Bugatti La Voiture Noire é exagero de mais de R$ 47 milhões

Novo hiperesportivo Bugatti La Voiture Noire é o modelo mais caro da história. Com status de obra de arte, tem motor W16 8.0 com quatro turbos de 1.500 cv

 

O carro mais caro da história está entre nós. Apresentado no Salão de Genebra, na Suíça, o Bugatti La Voiture Noire (“o carro negro”, em tradução livre), homenageia o histórico Type 57SC Atlantic, de 1936, criado por Jean Bugatti, filho de Ettore Bugatti, o criador da luxuosa marca francesa. E a única unidade construída foi vendida por 11 milhões de euros (R$ 47 milhões, em conversão direta) para um entusiasta anônimo.

O novo hiperesportivo da Bugatti, segundo o fabricante, é uma tentativa mesclar um hiperesportivo com o conforto de uma limousine e o fascínio de um coupé. Construído inteiramente em fibra de carbono, o Bugatti La Voiture Noire exibe um design limpo e alguns elementos de estilo merecem destaque, como a ausência da janela traseira (uma herança do Type 57 SC Atlantic), a lanterna inteiriça e as seis saídas de escape.

Assim como o Chiron, o Bugatti La Voiture Noire também utiliza o poderoso motor W16 8.0 com quatro turbos para entregar 1.500 cv de potência e 163,1 kgfm de torque. O câmbio é de dupla embreagem e sete marchas, enquanto a tração é integral. Esse conjunto permite acelerar de 0-100 km/h em 2,5 segundos e a velocidade máxima é de 420 km/h (limitada eletronicamente). Já os pneus foram desenvolvidos especialmente para o modelo.

 

blog comments powered by Disqus