Avaliação: Volvo XC40 2020 tem bons equipamentos e versão híbrida

As grandes novidades da linha Volvo XC40 2020 ficam por conta das novas versões, incluindo uma híbrida plug-in. Tudo para enfrentar os rivais alemães

Volvo XC40 T4 Momentum (Foto: Rafael Poci Déa)

O Volvo XC40 2020 chegou. O SUV teve mais de cinco mil unidades comercializadas no Brasil desde abril de 2018, e gora ganha novidades para contra-atacar os alemães: o reestilizado BMW X1 (leia mais), o recém-atualizado Audi Q3 (confira a avaliação) e a nova geração do Mercedes-Benz GLA (veja aqui).

Uma das grandes novidades do  Volvo XC40 2020 está na versão de entrada T4, que ganhou o apelido Momentum (R$ 179.950). Além disso, a antiga T5 Momentum virou T4 Inscription (R$ 196.950), e a topo T5 R-Design virou T5 PHEV R-Design (em pré-venda por R$ 229.950).

A Já a grande novidade do Volvo XC40 T5 é que ela mudou também de mecânica, passando a ter uma opção híbrida: no lugar do motor 2.0 turbo, um novíssimo três cilindros 1.5 também turbinado, mas associado a um motor elétrico: potência e torque combinados são de 265 cv e 43,3 kgfm, respectivamente. Voltaremos a ele.

DE ENTRADA, PORÉM EQUIPADA

O Volvo XC40 2020 na versão T4 Momentum já traz uma boa lista de série. Entre eles, ar-condicionado de duas zonas, carregamento de celular por indução, multimídia de 9” e Android Auto/Apple CarPlay, áudio de 250W de potência, bancos frontais ajustáveis eletricamente, quadro de instrumentos digital com tela de 12,3”, sistema de manutenção em faixas com assistente de direção, sensores de estacionamento dianteiros/traseiros, câmera de ré, assistente de farol alto e o City Safety, que evita acidentes contra veículos, pedestres e animais de grande porte. 

A cabine do Volvo XC40 T4 Momentum ficou mais sofisticada ao adotar um padrão em duas tonalidades, acabamentos em preto brilhante e alumínio, 12 spots de iluminação e entrada/partida sem chave. A reprodução cartográfica de Gotemburgo (cidade-sede da Volvo) não está mais no presente no painel e nas laterais de portas.

Feito sobre a plataforma modular CMA (Compact Modular Arquitecture), o Volvo XC40 mede 4,425 m de comprimento, 1,863 m de largura, 1,652 m de altura e 2,702 m de entre-eixos. Só para comparar, a nova geração do Audi Q3 (preços entre R$ 179.990 e R$ 209.990) mede 4,484 m de comprimento, 1,849 m de largura, 1,616 m de altura e 2,680 m de entre-eixos. O porta-malas do XC40 acomoda 460 litros contra 530 do Q3.

CONSUMO SURPREENDENTE

Tanto o XC40 T4 Momentum quanto  o T4 Inscription trazem o motor de quatro cilindros 2.0 turbinado da família Drive-E associado ao câmbio automático Geartronic de oito marchas para entregar 192 cv de potência e 30,59 kgfm de torque.

Não tão intempestivo quanto o antigo Volvo XC40 T5 (254 cv e 35,7 kgfm), o XC40 T4 Momentum prioriza uma condução mais progressiva. As oito marchas são passadas brevemente e a 60 km/h é possível andar com a sexta engatada em trajetos urbanos auxiliando no consumo.

Durante a nossa avaliação o Volvo XC40 2020 marcou médias de consumo de 12 km/l (trânsito congestionado). Dirigindo na estrada e sem trânsito em oitava marcha, o computador de bordo chegou a indicar médias de 19,2 km/l.

