Barata, equipada e com motor flex

A nova versão Rodeio tem uma boa lista de itens de série, mas o desempenho da versão ex é fraco – leva vantagem por ser a única a rodar também com etanol

Digam o que quiserem, mas a Chevrolet S10 segue batendo recordes de vendas após 15 anos no mercado. São cerca de 4.000 unidades/mês, contra 1.357 de sua maior rival, a Ford Ranger, recém-reestilizada. O motivo do sucesso? Se dirigibilidade, desempenho e conforto estão anos-luz atrás das picapes modernas, como L200, Frontier e Amarok, seu preço oferece o estímulo necessário para quem quer uma picape mas não pode pagar mais de R$ 90 mil. Para completar, a S10 oferece motor flex, ainda indisponível nas concorrentes. Com essa receita, cresce em participação na frota de picapes do País – que, este ano, segundo a GM, atingirá um milhão de unidades, sendo 400 mil apenas da S10.

O novo pacote Rodeio passa a compor uma versão intermediária, que chega para substituir a Tornado, oferecida só a diesel. Esse novo pacote – apenas para a cabine dupla – pode ser adquirido com tração 4×2 e motores 2.4 flex de 147 cv (R$ 66.025) ou 2.8 turbodiesel de 140 cv (R$ 89.366). Já se a opção for pela tração 4×4, a motorização será sempre a diesel (R$ 95.541).

Concorrentes

RANGER CAB. DUPLA R$ 63.330

HILUX CAB. SIMPLES R$ 75.370

Sem mudanças mecânicas em relação aos modelos que vinham sendo comercializados, a S10 Rodeio é uma boa opção apenas na versão mais barata. O desempenho não é uma maravilha, mas justifica o preço. Com apenas 21,9 kgfm de torque, o motor sofre em retomadas e demora a embalar. Chega à máxima de 150 km/h e faz de zero a 100 km/h em 11s4. Já com o turbodiesel, o valor se aproxima do que é cobrado, por exemplo, pela Nissan Frontier (R$ 90.990), que oferece propulsor mais potente e é mais eficiente, tanto no desempenho quanto no comportamento dinâmico.

Além do motor flex (hoje oferecido apenas na versão básica Advantage), a S10 Rodeio traz um pacote com ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, coluna de direção regulável em altura e profundidade, vidro traseiro corrediço, ABS e piloto automático na versão diesel. Externamente, o modelo conta com faixas laterais e na traseira com o nome da versão, adesivo no capô, estribo, rodas aro 16, lanternas fumê e faróis com máscara negra. Uma boa (ou, melhor dizendo, a única) opção para quem precisa de uma picape média barata, bem equipada e com motor flexível.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorTecnologia das pistas para a rua
Próxima notíciaContato