BMW Série 2 Active Tourer: um familiar nada familiar

Roberto Assunção

Posso até ser purista, mas sou do tempo em que Mercedes-Benz tinha a estrelinha sobre o capô e os modelos BMW eram dotados de tração traseira. Quando poderia imaginar que iria guiar um “BM” dotado de tração dianteira? Por esse motivo, estava (bastante) desconfiado desse Série 2 Active Tourer, que desembarcou no Brasil na versão 225i por R$ 178.950. Contudo, meus pensamentos céticos desapareceram logo após a primeira acelerada. Diferentemente do que achava, esse monovolume não é nem um pouco sem sal. Ao contrário, o tempero está no motor 4 cilindros 2.0 a gasolina com a tecnologia BMW TwinPower Turbo.


O simpático Série 2 mede 4,3 m. Quadro de instrumentos, tela multimídia com navegador, ar-condicionado e câmbio automático com seletor da central multimídia

Não são apenas seus 234 cv de potência, mas também os 35,7 kgfm de torque (disponíveis de 1.250 a 4.500 rpm), que transmitem um temperamento esportivo a esse 225i, com respostas vigorosas e de prontidão. A transmissão automática Steptronic muda ou reduz velozmente as oito marchas e ainda oferece trocas sequenciais pelas borboletas atrás do volante ou na alavanca, para apimentar a condução. Quando tive a oportunidade, experimentei o Launch Control para extrair todo o potencial de aceleração do modelo. Esse Série 2 AT, assim como outros carros da BMW, tem os modos de condução Eco Pro, Comfort e Sport, que alteram alguns parâmetros do carro.

Com o Eco Pro selecionado e dirigindo a velocidades constantes entre 50 e 160 km/h, ao tirar o pé do pedal do acelerador, o sistema engata o “ponto morto” do câmbio para ajudar no consumo de combustível (ainda assim meio alto). Aliás, o carro ainda possui o Start-Stop, que desliga o motor durante breves paradas, como nos semáforos. Já os freios têm sistema de regeneração que ajuda a carregar a bateria durante desacelerações ou frenagens. As suspensões privilegiam a dirigibilidade e oferecem a típica calibração dos modelos BMW – um pouco mais firme comparado ao rival Mercedes-Benz Classe B. Realmente, é um monovolume grudado no chão e com boa dinâmica em curvas.


As costuras vermelhas no interior com acabamento em couro mostram o astral esportivo do 225i, que tem belas rodas de 17”, bom espaço traseiro (à esquerda) e ótima tocada na estrada

Como todo modelo destinado às famílias, esse BMW oferece uma cabine espaçosa. O Série 2 é feito sobre a plataforma modular UKL –, a mesma do Mini, e que também servirá de base para futuros modelos da BMW, como as novas gerações do X1, do Série 1 e do Mini Countryman. Está certo que o túnel central elevado rouba parte do espaço para as pernas do terceiro ocupante no banco traseiro, mas isso tem uma explicação: na Europa, o BMW Série 2 Active Tourer também é oferecido com tração integral (e o cardã passa ali). Já o teto solar coopera na amplitude interna e a tampa do porta-malas oferece a comodidade da abertura elétrica. Ao final da minha avaliação, cheguei a uma conclusão: que importa o tipo de tração para os consumidores “comuns”? O que vale é um carro prazeroso de dirigir, como o Série 2 Active Tourer demonstrou ser.

—–

Ficha técnica:

BMW 225i Active Tourer

Motor: 4 cilindros em linha, 16V, turbo, injeção direta, duplo comando variável
Cilindrada: 1998 cm3
Combustível: gasolina
Potência: 234 cv a 4.750 rpm
Torque: 35,7 kgfm entre 1.250 e 4.500 rpm
Câmbio: automático sequencial, oito marchas
Tração: dianteira
Direção: elétrica
Dimensões: 4,342 m (c), 1,561 m (l), 1,586 m (a)
Entre-eixos: 2,670 m
Pneus: 205/55 R17
Porta-malas: 468 litros
Tanque: 51 litros
Peso: 1.430 kg 0-100 km/h: 6s6
Velocidade máxima: 240 km/h
Consumo cidade: 8,8 km/l
Consumo estrada: 12,2 km/l
Nota do Inmetro: E (categoria Médio)

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar