Ford Fusion 2017 prova que o novo Honda Civic está caro demais


Um Civic maior e melhor. No lançamento da décima geração do sedã, comprovei que essa promessa a Honda conseguiu cumprir, e muito bem. O modelo de fato ficou mais encorpado, espaçoso e muito melhor de dirigir, como já mostramos em nossa avaliação aqui na MOTOR SHOW (confira aqui a avaliação). Mas, como observamos na mesma reportagem, também ficou caro demais – principalmente na versão que tem a principal e mais legal novidade, o motor 1.5 turbo. O Civic Touring (não, ele não é uma perua, apesar do nome) custa exagerados R$ 124.900, acima da média do segmento. Algo difícil de aceitar para um carro que, em qualidade, dirigibilidade e porte, não foge tanto assim à média do segmento.

O preço mais alto acabou elevando o Civic Touring a um outro patamar, e isso pode não ser tão bom pra ele. Porque esse patamar também é atacado pela Ford, mas com um carro bem maior: o Fusion 2017 acaba de ser lançado (leia aqui) e, entre suas versões, está a nova SEL 2.0 EcoBoost, de R$ 125.500. Isso significa que por R$ 600 reais a mais do que custa o Civic 1.5 turbo, você leva o Fusion também turbinado, só que 2.0.

Assim, as clássicas batalhas de sedãs grandes estão mudadas. Na última década comparamos o Fusion, por diversas vezes, a rivais em porte e proposta como Volkswagen Passat, Toyota Camry, Hyundai Azera e cia. O representante da Honda nessas disputas era sempre o Accord. Agora, com o Civic topo de linha saltando a R$ 124.900 e o Accord vendido por R$ 162.500, resta a esse último a tarefa de bater a mais nova configuração do Fusion. E aí a vida dele fica bastante complicada. Vamos lá…

Mas espera aí, você está comparando um sedã médio com um sedã grande?
Exatamente. A questão aqui é de preço. A tabela abaixo mostra como, apesar de custarem quase exatamente o mesmo valor, o Fusion é maior em todas as dimensões. Tem 23 cm a mais de comprimento, 7 cm extras de largura, 6 cm adicionais de altura e – mais importante – entre-eixos 15 cm maior. Já os porta-malas são quase idênticos, com vantagem insignificante do Civic, enquanto o Fusion tem um tanque 12 litros maior (que compensa em parte o consumo mais alto, como veremos adiante).

MEDIDAS EXTERNAS Civic Fusion
Comprimento 4,637 4,870
Largura 1,780 1,852
Altura 1,433 1,493
Entre-eixos 2,700 2,850
Porta-malas 519 litros 514 litros
Tanque 56 litros 68 litros


Mas nem sempre ser grande por fora significa ser grande por dentro…
Sim, eu sei disso. Alguns carros compactos conseguem ter mais espaço interno que carros maiores (compare o espaço do Renault Sandero com o do Ford Focus ou do Chevrolet Cobalt com o do Audi A3 Sedan, por exemplo). Voltando à disputa Civic vs. Fusion, a tabela abaixo – com informações das próprias marcas – mostra que o Fusion é maior por dentro, sim. E em todas as medidas. Destaque para a vantagem no espaço para os quadris no banco traseiro, que faz muita diferença para quem costuma viajar com três passageiros ali.

MEDIDAS INTERNAS(CM)
Civic Fusion vantagem Fusion
FRENTE
Cabeça 95,25 99,57 4,32
Pernas 107,44 112,52 5,08
Ombros 144,53 146,81 2,29
Quadris 136,40 139,70 3,30
ATRÁS
Cabeça 93,47 96,01 2,54
Pernas 95,00 97,28 2,29
Ombros 139,70 144,53 4,83
Quadris 120,14 138,18 18,03


Conheço essa história: carro maior pouco equipado ou menor mais equipado?
Tradicionalmente é o que acontece quando comparamos carros de segmentos diferentes. É totalmente normal um hatch compacto todo equipado custar o mesmo, ou até mais, que um hatch médio de entrada. Mas não é o caso aqui. O Civic tem sim alguns (poucos) equipamentos que só se encontra nos Fusion Titanium, mas, por outro lado, mesmo esse Fusion SEL tem diversos itens não encontrados no modelo japonês. Confira na tabela abaixo. Os dois são bem completos, mas enquanto o Civic Touring tem faróis full-LED, banco do motorista com ajuste elétrico e partida remota, por exemplo, o Fusion SEL tem saídas de ar para o banco traseiro, start-stop, rodas aro 18 e central multimídia melhor. Enfim, no quesito equipamentos, a disputa é equilibrada.

