Avaliação: VW Gol ganha novo ingrediente com câmbio automático

Veterano, mas bom de loja, o VW Gol acaba de ganhar câmbio automático. E com preço competitivo para incomodar a concorrência

6772

A atual geração do Volkswagen Gol é um fenômeno. Apesar das várias reestilizações, o modelo já soma dez anos de mercado e, ainda assim, briga com o irmão bem mais novo Polo pelo posto de carro mais vendido da marca alemã no Brasil. Não surpreende, já que mesmo depois de uma década o modelo ainda se destaca pelo bom custo-benefício e pela dinâmica muito bem acertada. E com o lançamento da versão 1.6 com câmbio automático, a Volks adiciona mais um ingrediente nessa mistura, que ainda mostra potencial para alterar o equilíbrio do segmento de hatches compactos.

O Gol 1.6 automático chega para ser a configuração topo de linha, hoje composta também pelas versões 1.6 manual e 1.0 manual. Por fora, o visual é exatamente o mesmo do restante da linha 2019, que adotou para-choque frontal, capô e faróis da picape Saveiro. O único discreto diferencial para o 1.6 manual é o logotipo “Automatic” na tampa do porta-malas. Mas, sob o capô, a Volkswagen optou por combinar o câmbio automático de seis marchas AQ160-6F, que conta com modo esportivo e opção de trocas manuais pela alavanca e por borboletas, ao motor 1.6 16V da família EA 211, que desenvolve 110/120 cv de potência (gasolina/etanol). Trata-se de um conjunto atual e que também é empregado no recém-lançado Polo 1.6 MSI AT, tendo como única diferença a calibração específica para o Gol.

Com essa mecânica, o Gol automático acelera de 0-100 km/h em 10,1 segundos e atinge 185 km/h de velocidade máxima. Números que estão dentro da média do segmento. As principais virtudes desse carro aparecem no uso diário. Rodamos cerca de 300 km com o modelo, em trajetos urbanos e rodoviários, e o Gol com câmbio automático se destacou pelas rápidas (e ao mesmo tempo suaves) trocas de marcha. Bem elástico e com bom torque desde as rotações mais baixas, o propulsor praticamente dispensou o uso do modo esportivo do câmbio, quando as trocas são feitas de maneira mais áspera e em rotações mais altas. Para os momentos de condução mais esportiva, as trocas de marcha sequenciais (na alavanca ou nas borboletas atrás do volante) dão conta do recado e ajudam a amplificar a diversão.

No restante, o automático é muito parecido e continua tão agradável de dirigir quanto o Gol 1.6 com câmbio manual, o que é uma boa notícia para os fãs do modelo. De acordo com a Volkswagen, apenas a suspensão dianteira foi recalibrada (ficou mais firme) para suportar os 57 kg adicionais do novo conjunto motriz. Já a direção hidráulica é firme e precisa em altas velocidades, embora não tenha a mesma maciez dos conjuntos com assistência elétrica nas manobras de estacionamento.

Com preço inicial de R$ 54.580, esse Gol traz de série ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, rodas de aço de 15”, direção hidráulica, travas elétricas, vidros dianteiros elétricos e preparação para som. Completo como o carro das fotos, o carro sai por R$ 59.680, valor que inclui os R$ 3 mil do pacote Urban Completo de opcionais (rodas de liga leve, retrovisores e maçanetas na cor da carroceria, alarme, espelhos retrovisores elétricos com função tilt down do lado direito, repetidores de seta nos retrovisores, sensores de estacionamento traseiros, vidros elétricos traseiros, tampa do porta-malas com abertura elétrica, chave canivete com controle remoto, faróis principais duplos, faróis de neblina, duas luzes de leitura na dianteira, duas na traseira e coluna de direção com regulagem de altura e profundidade), além do sistema multimídia Discover Media de R$ 2.100 (compatível com Android Auto e Apple CarPlay e que vem em um pacote com computador de bordo e volante multifuncional).

Preço competitivo e que coloca o Gol na mesma faixa do Chevrolet Onix Advantage (R$ 54.790), Toyota Etios Hatch X (R$ 53.810) e do recém-lançado Ford Ka SE 1.5 AT (R$ 56.490), todos com nível de equipamento semelhante. A única ressalva fica por conta dos itens de segurança, que, além dos obrigatórios ABS e airbags duplo, oferece apenas alerta sonoro e visual para o cinto de segurança do motorista e apoio de cabeça para os três passageiros do banco traseiro. Ficam de fora os cintos de três pontos para todos os ocupantes, isofix (presentes nas versões citadas dos três concorrentes) e os controles eletrônicos de tração e estabilidade, que só o Etios X tem. Reflexos da plataforma antiga do Gol.


Voyage também é automático

Além do Gol, o Voyage também ganhou a opção do câmbio automático de seis marchas. O sedã traz exatamente o mesmo conjunto motriz do hatch, mas graças à carroceria mais aerodinâmica é mais veloz, atingindo os 190 km/h de velocidade máxima. Com preço de R$ 59.990, tem os mesmos itens de série e opcionais do Gol. Como concorrentes, irá enfrentar o Ford Ka Sedan, na versão SE 1.5 AT, e o Chevrolet Prisma Advantage, que curiosamente custam os mesmos R$ 59.990.


Ficha técnica:

Volkswagen Gol 1.6 AT

Preço básico (AT): R$ 54.580
Carro avaliado: R$ 59.680
Motor: 4 cilindros em linha 1.6, 16V, comando variável
Cilindrada: 1598 cm³
Combustível: flex
Potência: 110 cv a 5.750 rpm (g) e 120 cv a 5.750 rpm (e)
Torque: 15,8 kgfm (g) e 16,8 kgfm (e) a 4.000 rpm
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: hidráulica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: discos ventilados (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 3,892 m (c), 1,656 m (l), 1,474 m (a)
Entre-eixos: 2,467 m
Pneus: 195/55 R15
Porta-malas: 285 litros
Tanque: 55 litros
Peso: 1.040 kg
0-100 km/h: 10s7 (g) e 10s1 (e)
Velocidade máxima: 179 km/h (g) e 185 km/h (e)
Consumo cidade: 11,1 km/l (g) e 7,7 km/l (e)
Consumo estrada: 13,6 km/l (g) e 9,6 km/l (e)
Emissão de CO²: 110 g/km
Nota do Inmetro: B*
Classificação na categoria: B (Compacto)*

blog comments powered by Disqus