Avaliação: Um VW Fox Xtreme sem nada de extremo

O Volkswagen Fox Xtreme é a versão aventureira das duas configurações que sobraram depois da descontinuação do CrossFox, mas falta motor

49119

O Fox Xtreme, que nasceu para substituir o CrossFox, não tem absolutamente nada de extremo. Ao aposentar o CrossFox e reduzir a linha Fox a apenas duas versões (fora as da SpaceFox), a Volkswagen optou por ter uma configuração aventureira (Xtreme) e outra versátil (Connect). Nessa versão aventureira, a grande diferença em relação ao CrossFox é a ausência do estepe do lado de fora do porta-malas, uma solução que deixou de ser atraente para os consumidores.

Fazia tempo que eu não dirigia o Fox, por isso minha primeira impressão foi de que o carro é bem espaçoso por dentro. E de fato é mesmo – afinal, foi concebido “de dentro para fora”. Mas o Fox só é espaçoso para cima e não para os lados. Por isso, o preço estético a pagar pode ter custado a vida do carro, pois ele é alto e estreito. A própria Volks tem procurado enfatizar as vantagens do oposto, ou seja, carro baixo e largo. O novo Polo é assim. Mesmo assim, o Fox Xtreme tem um visual agradável e não fez feio em minha garagem nos dias em que foi “meu”. A favor do carro: meus pais andaram no banco de atrás e gostaram muito do espaço.

Dois pontos me levaram a concluir que eu não compraria um Fox Xtreme: o motor e a conectividade. A potência não é baixa (o motor 1.6 8V tem 104 cv), mas a relação peso/torque é sofrível. O carro verdadeiramente se arrasta em subidas. Muitas vezes é preciso engatar a primeira marcha para não passar vexame. Fora que o fato de não ter opção de câmbio automático também é ruim para quem vive em cidade com trânsito intenso, como São Paulo. Quanto à conectividade, o rádio é até amigável, muito simples de usar e agrada se não ficar desconfigurado.

Entretanto, ele estava desconfigurado e cada vez que eu entrava no carro tinha que selecionar novamente as rádios preferidas. Ele tem a vantagem de trazer o Android Auto/Apple CarPlay, mas na cidade eu prefiro ouvir rádio, saber das notícias. Minha conclusão é que o Fox Xtreme não passa de um paliativo para adiar a descontinuação do Fox. A Volkswagen não dá mostras de que pretende investir no desenvolvimento desse carro no futuro. O objetivo de manter o Fox em evidência por um tempo extra seria mais facilmente alcançável se a Volks pelo menos desse ao carro o mais moderno motor 1.6 16V de até 120 cv, também disponível na linha.


Ficha técnica:

Volks Fox Xtreme 1.6 MSI

Preço básico: R$ 54.990
Carro avaliado: R$ 54.990
Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 8V
Cilindrada: 1598 cm³
Combustível: flex
Potência: 101 cv a 5.250 rpm (g)e 104 cv a 5.250 rpm (e)
Torque: 15,4 kgfm a 2.500 rpm (g) e 15,6 kgfm a 2.500 rpm (e)
Câmbio: manual, cinco marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3.868 m (c), 1,660 m (l), 1,552 m (a)
Entre-eixos: 2,467 m
Pneus: 195/55 R15
Porta-malas: 270 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.061 kg
0-100 km/h: 10s6 (e)
Velocidade máxima: 181 km/h (g)e 183 km/h (e)
Consumo cidade: 9,1 km/l (g) e 6,5 km/l (e)
Consumo estrada: 11,2 km/l (g) e 7,8 km/l (e)
Emissão de CO²: 138 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: E (Compacto)


Contraponto

Por Evandro Enoshita

Os dois pontos que incomodaram ao Quinta no seu contato com o Volkswagen Fox Xtreme não me desagradaram. Motor e conectividade não chegam a ser “pecados mortais” nesse carro. Claro que o motor 1.6 16V do Polo seria perfeito para o modelo, mas o desempenho do 1.6 8V é condizente com a proposta. Minha relação com a central multimídia Composition Touch foi muito mais tranquila. O visual é simples, mas achei fácil de usar e, como não tenho o hábito de ouvir rádio no carro, utilizei facilmente o Android Auto.

De resto, penso que essa versão Xtreme do Fox é uma boa opção para aqueles que buscam um carro com visual aventureiro, com direito a adereços típicos do fora-de-estrada, rodas de liga leve aro 16 e faróis auxiliares de neblina e de longo alcance, mas pagando o preço das versões normais dos concorrentes. Se eu compraria um Volkswagen Fox? Compraria… só que iria optar pela versão Connect (R$ 49.990), que une um visual urbano ao mesmo conjunto mecânico. O projeto pode não ser dos mais atuais, porém o custo-benefício é muito interessante.

COMPRE SE…
Você tem pernas compridas e precisa de bastante espaço longitudinal, pois o Fox é espaçoso e alto.
Você quer incentivar a indústria nacional, já que o Fox é um projeto brasileiro, assim como o Gol.

NÃO COMPRE SE…
Pensa em fazer aventura ou se quer fazer algo mais extremo com o carro, uma vez que esse Fox é bastante comportado.
Pensa em ter na garagem um carro atual, pois esse modelo já passou da hora de ser renovado, mas a Volks não fará isso.

CONSIDERE TAMBÉM ESSES CONCORRENTES

blog comments powered by Disqus