Avaliação: Volkswagen e-up! é o elétrico que você poderá comprar

O Volkswagen e-up! deve ser o primeiro elétrico da marca no Brasil e ter um preço "atraente" para quem pensa em ter seu primeiro carro do tipo

Volkswagen e-up!
O e-up! se destaca mais pela largura do habitáculo do que pelo comprimento. O posicionamento das rodas nas extremidades da carroceria de fato otimiza o uso do espaço, tanto para os passageiros quanto para a bagagem

Já ameaçado de aposentadoria, o Volkswagen up! volta agora ao centro das atenções, mas como o elétrico Volkswagen e-up! O maior destaque está no preço: junto com os primos Seat Mii electric e Skoda Citigoe iV, este Volks é o elétrico mais barato (ou menos caro) da Europa. São € 23.350, mas, com promoções, vai a € 20.900, podendo cair mais com incentivos nacionais e locais. Se você quer um carro movido a eletricidade, ele é a solução mais econômica.

Por isso mesmo, o VW e-up! deve chegar ao Brasil no ano que vem como o abre-alas dos modelos elétricos da marca alemã no País – antes do SUV ID.4 e do médio ID.3 (leia avaliação). Em conversão direta e sem Imposto de Importação, são R$ 139 mil, um valor atraente mesmo com o real tão desvalorizado – e igual ao do chinês JAC iEV20, que é inferior em porte e outros pontos.

O preço aqui dependerá do dólar, agora em queda, mas não deve passar de R$ 160 mil. É muito? Sim, considerando que um up normal custa muito menos. Mas, para um elétrico, no Brasil, será uma opção “de entrada”. Se juntará a Fiat 500e e outros modelos.

Não apenas urbano

E isso não é tudo: o Volkswagen e-up! ficou ainda mais atraente este ano com a renovação da bateria, que agora tem simplesmente o dobro da capacidade em relação ao do ano passado. São 36,8 kWh, que se traduzem em um belo aumento da autonomia. Não serve, portanto, só para pequenos percursos urbanos típicos dos carros urbanos elétricos: é possível ir mais longe, com uma autonomia média de 205 quilômetros (285 se rodar só na cidade).

Em um uso normal, do morador médio de uma grande metrópole, nem é preciso conectar o carro à tomada da garagem para carregamento na garagem todas as noites: basta fazê-lo a cada três ou quatro dias. Para a clássica viagem de fim de semana, a possibilidade de recarregar a bateria usando um carregador rápido de corrente contínua é bastante útil: para ir de 20% a 80% da carga, são necessários cerca de cinquenta minutos.

A porta traseira toda de vidro, como nos up! TSI nacionais, é uma peculiaridade do e-up! em relação aos primos da Skoda e da Seat

+Carros elétricos vs. a combustão: mundos em choque
+Avaliação: revolucionário, Honda e nasceu para ser elétrico
+[EXCLUSIVO] Avaliação: ao volante do Fiat 500e, elétrico já confirmado para o Brasil
+Avaliação: irmão maior do Compass, Jeep Grand Cherokee continua ótimo (o problema é a concorrência)
+Jeep Compass vs. Ford Territory e Chevrolet Equinox (comparativo)

Só um pedal

Para quem vive nas grandes cidades e usa uma garagem (ou um estacionamento) com tomada disponível, o Volkswagen e-up! é bem atraente. Dirigir no trânsito é muito fácil: sem marchas, sem atrito e com grandes janelas que facilitam a percepção do espaço. E há a possibilidade de ajustar a frenagem regenerativa em cinco níveis as aletas (normalmente para trocas de marchas). Na mais enérgica, o uso do pedal do freio torna-se ocasional e a condução pode ser toda administrada apenas com o pedal do acelerador.

Por outro lado, o Volkswagen e-up! não é um dragster: são apenas 83 cv, ainda que a típica prontidão dos motores elétricos faça com que, no semáforo, você arranque sem complexos de inferioridade: o e-up! sai com brilho admirável, e as retomadas são muito rápidas (graças ao torque de 21,6 kgfm, mais do tem um Polo 1.0 TSI). E como as suspensões absorvem bem as irregularidades típicas do asfalto urbano (piores no Brasil), os ruídos são quase ausentes. Assim, o pequeno Volkswagen se sente particularmente à vontade nos grandes centros urbanos.

