Qual é a melhor versão? VW Polo

O Volkswagen Polo já deve aparecer no pódio dos mais vendidos este mês. Mas será que vale mais a pena levar o hatch na versão 1.6 ou com o 1.0 TSI? Que configuração entrega mais pelo seu dinheiro?

VW Polo Highline (Roberto Assunção)

O CARRO
Depois de anos de ausência, o Volkswagen Polo voltou ao mercado brasileiro. De cara, foi muito criticado pelo design sem inspiração, que lhe rendeu o apelido “Golzão” pelas linhas externas – embora a marca insista em vendê-lo como mini-Golf (leia aqui o que esse Blog disse a respeito) – e cujo interior, simples demais, não emociona.  

Mas o fato é que, tirando de lado as questões de gosto pessoal, o novo VW Polo é um carro extremamente atraente, que capricha na segurança, embora tenha graves falhas nas listas de equipamentos de conforto e conveniência. Os itens mais sofisticados estão restritos à versão mais cara, e ainda como opcionais. As outras tem altos e baixos.

VERSÕES E PREÇOS

Os preços do novo Polo hoje vão de R$ 49.990 a R$ 76.240.

O modelo de entrada é o Polo 1.0, vendido por R$ 49.990. Ele vem apenas com a opção do motor 3 cilindros 1.0 flex aspirado de até 84 cv e 10,4 kgfm a 3.000 rpm (etanol) e o excelente câmbio manual de 5 marchas. Tem quatro airbags, cinto de três pontos para todos, isofix, ar-condicionado, vidros e travas elétricas e rodas 15 com calotas. Opcionalmente pode somar itens de segurança e conectividade.

Polo 1.6 MSI: interior simples demais — e não melhora muito no Comfortline 200 TSI (foto: Roberto Assunção)

O Polo 1.6 MSI custa R$ 54.990 e vem com o 4 cilindros 1.6 flex mais moderno da Volks, com 16V e até 117 cv e 16,5 kgfm. Tem o mesmo câmbio manual de cinco marchas e os mesmo equipamentos e opcionais do 1.0. 

VW Polo 200 TSI Highline (foto: Roberto Assunção)

Já com câmbio automático, a Volks oferece – por enquanto – só as versões 200 TSI, como o excelente motor 3 cilindros turboflex de até 128 cv e 20,4 kgfm de torque disponível a baixas  2.000 rpm. O Polo Comfortline 200 TSI  custa R$ 65.190 e o Polo Highline 200 TSI  sai por R$ 69.190, mais equipado e com opção de painel de instrumentos digital. Com todos os opcionais, chega aos salgados R$ 76.240 citados.

ESCOLHA DO BLOG

O 1.0 é fraco para uso na estrada, e não acredito que o Polo seja uma boa opção com ele a não ser que seu uso seja estritamente urbano. Se for por questões financeiras – os
R$ 5.000 que o separam do 1.6 – indico levar um carro menor ou mais antigo. Já o Polo 1.6 é prazeroso de guiar e não fica devendo desempenho, apenas alguns equipamentos e a opção automática.

E se a princípio a diferença de R$ 10.200 ente o Polo 1.6 e o Polo Comfortline 200 TSI pode parecer grande, na não é. Explico: eu não levaria o 1.6 sem controle de estabilidade. Somaria o Pacote Safety, de R$ 1.050, que vem com ele e, ainda, bloqueio eletrônico do diferencial, auxílio em subidas e o computador de bordo “I-System”. E aí por mais R$ 1.550 somaria o Pacote Connect, de R$ 2.600, que além desses itens, tem rodas de liga aro 15 e a central multimídia mais completa, com Android Auto/Apple CarPlay e comandos no volante. Mas então chegaria a R$ 57.590 e ainda teria que me esticar todo para ajustar o retrovisor direito e não teria ajuste de profundidade do volante.

Aí com um “esforcinho” extra – R$ 7.600 – dá para levar o Comfortline 200 TSI (R$ 65.190), com a mecânica topo de linha. Não é pouco dinheiro, mas além do que traz o 1.6 com opcionais, ainda tem a ótima transmissão automática de seis marchas, e se você mora em uma grande cidade sabe o conforto que isso faz. E ela está ligada ao valente 1.0 turbo, que deixa o carro mais prazeroso de guiar.

Aqui um parênteses: em termos desempenho e consumo absolutos, Polo 1.6 e 1.0 TSI praticamente empatam: é o preço a pagar pela caixa automática. Fazem 0-100 km/h em 9s6 e chegam a faixa de 190 km/h, enquanto o aspirado manual é discretamente mais econômico na cidade e o turbo automático, na estrada.

Além do conforto de não trocar de marchas e do bom motor turbo, os R$ 7.600 extras para chegar ao VW Polo Comfortline 200 TSI resolvem o problema dos ajustes do retrovisor e da coluna de direção, E ainda somam sensor de estacionamento traseiro, 2 tweeters, banco traseiro bipartido (prático!), descanso de braço dianteiro com porta-objetos, saídas de ar traseiras e portas USB para carga, luz de conversão estática, iluminação do porta-luvas e porta-malas, pomo da alavanca de câmbio em couro, porta-revistas, suporte para celular com entrada USB para carga, colunas externas centrais com aplique preto fosco e iluminação interna.

Seu preço de R$ 65.190 fica quase que exatamente no meio da faixa do modelo. Por mais que isso, o Polo vai ficando perigosamente próximo de modelos maiores de outras marcas – ou da Volks, como o Golf 1.0 TSI, com sete airbags e mais espaço e tecnologia, de
R$ 78.000).

Portanto, a escolha do Blog Sobre Rodas é: VW COMFORTLINE 200 TSI

Somaria a pintura “Vermelho Tornado” (sólida, por R$ 450), mas não colocaria o pacote Tech I, de R$ 2.200, com mais “mimos” que necessidades (entrada e partida sem chave, sensor de estacionamento dianteiro, piloto automático, retrovisor eletrocrômico, ajuste automático dos faróis, rodas aro 16, sensores de chuva e crepuscular e borboletas no volante) e nem o Tech II – bacana, mas dispensável – de R$ 3.500 (Tech I mais porta-malas com divisória, ar-condicionado automático digital, câmera de ré, detector de fadiga, monitor de pressão dos pneus, freios com acionamento automático pós-colisão, porta-luvas iluminado e refrigerado e rede no porta-malas).

O carro montado no site da Volks:

LEIA MAIS:

AVALIAÇÃO VW POLO COMFORTLINE 200 TSI 

AVALIAÇÃO VW POLO 1.6 MSI

COMPARATIVO VW POLO HIGHLINE 200 TSI