Ajuda na economia de combustível a função Coasting, ativada no modo de condução ECO, que aciona o “ponto morto” eletrônico do câmbio ao dirigir em velocidade constantes e aliviar o pé do pedal do acelerador. O Start-Stop desliga o motor durante breves paradas, como nos semáforos

AO GOSTO DO MOTORISTA

Outros programas disponíveis são o Comfort (uso cotidiano), o Off-Road (para enfrentar estradas irregulares) e o Dynamic. Neste último, as reações ficam mais espertas acompanhadas de rápidas mudanças de marchas. Falando nisso, as trocas sequenciais são feitas ao movimentar a alavanca de câmbio para esquerda/direita. Já a tração é apenas no eixo dianteiro. 

O seletor do modo de condução é um discreto botão no console de estilo clean. (Rafael Poci Déa)

Não só os quatro programas de condução mudam o motor/transmissão, como a direção fica macia ou firme. Em ambos os casos, o peso correto coopera na dirigibilidade, além da elogiável calibração das suspensões. Elas não só controlam muito bem a rolagem da carroceria nas curvas contornadas mais rapidamente, como também asseguram conforto em nosso esburacado asfalto. 

As rodas de 19” presentes no Volvo XC40 2020 tanto nas versões Momentum quanto Inscription não roubam o conforto dos ocupantes tampouco emitem barulho de rolagem para dentro do habitáculo. Aliás, palmas para o ótimo isolamento acústico do interior. Com tantas qualidades, não é à toa o XC40 2020 irá incomodar os rivais alemães.

TAMBÉM HÍBRIDO

Assim como os irmãos XC60 e XC90, o Volvo XC40 ganhou uma variante híbrida. Como já dissemos, ela entra no lugar da configuração XC40 T5 R-Design e utiliza um motor de três cilindros 1.5 turbinado associado a propulsor elétrico. Estão disponíveis 182 cv de potência e 27,02 kgfm de torque, enquanto o propulsor elétrico entrega 83 cv e 16,31 kgfm – ele sozinho é capaz de oferecer uma autonomia de até 47 km. 

O XC40 eletrificado chega em boa hora, pois, segundo o fabricante, a previsão para este ano é de que 43% dos Volvos vendidos no Brasil sejam híbridos. Ao contrário dos irmãos maiores XC60 e XC90 T8, o XC40 híbrido não possui tração nas quatro rodas por conta do motor elétrico estar instalado no eixo dianteiro. A transmissão dessa configuração é de dupla embreagem e sete marchas. 

Estão disponíveis os modos de condução Hybrid (combina o motor elétrico e combustão), Pure (100% elétrico), Power (condução esportiva), Off-Road (para o fora-de-estrada entre 20 e 40 km/h) e Individual.

Também estão disponíveis os botões Hold (bloquia a quantidade de energia presente na bateria para ser utilizada posteriormente) e Charge (recarrega a bateria por meio do motor a combustão). Em breve, contaremos como é a dirigibilidade do novo integrante da família XC40. Fique ligado!


FICHA TÉCNICA 

VOLVO XC40 T4 MOMENTUM
Preço básico: R$ 179.950
Carro avaliado: R$ 179.9500

Motor:
 4 cilindros em linha 2.0, 16V, turbo, injeção direta
Cilindrada: 1969 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 192 cv a 4.700 rpm
Torque: 30,59 kgfm entre 1.300 e 4.00 rpm
Câmbio: automático, oito marchas
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson (d) e multilink (t)  
Freios: Disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: Dianteira
Dimensões: 4,425 m (c)1,863 m (l), 1,652 m (a)
Entre-eixos: 2,702 m
Pneus: 235/50 R19
Porta-malas: 460 litros
Tanque: 54 litros
Peso: 1.648 kg
0-100 km/h: 8s4
Velocidade máxima: 210 km/h 
Consumo cidade:  9,5 km/l
Consumo estrada: 11,9 km/l
Emissão de CO2: 130 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: C (Utiliário esportivo grande)

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga