Blitz policial em São Paulo: recusa do bafômetro causou 92,8% de multas

De um total de 305 multas registradas, 283 envolveram esse tipo de infração

0
4
Foto: Divulgação

Um levantamento realizado pelo Departamento Estadual de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran-SP) revelou que 92,8% das multas aplicadas em dezembro de 2021 durante fiscalizações da Operação Direção Segura Integrada (ODSI) foram dadas a motoristas que se recusaram a fazer o teste do etilômetro (bafômetro).

De um total de 305 multas registradas, 283 envolveram esse tipo de infração e 4 foram enquadradas em crime de trânsito, quando o condutor apresenta mais de 0,34% miligramas de álcool por litro de ar expelido.

+ IPVA SP 2022: calendário de pagamentos começa na segunda (10)
+ Licenciamento 2022: Detran-SP divulga calendário e preço; veja
+ Detran-SP alerta sobre golpes na internet no processo de habilitação


Somente entre o feriado de Natal e Ano Novo, dias 22 e 29 de dezembro, foram feitas duas operações especiais na capital paulista. Dos 426 veículos fiscalizados, 32 condutores (7,5%) foram multados por embriaguez ao volante ou por se recusarem a fazer o teste do bafômetro.

As blitze integram equipes do Detran-SP e das polícias Militar, Civil e Técnico-Científica. No total, foram aplicados 5.495 testes em 18 municípios paulistas.

Desdobramentos

Os 283 motoristas autuados por recusa ao teste do bafômetro serão multados, cada um no valor de R$ 2.934,70 e responderão a processo de suspensão da carteira de habilitação. No caso de reincidência no período de 12 meses a pena será aplicada em dobro, ou seja, R$ 5.869,40, além da cassação da CNH.

O mesmo ocorrerá com os 18 condutores (6% do total das multas aplicadas) que apresentaram até 0,33 % miligramas de álcool por litro de ar expelido e responderão a processo administrativo. Tanto dirigir sob a influência de álcool quanto recusar-se a soprar o bafômetro são consideradas infrações gravíssimas.

Já os quatro condutores autuados (1,5 % do total das infrações) por embriaguez ao volante que apresentaram mais de 0,34% miligramas de álcool por litro de ar expelido responderão na Justiça por crime de trânsito. Se condenados, poderão cumprir de seis meses a três anos de prisão, conforme prevê a Lei Seca, também conhecida como “tolerância zero”.

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ IPVA 2022 SP: veja como consultar e pagar o imposto
+ CNH vencida: veja o grupo que precisa renovar o documento em janeiro
+ Rodízio de SP segue suspenso em janeiro; veja quando volta
+ CNH: Contran restabelece prazo de 12 meses para tirar habilitação
+ PRF apreende Quantum com giroflex e adesivo de ‘Os Caça-Fantasmas’
+ Qual é a melhor versão do Jeep Compass 2022?
+ CES 2022: BMW apresenta tecnologia que muda cor de carro; assista
+ IPVA 2022 de São Paulo tem desconto triplicado; veja a tabela
+ Licenciamento 2022: Detran-SP divulga calendário e preço; veja
+ Quem está isento de pagar o IPVA 2022 em SP? Veja a lista