Cansado de carro 1.0?

1.PEUGEOT 206 1.4

BÁSICO R$ 33.800

AVALIADO

R$ 38.714

2.PALIO ELX 1.4

BÁSICO R$ 32.960

AVALIADO

R$ 39.775

3.CORSA 1.4

BÁSICO R$ 31.938

AVALIADO

R$ 39.888

Em janeiro do ano passado, os carros 1.0 representavam quase 50% dos veículos vendidos no Brasil e, desde então, suas vendas só têm caído. Em dezembro passado, conquistaram 37% do mercado. A diferença, só naquele mês, representou cerca de 26 mil carros “mil” a menos nas ruas. A “culpa” é dos modelos 1.4, que, pouco mais caros, oferecem desempenho superior, o que garante mais segurança em ultrapassagens e situações em que potência não significa velocidade, mas sim boa dirigibilidade.

Comparamos, agora, os 1.4 mais baratos do mercado, com preços que começam na mesma faixa que os 1.0 equipados. No comparativo da edição passada, por exemplo, Gol, Ka, Celta e Palio Fire equipados com motor “mil” começavam na casa dos R$ 25/26 mil, mas os modelos avaliados, com rodas de liga leve, ar, direção e outros itens, saíam por R$ 31.790 mil a R$ 35.564 – preço das versões básicas destes 1.4: Palio, Corsa e Peugeot 206.

Ou seja, se sua prioridade está na dirigibilidade e não nos equipamentos, você nem precisa gastar mais: basta abrir mão de alguns itens de conforto e/ou adereços estéticos. Com a queda dos juros e aumento dos prazos de financiamento, o consumidor pode, com um pouco a mais em cada parcela, deixar de comprar um raquítico 1.0 e levar para casa um honesto 1.4.

Os outros 1.4 do mercado, Fiat Punto e Citroën C3, não estão aqui por dois motivos: primeiro, porque são mais caros – começam na casa dos R$ 40 mil; em segundo lugar, porque já os comparamos na edição de dezembro passado (veja box). Mas vamos, então, aos carros. Na realidade, nenhum deles pode ser considerado uma grande novidade.

206 é praticamente o mesmo desde seu lançamento em 2001, o Corsa não muda desde 2002 e o Palio, o mais “novo” deles, completou um ano de idade com o novo desenho agora em março. Isso significa que Peugeot e Chevrolet mudam logo: até o fim do ano serão totalmente reestilizados, se aproximando de suas versões européias, embora devam manter a mesma plataforma e o mesmo motor e câmbio. Provavelmente vão sofrer alguma desvalorização – o que pode render um desconto nos modelos atuais – , mas isso não quer dizer que deixem de ser boas opções de compra.

Enquanto a Peugeot foi pioneira em fortalecer os modelos 1.4, vendendo seu 206 com este motor pelo preço que custava o 1.0 na época de sua aposentadoria, em 2006 (mas que hoje tem preço acima dos outros “mil”), no ano passado foi a GM que surpreendeu com seu novo 1.4, batizado Econo.Flex, capaz de gerar 105 cv com álcool (para se ter uma idéia, o Gol 1.8 tem 106 cv com o mesmo combustível).

Portanto, em termos de motor, o Corsa leva vantagem. Apesar de a aceleração de 0 a 100 km/h ser praticamente idêntica nos três modelos (confira nas fichas técnicas), a velocidade máxima do Chevrolet é maior (180 km/h com álcool), assim como suas retomadas são mais rápidas, principalmente em altas velocidades. O Palio, com 80/81 cv (gasolina/álcool), tem a vantagem do peso 40 kg menor e de o torque máximo vir antes, a apenas 2.250 rpm – o que representa comportamento “mais” esperto na cidade, semelhante ao dos rivais, que atingem o torque máximo um pouco depois – 2.800 rpm no 206 e 3.250 rpm no Corsa.

Os modelos 1.4 garantem um desempenho superior com quase o mesmo consumo que um 1.0

Nas fichas técnicas, pode-se notar também que o consumo deles é semelhante (e, ao contrário do que se pensa, muito parecidos com o de modelos 1.0). Enquanto o Palio é o mais econômico com álcool, tanto na cidade quanto na estrada, e ligeiramente menos gastão com gasolina na cidade, o Corsa é o mais econômico na estrada, com álcool. Já em relação ao câmbio, os três têm bons engates, mas no Peugeot são mais curtos. Mas, apesar das semelhanças, os três também têm diferenças marcantes.

