Avaliação: Volvo XC40 Momentum 2021, híbrido plugável mais barato do Brasil, é o melhor de dois mundos

Testamos o Volvo XC40 Momentum, nova versão de entrada do SUV que agora aposta só em versões híbridas – e do tipo plug-in, capaz de rodar 50 km só com eletricidade

Volvo XC40 Momentum 2021

O Volvo XC40 híbrido já avaliamos antes, mas na sua versão topo de linha R-Design (leia mais aqui), que hoje custa R$ 279.950. Ele era o único híbrido da gama, mas agora isso mudou: toda a linha 2021 tem a mecânica que une um motor elétrico a outro a gasolina – e o Volvo XC40 Momentum 2021 que avaliamos aqui é a nova opção de entrada do SUV compacto premium, e também o híbrido plugável mais barato do Brasil.

O nome oficial agora é Volvo XC40 Recharge Momentum, e seu preço sugerido é de R$ 244.950 – praticamente o mesmo valor de um Toyota RAV4 (R$ 243.940, dependendo da cor), que também é híbrido, mas não tem a mesma sofisticação nem o mesmo status de “premium”. E mais: não é plugável, ou plug-in, como preferem alguns.

O sobrenome Recharge foi adicionado justamente para isso: valorizar a diferença para híbridos como os Toyota Corolla e RAV4, que, diferentemente deste novo Volvo XC40 Momentum 2021, não podem ser plugados na tomada (ou em um carregador rápido de rua) e recarregados. E qual seria a vantagem disso?

Para começo de conversa, se os carros híbridos alvejam a economia, o Volvo XC40 Momentum 2021 é muito melhor nisso do que o Toyota RAV4: o programa PBEV/Inmetro aponta consumos de decepcionantes 14,3 km/l na cidade e 12,8 km/l na estrada para o Toyota RAV4, com 96 g/km de CO2, enquanto o Volvo XC40 Momentum 2021, nos mesmos testes, faz 24,5 e 22,3 km/l, respectivamente, e emite apenas 26 g/km.

Vale frisar aqui que o consumo de carros híbridos varia muito conforme percurso, modo de condução e outros fatores: com o Toyota RAV4, marcamos em nossos testes 18 km/l na cidade e 15 na estrada, números melhores que o do Inmetro, enquanto com o Volvo XC40 conseguimos marcas bastante semelhantes às oficiais – ou muito melhores do que isso, dependendo do trajeto. Já volto a isso.

Para completar, o Volvo XC40 ainda é mais econômico, mais potente e mais rápido do que o Toyota, e também mais do que qualquer outro concorrente mais tradicional – o trio alemão formado por Audi Q3, BMW X1 e Mercedes-Benz GLA – em versões de preços similares (eles ainda não têm opções híbridas). 

+Avaliação: Mercedes GLA 2021 oferece motor 1.3 e visual esportivo por R$ 325.900; vale a pena?

A MECÂNICA

O Volvo XC40 Momentum 2021 combina um motor tricilíndrico 1.5 turbo de 180 cv a outro elétrico, de 82 cv – no total, são 262 cv e respeitáveis 43,3 kgfm transmitidos às rodas dianteiras por um câmbio de dupla embreagem e sete marchas (0-100 km/h em 7s2). Seguindo a comparação, o RAV4 tem três motores, um deles traseiro, garantindo a tração 4×4, mas são “só” 222 cv e 22 + 12,5 kgfm (que não se somam como neste Volvo)

Mas a grande vantagem em relação a híbridos “comuns”, repito, é justamente ser plug-in/plugável. Tendo onde carregá-lo, o que leva três horas em um carregador rápido ou uma noite em qualquer tomada comum, o consumo é mais baixo do que o revelado pelo Inmetro. Na verdade, pode ser até zero no uso urbano e cotidiano, pois o SUV é capaz de rodar até 50 km no modo 100% elétrico.

+Carros híbridos: veja como funcionam os quatro tipos e confira os mais vendidos do Brasil
+Chevrolet revela o Bolt EUV, seu primeiro SUV elétrico, que vem ao Brasil
+Audi e-tron vs. Jaguar I-Pace: um comparativo dos SUVs elétricos que adiantam o futuro
+Avaliação: Honda HR-V 2021 mostra as virtudes de um carro maduro

O CONSUMO, NA PRÁTICA

Se você não usa o modo elétrico, o consumo vai depender, e muito, dos trajetos que você faz. Quando não estou testando carros, não costumo circular mais que 30 quilômetros diários, então poderia viver apenas do modo elétrico. Para isso, basta selecionar o modo de condução Pure – que agora só ativa o motor a combustão no caso do kick-down (quando se pisa fundo no acelerador)

Já no modo de condução híbrido, não fossem as boas indicações no painel, mal se notaria a divisão de trabalho entre os motores (mas há situações que chamam a atenção, como as saídas silenciosas do pedágio quando se vai da imobilidade a mais de 100 km/h sem nem ligar o motor a combustão). 

Em trajetos urbanos de 15 a 20 quilômetros, minhas médias de consumo neste modo ficaram entre 50 e 75 km/l durante meus testes práticos – isso porque o Volvo XC40 Momentum, enquanto há carga na bateria, prioriza o uso dela.

Saindo de casa de bateria cheia, a carga acabou só depois de rodar 75 quilômetros dentro da cidade – e, coincidentemente, essa mesma distância na estrada (deu para ir de São Paulo até Itatiba). Em ambas as situações, a média final de consumo ficou na faixa de impressionantes 25 km/l.

BATERIA DESCARREGADA

Quando a bateria do Volvo XC40 Momentum 2021 se descarrega, as coisas mudam de figura. De ultraeconômico, o SUV passa a ter um consumo relativamente “normal”, principalmente na estrada.

Rodando até 100/150 quilômetros, a média ainda ficou acima de 16 km/l, ajudada pelo primeiro trecho que teve a maior ajuda elétrica. Mas, obviamente, depois disso, quanto mais você roda sem recarregar, mais a média cai. Ou seja, a vantagem do híbrido se perde em viagens mais longas (sem recargas pelo caminho).

Zerando o computador de bordo após acabar a bateria, a média, circulando a 120 km/h, ficou na faixa de 13 km/l, mais ou menos o que faz um SUV equivalente tradicional, movido só a gasolina. 

Nessa situação, na prática mal se nota diferença no desempenho (porque a ajuda elétrica ainda vem quando se precisa, de um “reserva estratégica” da bateria, sempre mantida). E, mesmo totalmente sozinho, o três cilindros turbo daria bem conta do recado – e mal se nota a vibração e ruído normalmente visto nos três-cilindros.

Também com a bateria descarregada, no trânsito pesado da cidade de São Paulo o Volvo XC40 Momentum marcou médias de 12 km/l – nada ruim, considerando que neste cenário um SUV de potência e porte equivalentes não costuma fazer mais do que 7 km/l (como o próprio XC40 2.0 turbo antigo fazia).

CARREGAMENTO ALTERNATIVO

O melhor modo de carregar o Volvo XC40 Momentum 2021 é na tomada, mas por meio da tela central é possível escolher o modo Charge (carga).  Com este modo acionado, além da recarga feita sempre pela energia recuperada em frenagens pelo motor elétrico (na verdade, um motor-gerador), o motor a combustão também passa a mover este sistema  gerador, ajudando a carregar as baterias.

O modo Charge é bom para ser usado na estrada, por exemplo, antes de chegar à cidade: sem afetar muito o consumo rodoviário, ele ajuda a garantir a carga na bateria ao chegar à cidade, para gastar menos e poluir menos no cenário que é mais vantajoso para os híbridos. E ainda há o modo B, que apenas aumenta o freio motor(-gerador) para carregar mais no anda e para do trânsito, e ajuda a dirigir “com um pedal só”.

Você também pode acionar o Hold (segurar) se for pegar estrada e quiser deixar a carga da bateria para quando chegar na cidade. Ele preserva a energia que há na bateria, mantendo o nível mais alto, e ainda assim atuando como híbrido quando possível (fiz médias de 11 a 12 km/l na estrada neste modo).

Volvo XC40 Momentum 2021

ECONÔMICO, MAS PODEROSO

Falei em 262 cv e 43,3 kgfm, mas, depois disso, quase só falei de consumo. Sim, um carro híbrido deve ser econômico acima de tudo, mas isso não significa que não possa ser esportivo quando se deseja.

Para isso há o modo Power. Nele, os dois motores passam a trabalhar em conjunto para dar tudo pelo desempenho. A prova de 0-100 km/h é vencida em 7,2 segundos e, melhor que isso, não há lag do turbo, pois o motor elétrico está sempre ali para ajudar nos momentos mais importantes.

Nesta situação, o Volvo XC40 Momentum 2021 fica extremamente rápido, e ainda há a opção de colocar o câmbio em B e deslocar a alavanca para os lados, o que aciona o modo sequencial, permitindo trocar entre as sete marchas – mas, apesar do desempenho de esportivo, faltam aletas no volante para deixar as trocas mais na mão, literalmente.

O problema, nesta situação, é que o alto peso do carro e somado a suspensões que não são exatamente calibradas para a dinâmica – ainda mais nesta versão; a topo de linha R-Design tem um ajuste mais esportivo, além de rodas aro 20 com perfil mais baixo.

O Volvo XC40 apoia bem nas curvas, mas apenas depois de a carroceria se inclinar um pouco mais do que se deseja, com um tendência a sair de frente que é imediatamente corrigida ao se aliviar o pé direito. E a direção poderia ser mais rápida e precisa. O Volvo XC40 está longe de ser ruim dinamicamente, mas neste ponto também não impressiona.

