BMW Z4

O M pode ser destacado como aquele tipo de carro que todo apaixonado deveria ter a oportunidade de dirigir pelo menos uma vez na vida. Um verdadeiro monumento de tecnologia e design arrojado. Um esportivo perfeito: bonito, atraente, com design dianteiro que lembra um felino atacando sua presa e uma performance de tirar o fôlego que, ao mesmo tempo, transmite ao motorista uma incrível sensação de segurança, mesmo a 200 km/h. Sob todos os ângulos em que se olhe o Z4 M, há um encantamento. Tudo é equilibrado, perfeito.

Definitivamente, apesar de toda a precisão mecânica e das linhas do Z4 M, a análise do pequeno Coupé da BMW (4,11 m de comprimento, 1,78 m de largura e 1,29 m de altura) está longe da frieza dura das conclusões técnicas. Apesar de todo “tecniquês”, o Z4 M é pura emoção. Na realidade, estar ao redor do modelo, entrar e curtir sua atmosfera esportiva e ouvir o ronronar do seu nervoso motor de seis cilindros remete unicamente ao emocional. Você acaba esquecendo toda a tecnologia de ponta que o envolve. Engatar a primeira marcha à moda antiga, com alavanca/ embreagem e tudo a que o motorista mais purista tem direito, engate seco, firme, preciso e sair acelerando forte… não tem preço. O Z4 M acelera do zero até os 100 km/h em cinco segundos, fazendo a adrenalina de qualquer apaixonado disparar. Além de tudo, o M anda muito!

A mecânica é praticamente a mesma do Coupé M3, antiga versão de seis cilindros (agora é V8…). O motor 3,2 litros produz nervosos 343 cv. São 107,2 cv/l, um valor que mostra com clareza o grau de desenvolvimento do seu motor. É como se tivéssemos um carro 1.0 com 107 cv! Um espanto! Tanto que para atingir essa marca, o motor dá potência máxima a 7.900 rpm. Regime de giro de carro de corrida. E dos bons.

Mas se você imagina que uma unidade com essas características não tem força nas baixas rotações, um engano: graças ao duplo vanos nos comandos de válvulas, tanto da admissão quanto do escapamento, o torque desse motor acontece de maneira bem significativa desde os baixos regimes: o torque máximo de 37,2 kgfm aparece a 4.900 rpm, mas às 2.000 rotações o motor já disponibiliza 29,5 kgfm e a ínfimos 1.000 giros, já produz 25,5 kgfm de força. Isso garante arrancadas surpreendentes e retomadas vigorosas. Nas ruas ou nas estradas o Z4 M é uma verdadeira fera!

1. Como um bom carro de corrida, este M despeja sua potência máxima a altíssimas 7.900 rotações. Já o câmbio manual de seis marchas, com seus engates firmes e precisos, garante um maior aproveitamento do torque. A 1.000 rpm, já são mais de 25 kgfm!

2. No interior, a tela multifunções engloba o computador de bordo, o GPS e o sistema de telefonia celular. Para garantir conforto total, som de alta qualidade, ar-condicionado digital e bancos de couro com regulagem elétrica

No motor da Z4 M está um dos segredos para que esse minúsculo cupé pareça carro grande na hora de acelerar: com seis borboletas individuais no coletor de admissão, como nos refinados carros de competição, seu motor é o mesmo da antiga M3 e gera 107 cv/litro de cilindrada a quase 8.000 rpm

A luz do repetidor da seta acende, charmosamente, atrás do logotipo BMW

Na versão avaliada, o câmbio é de seis marchas, manual, o que permite um aproveitamento maior da força produzida pelo seis cilindros. Há sempre a marcha correta para cada situação de utilização. Para essa versão, o câmbio SMG (manual automatizado) não é disponibilizado. Mas, pra quê? As borboletas sob o volante não fazem a menor falta.

As suspensões são independentes e totalmente confeccionadas em liga de alumínio, como cabe a um verdadeiro M Power. O sistema de freios é superdimensionado e não há momento ou situação de utilização em que você possa pensar “ah, se os freios fossem um pouco maiores…”. Sobra freio, como se costuma dizer no jargão automobilístico.

O porta-malas tem boa capacidade para um esportivo desse naipe: bons 245 litros no nível abaixo dos vidros e 300 litros até o máximo. Nessa medida até em cima, sua capacidade é maior que a de um Gol, por exemplo. Bom para a bagagem de duas pessoas.

No restante o carro dispõe de todos os recursos eletrônicos de controle de estabilidade, travamento das rodas nas frenagens e tração. Para conforto há um ótimo sistema de áudio, ar-condicionado automático, regulagem elétrica dos bancos, bancos de couro e por aí vai… Preço do “mimo”: R$ 344.978 pela tabela da Fipe (portanto o preço praticado pelo mercado). Essa é a parte triste de um carro que pode ser classificado como um ícone de esportividade.