Avaliação: Golf Highline agora é flex para compensar câmbio e suspensão


Desde que passou a ser fabricado no Brasil, na virada do ano, o Golf 1.4 TSI passou a ser vendido apenas na versão Highline (a Comfortline agora é 1.6). Ao contrário do que se esperava, o preço do Golf não caiu (pelo contrário, subiu como o de todos os outros carros), mas seu motor turbo com injeção direta agora é flex e a potência subiu para 150 cv. Até aí, tudo normal. O problema é que a nacionalização do Golf 1.4 tirou dele dois itens que garantiam seu brilho técnico: a transmissão DSG7 de dupla embreagem e a suspensão traseira independente. No lugar deles entrou o câmbio Tiptronic de seis marchas e o eixo de torção.

Com todas essas modificações, o Volkswagen Golf – modelo mais vendido da Europa – continua sendo um ótimo carro, mas passou a consumir um pouco mais na cidade (foi de 11,7 para 11,0 km/l com gasolina) e não tem a impecável performance que demonstrava em curvas de alta velocidade. Em compensação, consome menos na estrada (passou de 13,3 para 14,0 km/l com gasolina) e agora pode ser abastecido com etanol (rodamos mais de 200 km com esse combustível na estrada, quase sempre em velocidades altas, com ar-condicionado ligado, e a autonomia foi de 8,5 km/l).

Para quem conheceu o Golf antigo, de fato houve uma perda na performance do câmbio e na firmeza do carro nas curvas, mas só se percebe isso dirigindo esportivamente. Para quem vai comprar um Golf 1.4 pela primeira vez, o carro vai agradar totalmente. Na verdade, o trabalho da engenharia de motores da Volkswagen foi excelente, pois conseguiu encontrar um equilíbrio perfeito entre desempenho e consumo com o novo motor mais potente e bicombustível.

O que não agrada é a distância de preço que o Golf Highline tomou do Comfortline: R$ 17.200 nas duas opções de transmissão. Com câmbio manual de seis marchas, o Golf Highline custa R$ 93.790. Com o automático Tiptronic, que avaliamos, sobe a R$ 99.190. A cor azul silk metálica custa R$ 1.304 e o carro supera R$ 100.000. Os opcionais também são salgados. O teto solar custa R$ 4.382 e o pacote Premium sai por R$ 26.650. O total soma R$ 32.336 e eleva o custo do Golf Highline automático para incríveis R$ 131.526.

—–

Ficha técnica:

Volkswagen Golf Highline 1.4 TSI AT

Preço básico: R$ 93.790
Carro avaliado: R$ 131.526
Motor: 4 cilindros em linha 1.4, 16V, turbo, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 1395 cm3
Combustível: flex
Potência: 150 cv a 4.500 rpm (g/e)
Torque: 25,5 kgfm a 1.500 rpm (g/e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: McPherson (d) eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,255 m (c), 1,799 m (l), 1,468 m (a)
Entre-eixos: 2,638 m
Pneus: 205/55 R16
Porta-malas: 313 litros
Tanque: 51 litros
Peso: 1.279 kg
0-100 km/h: 8s6 (g/e)
Velocidade máxima: 204 km/h (g/e)
Consumo cidade: 11,0 km/l (g) e 7,7 km/l (e)
Consumo estrada: 14,0 km/l (g) e 9,5 km/l (e))
Nota do Inmetro: B
Emissão de CO2: 109 g/km (com etanol = 0 g/km)
Consumo nota: B
Classificação na categoria: B (Médio)