+Carros híbridos: veja como funcionam os quatro tipos e confira os mais vendidos do Brasil
+Avaliação: Volvo XC60 Polestar é um híbrido poderoso

Volvo XC40 Momentum 2021

SUV APENAS URBANO?

A maior decepção vem na hora de encarar estradas de terra ruins. Não que seja essa a proposta – ele é um SUV urbano com tração apenas dianteira –, mas muitos rivais aceitam melhor os pisos acidentados.

O problema não está na altura livre do solo, de excelentes 21,1 cm, que garante passar livre de raspadas em facões ou pedras mais altas. A frenagem na terra também surpreende pela atuação precisa do ABS.

As críticas aqui vão apenas ao nível de ruído da suspensão, que não aceita bem os buracos em velocidades um pouco maiores, mesmo com os pneus um pouco mais borrachudos (235/50) desta versão Momentum. E claro que, sem tração nas quatro rodas, não se pode arriscar muito – como é o caso de 90% dos “SUVs” de hoje.

DE ENTRADA, MAS MUITO BEM EQUIPADO

Ser a versão de entrada, no caso do Volvo XC40 Momentum 2021, não significa ser pelado. Em relação à configuração intermediária Inscription (R$ 274.950), ele perde alguns itens: teto panorâmico, direção semiautônoma (essa dá para instalar em concessionária), cinco alto-falantes (tem “só” oito), leitor de placas, bancos dianteiros com ajuste de comprimento do assento, alertas de ponto cego e de colisão traseira, chave com memória do motorista, ACC, faróis direcionais, faróis de neblina, lavadores de faróis e tampa do porta-malas motorizada.

Volvo XC40 Momentum 2021

Ainda assim, o Volvo XC40 Momentum vem com itens como assistente ativo de manutenção em faixa, alerta de colisão frontal com frenagem automática, sensor de chuva, retrovisores eletrocrômicos (interno e externos), luz alta automática, bancos de couro, ar bizona, carregador de celular sem fio, painel digital configurável (mas não muito) e muito mais. Não faltam equipamentos. Aliás, há mais que em versões top de alguns dos rivais.

De negativo, o banco traseiro é ideal para dois, pois as baterias deixam o túnel central muito elevado. Sobra espaço para as pernas, mas as janelas laterais são pequenas, os assentos são curtos e o encosto, um pouco vertical demais (para liberar espaço no bom porta-malas de 460 litros).

Volvo XC40 Momentum 2021

Além disso, apesar de o painel ser bonito e a tela central ser grande, a navegação não é das mais simples, distraindo demais o motorista mesmo para certas funções básicas. O Android Auto não se integra bem ao sistema, ficando com uma imagem muito pequena, e, no cluster aparecem apenas informações de música, não de navegação.

O CENÁRIO IDEAL

No fim das contas, o Volvo XC40 Momentum 2021 oferece um pacote bem atraente. A lista de equipamentos é caprichada, o acabamento e o visual agradam… Mas o maior destaque certamente está na mecânica capaz de ir da máxima economia a um desempenho brutal ao toque de um botão.

O cenário ideal para o Volvo XC40 híbrido é um uso principalmente urbano, com viagens de até 150 quilômetros no final de semana. Ou, ainda, alguém que more em “cidades dormitórios”, em um raio de 100 quilômetros da capital, e use o carro para ir e voltar diariamente ao trabalho. 

Neste caso, com um carregador em casa e um no escritório, você consegue viver sempre fazendo médias na faixa de 25 km/l ou mais, sem se preocupar com a autonomia em viagens ocasionais mais longas (como aconteceria com um elétrico). Por enquanto, entre o mundo dos carros a combustão e o dos elétricos, este Volvo XC40 Momentum 2021 entrega.


FICHA TÉCNICA

Volvo XC40
Preço básico: R$ 244.950
Carro avaliado: R$ 244.950

Volvo XC40 Recharge Momentum 2021

Motores: três cilindros em linha 1.5, 12V, turbo, injeção direta, start-stop + elétrico
Cilindrada: 1477 cm3
Combustível: gasolina + bateria
Potência: 180 cv + 82 cv = 262 cv a 5.800 rpm
Torque combinado: 43,3 kgfm de 1.500 a 3.000 rpm
Câmbio: automatizado, dupla embreagem, sete marchas
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson (d) e multilink (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,425 m (c),1,863 m (l), 1,652 m (a)
Entre-eixos: 2,702 m
Pneus: 235/50 R19 (R-Design: 245/45 R20)
Porta-malas: 460 litros
Tanque: 49 litros
Peso: 1.871 kg
0-100 km/h: 7s3
Velocidade máxima: 205 km/h (limitada a 180 km/h)
Consumo cidade: 24,5 km/l
Consumo estrada: 22,3 km/l
Emissão de CO2: 26 g/km
Consumo nota: A
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Grande)

VEJA O VOLVO XC40 R-DESIGN PARA COMPARAÇÃO:

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel