C3 Picasso o Aircross urbano

EMISSÃO DE CO2 n/d g/km SEM DADOS

CITROËN C3 PICASSO ESTIMADO/A PARTIR DE R$ 49 mil

O novo C3 Picasso é, sem dúvida, um dos modelos mais promissores da Citroën no mercado brasileiro. Desenvolvido pelo centro de design da marca em São Paulo (SP) a partir do carro europeu de mesmo nome, o Aircross nada mais é do que um C3 Picasso com roupagem off-road. Agora é a vez de sua versão comportada ganhar as ruas brasileiras. Para diferenciá-lo do Aircross, a montadora tratou de dar ao carro uma cara mais urbana. A nal, o carro europeu (leia quadro) se assemelha muito ao nosso modelo aventureiro. O C3 Picasso que começa a ser vendido neste mês foi desenhado no Brasil pela equipe de design da Citroën da América Latina, com a supervisão do diretor mundial de estilo do Grupo PSA, Jean-Pierre Ploué.

O resultado foi um veículo bastante elegante, mas que não deixa de ser jovial. Por dentro, não há quase nenhuma diferença com relação ao Aircross – apenas novos tecidos e forrações internas. Destaque para os novos bancos em couro para a versão top de linha, com parte central em malha que dá uma aparência 3D. Além de dar mais sofisticação visual, de acordo com a Citröen este tecido ajuda também a reduzir o calor dentro da cabine.

ALGUNS DOS PRINCIPAIS CONCORRENTES

KIA SOUL

Ele inaugurou a nova onda dos carros “quadrados” no Brasil. Com motor 1.6 ex, parte da casa dos R$ 57 mil

CHEVROLET MERIVA

Bastante espaçosa e com motor 1.4 ex, custa pouco mais de R$ 43 mil. Mas deve mudar ainda neste ano

HONDA FIT

O modelo mais vendido do segmento tem preços a partir de R$ 50 mil, versões ex 1.4 ou 1.5 e câmbio manual ou automático.

Mecanicamente, o C3 Picasso é quase igual ao Aircross: motor 1.6 16V ex, suspensão McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira, com apenas alguns acertos especí cos de suspensão e câmbio. O modelo urbano teve as marchas encurtadas para melhorar seu desempenho na cidade. Na verdade, sua dirigibilidade é um pouco melhor do que a do irmão aventureiro. Ele tem um comportamento dinâmico mais agradável, com maior sensação de estabilidade e uma dose a mais de agilidade. A posição de dirigir é boa, com excelente visibilidade – uma de suas maiores vantagens em relação aos concorrentes.

O espaço interno também agrada, mas está na média do segmento de monovolumes. Na cidade, não há do que reclamar, mas na estrada sua curta relação de marchas chega a incomodar. A 120 km/h, o conta-giros registra 4.000 rpm, uma rotação muito alta para o bom motor 1.6 16V.

O C3 Picasso está disponível em três versões: GL, GLX e Exclusive. A partir da con guração GLX, a marca também disponibiliza câmbio automático de quatro marchas com opção sequencial (e o Aircross também ganha agora opção automática).

O familiar traz desde o modelo de entrada direção hidráulica, ar-condicionado, computador de bordo, retrovisores externos com acionamento elétrico e travamento automático das portas com o veículo em movimento. Já na con guração top de linha ganha ar-condicionado digital, bancos em couro, rádio com entradas USB e para iPod, airbag duplo (opcionais nas demais versões), sensor de estacionamento traseiro e sensor de chuva, entre outros itens. Como opcional o exclusive conta com airbags laterais dianteiros e navegador GPS interado ao painel com tela de sete polegadas.

Assim como o Aircross o C3 Picasso também será produzido na planta da PSA em Porto Real (RJ). Até o fechamento desta edição o preço sugerido do carro não havia sido divulgado, mas as estimativas eram de que partisse de R$ 49 mil e chegasse a R$ 62 mil. Para melhorar a oferta, a Citroën oferece três anos de garantia e revisões com preços xos até os 60 mil quilômetros. Segundo o presidente da Citroën do Brasil, Ivan Ségal, a expectativa é de que o modelo urbano venda um pouco mais que o aventureiro – cerca de duas mil unidades por mês. Para que esses planos não sejam atrapalhados pelo Xsara Picasso, a marca passará a vender a velha minivan em apenas uma con guração.

O europeu é diferente

O C3 Picasso já roda na Europa desde 2008. Lá, ele tem um design mais descolado, entre o “radicalismo” do Aircross e a racionalidade do C3 Picasso brasileiro. Isso porque o departamento de estilo da Citroën da América Latina precisou criar um visual que o distanciasse do modelo aventureiro.

As principais mudanças estão nos para-choques, em que predominam as cores da carroceria e não os detalhes em preto fosco. Mas o grande charme do modelo está na nova tampa do porta-malas, que teve o portaplacas deslocado para o lado direito.

A peça varia entre prata e preto, de modo a sempre contrastar com a cor da carroceria. Por dentro, o painel do modelo europeu é bem diferente, com instrumentos na parte central. O C3 Picasso brasileiro ganhou as linhas do Aircross – e mudanças nos tecidos.

Citroën C3 Picasso Exclusive

MOTOR quatro cilindros em linha, 1,6 litro, 16V TRANSMISSÃO manual, cinco marchas, tração dianteira DIMENSÕES comp.: 4,09 m larg.: 1,72 m alt.: 1,63 m ENTRE-EIXOS 2,540 m PORTA-MALAS 442 litros PNEUS 195/55 R16 PESO 1.392 kg • GASOLINA POTÊNCIA 110 cv a 5.800 rpm TORQUE 14,5 kgfm a 4.000 rpm VELOCIDADE MÁXIMA não disponível 0 100 km/h não disponível CONSUMO não disponível CONSUMO REAL não disponível • ETANOL POTÊNCIA 113 cv a 5.800 rpm TORQUE 15,8 kgfm a 4.500 rpm VELOCIDADE MÁXIMA não disponível 0 100 km/h não disponível CONSUMO não disponível CONSUMO REAL não disponível

A carroceria alta garante um interior bastante amplo

COMPARTILHAR
Notícia anteriorO espaço que sua família merece
Próxima notíciaMotor News