EQUIPAMENTOS Civic Fusion SEL
Airbags frontais, laterais e cortinas/joelhos S/S/N S/S/S
Ar-condicionado automático bizone S S
Ar-condicionado c/ saídas traseiras N S
Alertas de colisão e mudança de faixa N O*
Alto-falantes 8 11
Android Auto e Apple CarPlay S S
Banco mot. com ajuste elétrico S O*
Cinto de segurança traseiro inflável N S
Controles de tração e estabilidade S S
Detector de cansaço do motorista N S
Entrada e partida sem chave S S
Faróis full-LED S O*
Freio de mão elétrico S S
Grade dianteira ativa N S
Luz de circulação diurna (DRL) S S
Monitor de ponto cego direito O*(direito/esquerdo)
Painel com tela multifunção configurável S S
Partida remota S O
Piloto Automático S S
Pneus/rodas 215/50 R17 235/45 R18
Retrovisores com rebatimento elétrico S S
Sensor de chuva/retr. eletrocrômico S/S O*/S
Sensor de pressão dos pneus N S
Start-Stop N S
Teto solar S O (R$ 4.000)
Tela multimídia 7″ 8″
* VERSÃO TITANIUM FWD, R$ 13.000 MAIS CARA, MAS GANHA TAMBÉM OUTROS EQUIPAMENTOS


Mas dizem que o Civic é um foguete! E o Fusion é bem pesado
O Civic Touring de fato surpreendeu com um desempenho similar ao da antiga versão Si, que sai de linha. Seu 1.5 turbo de 173 cv tem bom torque (22,4 kgfm) e é ajudado por um câmbio CVT, que aproveita melhor a potência do motor. O desempenho realmente empolga. O Fusion é de fato bem mais pesado, mas compensa com uma motorização muito mais forte. O câmbio é automático de seis marchas e seu 2.0, também turbinado, tem 43% mais potência (248 cv) e torque 69% maior. Assim, tem melhor relação peso-potência e bate o Civic em desempenho, mesmo que não seja por uma larga vantagem. Confira os principais dados na tabela abaixo. Falando em desempenho, há que se falar também na dinâmica. As suspensões são similares, com MacPherson na frente e rodas independentes atrás, mas o Civic tem um acerto mais firme e uma direção mais afiada. Aí a vantagem depende do gosto do freguês, mas o consumidor mais tradicional dos dois segmentos (tanto médios quanto grandes) deve preferir o acerto mais macio, ao gosto norte-americano, do Fusion.

DESEMPENHO
Potência 173 cv 248 cv
Torque 22,4 kgfm 37,9 kgfm
0-100 km/h 8 segundos 7,4 segundos
Vel. Máxima não divulgada 209 km/h
Peso 1.326 kg 1.611 kg*
Peso/potência 7,66 kg/cv 6,49 kg/cv
Peso/Torque 59,2 kg/kgfm 42,5 kg/kgfm
*versão Titanium AWD – 80 kg


Mas o Civic é mais econômico que o Fusion, não?
Sim, essa é a principal e mais clara vantagem do Honda em relação ao Ford. Nenhum dos dois é flex, e, como se vê abaixo, o Civic é de fato bem mais econômico. Isso faz diferença nas despesas com combustível, mas nem tanto na frequência dos abastecimentos, pois o Fusion tem tanque maior. Estando os dois com o tanque cheio,  no uso rodoviário o Honda vai rodar apenas 22 km a mais que o Ford, segundo os dados do Inmetro. No urbano, para quem vive pegando congestionamentos pesados, o sistema start-stop desliga o motor automaticamente em paradas e assim pode na prática acabar reduzindo essa vantagem do Civic.

CONSUMO (KM/L) e AUTONOMIA (KM) – GASOLINA  CIVIC 1.5  FUSION 2.0
Consumo cidade 12 8,6
Consumo estrada 14,6 11,7
Nota Inmetro A C
Autonomia cidade 672 585
Autonomia estrada 818 796


Qual a conclusão?
Bem, o Fusion tem vantagens bem claras em porte – que se reflete em status –, espaço interno, potência e torque absolutos e desempenho em relação ao Civic, que responde com um design mais ousado e inovador, um motor mais econômico, um projeto mais moderno e uma pegada mais esportiva. Dependendo do gosto e preferências do consumidor, pode até ser uma escolha frente ao Fusion. Mas analisando friamente, pensando em um consumidor mais conservador, esse Civic não se justifica. Comparando a diferença entre os modelos no mercado norte-americano, embora pacotes e versões não sejam exatamente iguais, o Civic deveria custar no máximo R$ 110.000. Por R$ 125.000 é caro demais.