Avaliação: VW Golf Comfortline 200 TSI ganha nova chance com câmbio automático

Ao contrário do que se esperava, o Golf 1.0 TSI não foi um sucesso de vendas, mas agora ganha um câmbio automático para tentar de novo

38765
Pedro Danthas

A Volkswagen surpreendeu o mercado ao apresentar várias novidades na linha 2018 do Golf. Afinal, não é toda hora que se investe numa categoria de carros condenada à extinção. A menos que o fabricante veja uma sobrevida para aquele nicho e trate de se adequar à realidade. Foi o que fez a Volks. Apesar de ter emplacado apenas 1.431 carros de janeiro a maio, o Golf tem 24% de participação entre os hatches médios, atrás do Chevrolet Cruze e à frente do Ford Focus. Para a Volkswagen, portanto, ainda vale a pena investir no Golf. Mas com um detalhe: ele tem que ser um carro de alto padrão, para atender clientes específicos. E assim surgiu o Golf Comfortline 200 TSI Automático, um nome pomposo para esconder que esse carro de R$ 91.790 usa o mesmo motor 1.0 TSI do pequenino Up e do Polo.

Com o downsizing dos motores e novas tecnologias que deram muito mais potência aos motores turbinados, a indústria automobilística parou de focar na cilindrada. Assim como no Polo, o 200 TSI do Golf Comfortline indica os 200 Nm de torque, equivalentes a 20,4 kgfm, que estão disponíveis de 2.000 a 3.500 rpm. Esse motor (que subiu de 125 para 128 cv de potência devido à nova calibração) não é novidade na linha Golf. Mas o câmbio automático de seis velocidades na versão de entrada é. Trata-se da caixa AQ250-6F, que é a mesma do Golf Highline 250 TSI (antigo 1.4), com conversor de torque e trocas sequenciais. Junto com essa transmissão, o Golf ganhou mais conteúdo. O resultado é um carro completo, com sete airbags, frenagem pós colisão, assistente de partida em subida, luzes diurnas de LED, câmera de ré, volante multifuncional com borboletas, controle de pressão dos pneus, sensor de chuva e outras tecnologias.

O Golf Comfortline 200 TSI só tem dois opcionais: teto solar panorâmico (R$ 4.800) e rodas de liga leve de 17” (R$ 2.450). As rodas originais são de 16”, também de liga leve. O carro não tem mais versão com câmbio manual. Para a Volkswagen, o prazer ao dirigir agora está muito mais associado ao conforto das trocas automáticas. Para quem nunca dirigiu esse Golf, o carro vai agradar. É verdade que em acelerações um pouco mais fortes ele dá um pequeno solavanco na troca da primeira para a segunda marcha, como se fosse automatizado, mas no geral o câmbio AT6 tornou o carro mais confortável no trânsito. Pelo alto preço dessa versão, talvez fosse o caso de manter uma versão Comfortline do Golf 1.0 com câmbio manual e menos conteúdo, mas as vendas dessa configuração decepcionaram a Volkswagen. Agora, ou essa versão vinga ou logo vai desaparecer, pois a Highline 250 TSI (1.4) continuará sendo a mais vendida, segundo o departamento de marketing.

Um pouco mais “amarrado” do que o Golf 250 TSI, esse 200 TSI entrega um rodar suave e seguro, mas sem tanto luxo. O ar-condicionado, por exemplo, não indica a temperatura. Tampouco estão disponíveis algumas tecnologias da versão Highline, como piloto automático adaptativo. Em compensação, a central multimídia é a mesma nas duas versões, com tela tátil de 8” e um visual mais limpo, com letras e números grandes e apenas dois botões de girar. Infelizmente, a entrada USB permaneceu no fundo do console central, em local de difícil acesso. Com o App-Connect, é possível espelhar o smartphone no sistema e utilizar Android Auto ou Apple CarPlay.

Visualmente, as mudanças na linha Golf 2018 foram bem suaves. Os faróis e os parachoques foram redesenhados. Todas as versões agora têm luzes diurnas de LED. As lanternas traseiras também são de LED e as rodas ganharam novo desenho. Essas mudanças ficaram mais marcantes nas versões Highline (R$ 112.190) e GTI (leia abaixo). No geral, o câmbio automático fez bem ao Golf 1.0 TSI, mas sua mudança de patamar de preço é espantosa. Há apenas um ano esse carro podia ser comprado por pouco mais de
R$ 77.000, com câmbio manual. Parece claro que a Volkswagen não quer perder tempo com um Golf barato. Sua estratégia de hatches é muito bem definida em cinco palavras: confiança (Gol), lifestyle (Up), versatilidade (Fox), conquista (Polo) e performance (Golf). Por fim, o Golf 1.0 ganha uma nova chance para fazer sucesso. Resta saber se o preço vai deixar.


Ficha técnica:

Volkswagen Golf Comfortline 200 TSI

Preço básico: R$ 91.790
Carro avaliado: R$ 110.540
Motor: 3 cilindros em linha 1.0, 12V
Cilindrada: 999 cm³
Combustível: flex
Potência: 116 cv a 5.500 rpm (g) e 128 cv a 5.500 rpm (e)
Torque: 20,4 kgfm de 2.000 a 3.500 rpm (g/e)
Câmbio: automático, seis marchas, sequencial
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,268 m (c), 1,799 m (l), 1,468 m (a)
Entre-eixos: 2,637 m
Pneus: 205/55 R16 (opcionais 225/45 R17)
Porta-malas: 313 litros
Tanque: 51 litros
Peso: 1.259 kg
0-100 km/h: 10s8 (g) e 10s3 (e)
Velocidade máxima: 187 km/h (g) e 192 km/h (e)
Consumo cidade: 11,4 km/l (g) e 8,0 km/l (e)
Consumo estrada: 14,2 km/l (g) e 10,2 km/l (e)
Nota do Inmetro: A
Classificação na categoria: A (Médio)


Variant mantém só motor 1.4

Houve certo frisson quando correu um boato de que a Volkswagen lançaria uma versão 1.0 também da perua Variant. Era alarme falso. O Golf Variant continua apenas com o motor 1.4 (agora 250 TSI), como o do Golf Highline. Na perua, entretanto, a versão Comfortline também usa esse motor. O Golf Variant Comfortline custa R$ 102.990 e o Highline parte de R$ 113.490. A Volks mantém sua firme convicção de salvar as peruas da extinção – o que é elogiável.


Golf GTI mais potente

A versão esportiva do Golf é a que exibe com mais facilidade as pequenas mudanças realizadas no carro para a linha 2018. Novos faróis de LED substituem os antigos, de xenônio, e melhoraram ainda mais o visual do GTI – um esportivo razoavelmente discreto. Tudo que existe de melhor em termos de tecnologia do Golf está presente no GTI, como o Active Info Display, um quadro de instrumentos todo configu-rável. O motorista pode escolher um entre cinco modos de exibição. Mas a surpresa veio no motor 350 TSI (antigo 2.0), que, como o nome diz, entrega 350 Nm de torque (ou 35,7 kgfm) e 10 cavalos a mais de potência. Agora são 230 cv, capazes de levar o carro a uma aceleração de 0-100 km/h em bons 7 segundos. O câmbio é o ótimo DSG de dupla embreagem com seis marchas. O Golf GTI 2018 custa R$ 143.790. Ele tem três pacotes de opcionais: teto solar panorâmico (R$ 4.800), rodas de 18” com bancos de couro e ajuste elétrico (R$ 5.900) e pacote premium (R$ 9.200), que inclui piloto automático adaptativo e park assist.