Não que fora da cidade o Volkswagen e-up! seja inadequado: mesmo na autoestrada, o conforto continua bom, dado que ruídos aerodinâmicos e de rolamento dos pneus se mantêm bem baixos. Como na época do Fusca, a velocidade de cruzeiro coincide com a velocidade máxima, de 130 km/h. Nesse ponto, não é preciso se preocupar com multas e radares, mas apenas com a autonomia: a essa velocidade, ela cai rapidamente. A exatos 110 km/h, a carga da bateria se esgota em menos de 150 quilômetros.

Nessas condições, obviamente, até o custo de operação, ou melhor, a recarga, sobe um pouco: o consumo abaixo de 4 km/kWh se traduz em um gasto maior, variando de € 5 a € 12,50 (o equivalente a R$ 33 a R$ 83) a cada 100 quilômetros.

A diferença varia conforme o preço da eletricidade. Mas a situação é muito melhor na cidade, onde se viaja 100 quilômetros por apenas R$ 17 (pouco mais de um bilhete de trem, na Europa).

Básico, mas de qualidade

Agora, vamos à cabine. Avaliando a relação entre as dimensões externas e o espaço interno, o resultado é bastante positivo: em 3,60 metros de comprimento – lembrem-se que o up! europeu é menor do que o nosso –, quatro adultos viajam com conforto, desde que não sejam muito altos, considerando que o espaço para as pernas de quem vai atrás não é tão amplo assim.

O porta-malas do Volkswagen e-up! também é apenas satisfatório: o volume não é tão grande (203 litros), mas o piso é ajustável e há um compartimento para acomodar os cabos de alimentação da bateria. O conjunto, porém, revela a idade avançada do projeto (o up! nasceu em 2011) e sua abordagem minimalista: há grandes áreas de chapa à vista, as janelas traseiras são basculantes e o plástico rígido domina tudo. Mas tudo é bem feito e bem montado, como é tradição da marca.

Bateria
Muito mais energia

Ainda no planejamento do projeto, a Volkswagen já havia decidido que o up! também teria uma versão elétrica. Isso permitiu encontrar espaço para as grandes baterias sem comprometer o espaço e o porta-malas, idênticos aos dos irmãos (europeus) com motor a gasolina. A atualização deste ano trouxe a duplicação da capacidade da bateria. O aumento foi possível graças a seu redesenho: agora ela é feita de “células-sacos” em vez das prismáticas usadas anteriormente. Assim, o aproveitamento do espaço da bateria é melhorado e o layout dos módulos também é diferente. Então, apesar da duplicação da capacidade de carga disponível, o volume total foi reduzido em 20 litros, enquanto o peso aumentou só 15 quilos, chegando a 248 quilos. Isso se traduz em um aumento significativo na densidade de energia, que quase dobrou (de 0,08 kWh/kg para 0,15 kWh/kg). A Volkswagen garante a bateria por oito anos ou 160 mil quilômetros; a substituição é fornecida se a capacidade residual cair abaixo de 70%. Outra inovação técnica importante do e-up renovado! é a possibilidade de usar estações de carregamento rápido, com potência máxima de 40 kW: uma vantagem ainda mais importante, dada a duplicação do tamanho da bateria (que obviamente requer tempos de carregamento longos – são 17h em tomada comum). Como a carroceria é compartilhada com as versões térmicas, o arranjo mecânico não muda – o motor elétrico síncrono de ímã permanente aciona as rodas dianteiras por meio de uma caixa redutora simples.Volkswagen e-up!


Volkswagen e-up!

Preço básico (europa)R$ 139.000
Carro avaliado
R$139.000

Motor: dianteiro, elétrico síncrono, ímã permanente
Combustível: a bateria Potência: 83 cv
Torque: 21,6 kgfm
Câmbio: caixa redutora fixa
Direção: elétrica Suspensões: McPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3,60 m (c), 1,65 m (l), 1,49 m (a)
Entre-eixos: 2,421 m
Pneus: 185/50 R16
Porta-malas: 251 litros
Capacidade de carga: 32,3 kWh
Peso: 1.235 kg
0-100 km/h: 11s1 (QRT)
Vel. máxima: 131 km/h (QRT)
Consumo: 6,9 km/kWh (declarado) – 5,5 km/kWh (QRT)
Emissão de co2 zero g/km 100% elétrico
Autonomia (WLTP): 260 km (declarada) = 205 km (QRT)

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel