota. Não questiono a reconhecida valentia do 4×4 feito na Argentina. Mas se, como eu, você não costuma enfrentar estradas de terra em condições lastimáveis, não se agrada com o estilo de rodar das picapes, ou nem pensa em atravessar uma enchente com o seu carro, não há sentido comprar um automóvel que é desengonçado para o uso na cidade e nem tão agradável para o uso em estradas asfaltadas.

Nem a lista bem recheada de equipamentos desse SW4 Diamond me faz mudar de opinião. Afinal, o que não faltam hoje são opções de utilitários esportivos tão bem equipados e (quase) do mesmo porte, porém bem mais civilizados e perfeitos para quem faz questão do estilo dos SUVs, não faz off-road pesado e não abre mão da dinâmica mais próxima dos carros de passeio. Ainda mais nessa faixa de preço.

COMPRE SE…
Você quer um SUV valente e com fama de indestrutível, que usa uma mecânica bem conhecida e sem muita eletrônica.
Sua prioridade é a sensação de sentar mais alto que os outros, para ter uma sensação de “superioridade” no trânsito.

NÃO COMPRE SE…
Procura refinamento ao rodar, silêncio na cabine e sistemas high-tech. Nesse caso, prefira um SUV de marca premium menor.
Você quer apenas um bom veículo com sete lugares para uso principalmente urbano. Há opções melhores (e mais em conta).

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES


Ficha técnica:

Toyota SW4 Diamond

Preço básico (diesel): R$ 232.390
Carro avaliado: R$ 270.374
Motor: 4 cilindros em linha 2.8, 16V, turbo, geometria variável
Cilindrada: 2755 cm³
Combustível: diesel
Potência: 177 cv a 3.400 rpm
Torque: 45,9 kgfm de 1.600 a 2.400 rpm
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: hidráulica
Suspensões: duplo A (d) e four-link (t)
Freios: disco ventilado (d/t)
Tração: 4×2 ou 4×4, reduzida, bloqueio eletrônico do diferencial traseiro
Dimensões: 4,795 m (c), 1,855 m (l), 1,835 m (a)
Entre-eixos: 2,745 m
Pneus: 265/60 R18
Porta-malas: 575 litros
Tanque: 80 litros
Peso: 2.130 kg
0-100 km/h: 12s8 (medição MOTOR SHOW)
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo cidade: 9 km/l
Consumo estrada: 10,5 km/l
Emissão de CO²: 208 g/km
Nota do Inmetro: D
Classificação na categoria: C (fora de estrada grande)

blog comments powered by Disqus