BMW G 450X

Em parceria com a Dafra Motos, a BMW vai começar a montar motos no Brasil, o que deve reduzir os preços dos modelos escolhidos. Pena que esta G 450 X não esteja, por enquanto, na lista das BMW “nacionais” (inicialmente, a única montada aqui será a F 650 GS). Para quem gosta de enduros e outras aventuras off-road, poucas motos se igualam – afinal, ela foi a primeira moto da marca desenvolvida exatamente para este tipo de competição.

O modelo 2010, apresentado para a Europa em outubro, sofreu pequenas modificações em relação à versão 2009, vendida aqui desde o começo deste ano. Mais adiante falaremos delas agora, vamos esclarecer o que torna a G 450 X tão especial para alguns motociclistas (e, ao mesmo tempo, tão criticada por outros).


Para um melhor desempenho off-road, esta BMW quebrou uma série de paradigmas, a começar pela distribuição de peso. Para realizar manobras radicais, como saltos, é necessário que a moto tenha um centro de gravidade bem próximo ao piloto. Por isso, o tanque de combustível da G 450 X não fica no lugar tradicional, à frente do piloto, mas debaixo do assento.

No local onde ficaria o tanque, estão a caixa de ar, a bateria e o corpo do acelerador. E a ausência dele também liberou espaço para que o motor ficasse mais inclinado que o normal, liberando um vão maior do solo entre as rodas. A suspensão dianteira é do tipo Marzocchi com garfo invertido e a traseira do tipo balança de alumínio fundido, ambas com ajuste de compressão e a traseira também com ajuste de précarga e retorno. Tudo para ser suave e, ao mesmo tempo, aguentar os impactos de pequenos saltos.

As novidades da linha 2010 estão, principalmente, no chassi: a distância entre o eixo dianteiro e o meio do garfo foi reduzida, resultando em uma dirigibilidade mais neutra e melhor estabilidade direcional, segundo a marca; a calibração do amortecedor traseiro também foi modificada, melhorando o comportamento ao enfrentar buracos, graças a uma atuação mais progressiva. E a ergonomia foi melhorada, com um assento mais macio e que dá maior apoio para as cochas.

Finalmente, para quem achava que ela pedia trocas de marchas muito cedo, a central eletrônica foi modernizada, o que também melhorou bem o consumo de combustível.