Belos caminhos no litoral sul de São Paulo

Clique para ampliar

Mesmo com o verão indo embora, é possível viajar ao litoral sul de São Paulo. O outono tem até suas vantagens: os dias são bem limpos, chove menos e o calor não é tão intenso. Apresentamos aqui caminhos de aventura por estradas de terra e areia na Reserva Ecológica da Jureia, em Cananeia e na Ilha Comprida. O ponto de partida é a cidade de Iguape, com seus casarões e ruas de paralelepípedo. Para chegar lá, basta pegar a Régis Bittencourt (BR-116) por cerca de 150 km e depois seguir para Iguape pela SP-222. A cidade foi fundada o cialmente em 1538 por espanhóis que subiam do Rio da Prata, perseguidos por índios hostis. Foram encontrados registros da presença de espanhóis na região antes mesmo do descobrimento do Brasil.

O primeiro roteiro leva à Reserva Ecológica da Jureia. Saindo de Iguape em direção ao norte, passamos pelo Morro do Espia e pela Vila de Icapara, local onde os primeiros espanhóis se instalaram. Depois de margear várias praias, chegamos à balsa que faz a travessia para a Barra do Ribeira. Os operadores da balsa podem dar referências sobre as condições da maré e quando ela vai subir. No centro da Barra do Ribeira, há uma base de informações. Peça orientação e pergunte pelas peças de artesanato em madeira “caixeta”. Da vila até o Costão da Jureia, são 14 quilômetros dirigindo na areia da praia. Não é preciso um 4×4, mas procure transitar na areia mais dura, entre a água e a areia seca e fofa. Programe o tempo de permanência no Costão de acordo com o horário da subida da maré.

No alto, uma das belas paisagens do passeio. Acima, um cesto indígena e um argolão que prendia caravelas. Ao lado, o centro de Iguape.

Abaixo, a ponte na volta de Boqueirão a Iguape via asfalto

Já ao sul de Iguape, temos a cidade de Cananeia, cujas enseadas e ilhas abrigaram caravelas de piratas ingleses, espanhóis e, principalmente, portugueses. Na fábrica de congelamento de peixes, ao sul da cidade, ainda há dois argolões em bronze, encravados numa pedra, que prendiam as caravelas. Bem próximo de lá, na Ilha Comprida, foram encontrados canhões ingleses que uma esuqadra abandonou. Do centro de Cananeia, atravessamos a balsa e começamos outro roteiro. Chegando à praia de mar aberto, onde há restaurantes e pescadores, pergunte sobre as condições do mar e da maré. Para a direita, ao sul, encontramos a barra e grandes espraiados, com areia fofa e seca. Seguindo para a esquerda, sentido norte, são mais de 50 quilômetros de praias, com vilarejos, casas de veraneio e balneários até chegar ao Boqueirão – onde há bons restaurantes, hotéis, pousadas, supermercados e até um posto de gasolina.

Seguindo pela praia, pode-se ir até a Ponta de Icapara, onde termina a Ilha Comprida. Tanha cuidado ao transitar de carro nessa ponta, pois a areia é fofa e há um certo risco de atolar. Se preferir retornar com mais tranquilidade, você pode optar por dirigir do Boqueirão até Iguape pela estrada as tada.

SERVIÇO

Iguape

Hotel Itamiaru (13) 3841-1428 Hotel Solar Colonial (13) 3841-1591 Restaurante Panela Velha (13) 3841-1869

Barra do Ribeira

Pousada Recanto da Jureia (13) 3849-1115 Restaurante Brisa da Jureia

Cananeia

Hotel Marazul (13) 3851-1407 Restaurante Bacharel (13) 3851-1182

Ilha Comprida

Restaurante O Portuga (13) 3842-4129

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga