Brasil irá desenvolver tecnologias de biocombustíveis para o Grupo Volkswagen

Para a empresa alemã, os motores a combustão ainda podem durar mais algumas décadas nos países em desenvolvimento

0
553
ANP registrou recorde histórico de consumo de etanol no Brasil em 2019
ANP registrou recorde histórico de consumo de etanol no Brasil em 2019

O Grupo Volkswagen anunciou nesta segunda-feira (12) que irá criar no Brasil um Centro de Pesquisa & Desenvolvimento voltado para o estudo de soluções tecnológicas baseadas em etanol e outros biocombustíveis para mercados emergentes.

+ GM lucra o equivalente a R$ 72 com o carro elétrico mais vendido na China
+ Híbridos e elétricos serão menos de 10% dos carros 0km brasileiros em 2030, aponta estudo
+ Nissan prepara carro elétrico para rodar com etanol batizado; entenda
+ Carro elétrico JAC E-JS1 entra em pré-venda no Brasil com preço de Toyota Corolla flex


O Grupo Volkswagen planeja eliminar a produção de veículos a combustão na Europa entre 2033 e 2035. Nos EUA e na China, isso deve acontecer um pouco mais tarde. Já mercados emergentes como o Brasil podem demorar ainda mais para se tornarem completamente elétricos.

Na avaliação da Volkswagen, fatores como a indisponibilidade de infraestrutura de carregamento, a existência de energia renovável e o nível de renda local justificam esse investimento na pesquisa de opções alternativas aproveitando os recursos locais brasileiros.

Segundo estudo publicado pelo World Wildlife Fund (WWF) Brasil, até 2030, os biocombustíveis podem suprir 72% da demanda brasileira de combustível apenas pela otimização das pastagens degradadas atualmente sem competir com a terra necessária para a produção de alimentos.

Mais na Motor Show

+ Veja 5 carros premium que estão disponíveis no app 99
+ Comparativos históricos (2012): Chevrolet S10 LTZ flex vs. Ford Ranger Limited flex
+ Fiat 127 Rustica era o “SUV brasileiro” da marca muito antes do Pulse
+ OLX lança Histórico Veicular para compra de venda de carros usados
+ O 1º Skyline não era Nissan e tinha motor de 60 cv
+ Postos do Sudeste têm a gasolina mais cara do Brasil, aponta estudo