A suspensão do Palio é bastante confortável, mas mole demais. Já o Corsa e o 206 têm regulagens mais esportivas, com mais conforto no primeiro (a do 206 é ruidosa). Em termos de acabamento, nenhum se destaca por ser impecável, mas Fiat e Chevrolet são superiores. Já o espaço interno é maior no Corsa, com 2,49 m de entreeixos: no 206; é 5 cm menor, e no Palio 12 cm menor. Mas o Fiat tem o maior portamalas, de 290 litros, contra 260 do Corsa e 245 litros do 206.

posição de dirigir é mais confortável no Fiat e no Peugeot, pois têm regulagem de altura do volante em todas as versões, enquanto o item não está disponível no Corsa. Em compensação, ele é o único com regulagem de altura dos bancos de série: no Fiat, é opcional (R$ 780, inclui console e painel bicolor, acabamento em veludo, porta-objetos nas portas traseiras e faixa cromada na traseira), e no 206 só na versão intermediária, Presence.

TABELA DE PREÇOS (EM NEGRITO, MODELO AVALIADO)

Corsa

Palio

206

Básico

R$ 31.938

R$ 32.960

R$ 33.800

+ trio elétrico (TE)

n/d

R$ 34.589

R$ 34.814

+ direção hidráulica

R$ 33.638

n/d

R$ 35.600

+ direção + TE

R$ 35.088(1)

R$ 35.333

R$ 36.614

+ ar-condicionado

R$ 35.438

R$ 36.931

R$ 37.700

+ ar + TE

n/d

R$ 38.560

R$ 38.714

+ ar + direção

R$ 37.138

n/d

R$ 39.500

+ ar + direção + TE

R$ 38.588(2)

R$ 38.616(3)

R$ 40.514

OBS: Todos os preços são sugeridos, com frete para SP e quatro portas. (1) Trio elétrico só na versão top, a Premium, que inclui outros itens de série. Os preços sem trio elétrico são da versão Maxx. O modelo avaliado tinha faróis de neblina e rodas de alumínio, por isso o preço de R$ 39.888. (3) Inclui rodas de liga leve. O carro avaliado tinha interior bicolor e acabamento em veludo, subindo o preço para R$ 39.775.

Em segurança, a Fiat se destaca por oferecer o Kit HSD (airbag duplo + ABS), por R$ 2.989, desde a versão básica do carro. O Corsa só oferece airbags e, por mais estranho que pareça, só na versão Maxx, mais barata, como opcional no pacote completo de equipamentos, por R$ 1.600 adicionais. E o 206, com este motor, não oferece airbags nem ABS.

Se você usa o carro principalmente em estradas, o Corsa é a melhor escolha, pelo desempenho, além de ser mais barato. Já para a cidade, a decisão é difícil, pois cada um tem pontos positivos e negativos. Analise os preços, avalie suas necessidades e só depois decida sua compra.

No Palio, o painel bicolor é opcional, assim como o CD player integrado ao painel. Os mostradores de fundo branco tem ótima leitura. Destaque para o porta-luvas duplo

O painel todo em preto do 206 é elegante e tem display que mostra data e hora, além de informações do rádio (opcional). Mas falta um hodômetro parcial, que possa ser zerado

O Corsa é o único que não oferece regulagem de altura do volante, e o display do rádio, com data, hora e temperatura externa, só vem como item de série nas versões mais caras

PUNTO E C3 Eles também podem ser 1.4

FIAT PUNTO 1.4

R$ 39.550 a R$ 61.563

CITROËN C3 1.4

R$ 41.590 a R$ 49.880

Além dos modelos deste comparativo, ainda há mais duas opções com motor 1.4 no mercado nacional: Fiat Punto e Citroën C3. O Punto é a maior novidade do segmento, tem tido bons resultados de vendas e, por isso, uma fila de espera (veja matéria nesta edição). O preço deles começa em um patamar mais elevado, na casa dos R$ 40 mil. Isso porque o C3 é mais equipado desde suas versões de entrada e o Punto tem porte maior, ficando posicionado entre Palio e Stilo. Outra opção 1.4 virá com o lançamento da nova geração do Gol, prevista para o mês que vem. O motor será o mesmo utilizado hoje na Kombi, mas totalmente recalibrado para o novo hatch.