BMW lança moto superesportiva de 207 cv; veja preço

A nova R 1000 SS, a moto superesportiva da BMW
A nova R 1000 SS, a moto superesportiva da BMW

A BMW lançou esta semana a nova S 1000 RR, a terceira geração da moto superesportiva. O modelo chega às concessionárias a partir de R$ 91.950. O modelo é produzido na fábrica de Manaus (AM).

+ Yamaha realiza recall da R3 2020, no Brasil
+ A desconhecida UM lança novas versões da sua bela Renegade 125
+ Harley-Davidson adota o Android Auto para sua linha Touring

Originalmente lançada em 2009, a BMW S 1000 RR chega à nova geração completamente renovada, mais leve, potente e tecnológica, com componentes internos individualmente reprojetados e aprimoramentos aplicados ao quadro, ao conjunto da suspensão e aos sistemas eletrônicos de assistência à pilotagem.

O resultado dessas mudanças é considerável: a moto superesportiva da BMW está 11 quilos mais leve (197 kg) que o modelo anterior, oferece 207 cavalos de potência (8 cv mais potente que o antecessor) e uma condução mais precisa.

Estilo  minimalista
Nesta nova geração, o desenho foi retrabalhado seguindo o lema ‘Nose down, tail up’ (“Nariz para baixo e traseira para cima”, em tradução livre). A nova RR ostenta como destaques visuais as luzes de LED presentes nos faróis e lanterna traseira com linhas mais dinâmicas e agressivas. Além disso, as luzes de mudança de direção (pisca) e de freio estão integradas em uma única unidade de LED.

Já o tanque de combustível mais estreito resultou na área que acomoda os joelhos mais delgada, privilegiando o fechamento ergonomicamente perfeito das pernas, além de uma posição melhor do assento. A angulação mais ampla do guidão, por sua vez, proporciona uma condução mais confortável, reduzindo o cansaço.

Propulsor que supera 200 cv
A nova BMW S 1000 RR supera a barreira dos 200 cavalos. Quatro quilos mais leve, o novíssimo propulsor de quatro cilindros em linha e alto desempenho desenvolve 207 cavalos a 13.500 rpm, e 113 Nm de torque máximo, com oferta superior a 100Nm, disponíveis entre 5.500 e 14.500 rpm.

O segredo para esta performance irretocável é a versatilidade da nova tecnologia BMW ShiftCam, que permite extrair máxima potência e torque, não apenas em faixas altas de rotação, mas, sobretudo, em faixas baixas e médias de giro.

Deste modo, a entrega de potência e torque é mais uniforme e linear, tornando a motocicleta mais fácil de controlar e ideal para quem a usa no dia a dia, quanto para aqueles que desejam obter desempenho extremo nas pistas. A tecnologia BMW ShiftCam permite uma aceleração mais uniforme em saídas de curva fechadas, prolongando a vida útil dos pneus e possibilitando que o piloto use melhor o chassi.

Construção
O novo chassi da BMW S 1000 RR contribuiu em quase 50% na redução total do peso da motocicleta. Isso tudo com rigidez aprimorada do quadro.

Os avanços também foram possíveis por meio da adoção de um novo braço oscilante, mais leve e capaz de aplicar a força de forma otimizada; melhorando as respostas durante as acelerações e proporcionando mais aderência.

Além disso, o chassi foi concebido de forma a permitir ao piloto uma direção mais concentrada e mais precisa em distâncias mais longas de deslocamento.

Outra tecnologia da moto superesportiva da BMW é o novo layout do quadro (Flex-Frame), visivelmente mais leve e que também oferece mais liberdade de movimento devido ao melhor fechamento dos joelhos.

E a combinação do amortecedor da suspensão traseira Full Floater Pro e do braço oscilante resulta em uma estrutura ainda mais leve, precisa e fácil de controlar. Resumindo: a nova RR eleva notavelmente o patamar dos recursos de suspensão, oferecendo ao mesmo tempo maior facilidade de pilotagem e precisão.

Para pista e uso cotidiano
Cidade, estrada ou pista? Esta é uma questão primordial em se tratando dos novos recursos à disposição nos modos de pilotagem da nova S 1000 RR. Os modos no “mundo da estrada” são Rain, Road, Dynamic e Race.

Para aqueles que desejam explorar as possibilidades da superesportiva nas pistas, a opção Modo Pro, que oferece três modos adicionais de pilotagem (Race Pro 1-3) que são altamente programáveis.

Isso permite um ajuste individual das mais diversas funções de gerenciamento dos sistemas, como controle dinâmico de tração DTC, ABS e deslizamento das rodas, bem como a curva do acelerador (ajuste de torque) e o freio do motor para se adequar ao nível de habilidade e estilo de pilotagem do cliente.

Outros recursos do Modo Pro são o Launch Control (Controle de Tração) para arrancadas perfeitas e o Limitador de Pit Lane configurável para aderência ideal às velocidades no pit lane. As mudanças ultra-rápidas de marcha, sem a necessidade de acionamento da embreagem é ativada pelo HP Shift Assistant Pro, que vem como item de série.

Graças ao novo sensor de inclinação de seis eixos é possível configurar tanto a regulagem do ABS quanto as funções DTC. A regulagem do DTC é tão rápida e precisa, que permite transmitir exatamente a força necessária para empinar a roda dianteira em linha reta, sem que ela fuja ao controle – ou seja, estabilidade de condução perfeita sem interferências abruptas e aceleração máxima.

Painel moderno e conectado
O painel de instrumentos do modelo também foi completamente atualizado para proporcionar, de forma ainda mais consistente, o seu uso em competições, além de uma ampla gama de informações.

O objetivo é oferecer ao motociclista telas personalizadas para diferentes utilizações e necessidades. A tela Pure Ride mostra todas as informações necessárias para o uso regular na estrada, enquanto as três telas Core são projetadas para uso nas pistas de corrida, com o conta-rotações exibido em forma analógica (Core 1 e 2) ou então como um gráfico de barras (Core 3), por exemplo.

A nova BMW S 1000 RR é oferecida em duas opções de cores: vermelha, já disponível nas concessionárias autorizadas da marca, e cinza, disponível a partir de abril.

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga