Caoa Chery surpreende e apresenta três novos SUVs no Salão

Os modelos Tiggo 5X, Tiggo 7 e Tiggo 8, para sete pessoas, estreiam nos próximos meses. A marca mostrou também o sedã Arizzo

4165
CAOA Chery Tiggo 5X (Roberto Assunção)

Em sua primeira participação no Salão de São Paulo, a Caoa Chery surpreendeu e apresentou de uma só vez três novos SUVs que estão prontos para estrear no mercado brasileiro nos próximos meses. Para fazer companhia ao Tiggo 2, que já está à venda, a empresa formada por capital brasileiro e chinês mostrou sua linha completa de utilitários esportivos. O primeiro a chegar será o Tiggo 5X, que ocupa o lugar do ex-Tiggo 4 (nome da antiga geração na China). Ele começa a ser vendido em dezembro. Em janeiro chega o Tiggo 7,  maior, e durante o ano será lançado o Tiggo 8, para sete pessoas.

O Tiggo 5X chega para brigar com SUVs compactgos superiores, como o Jeep Renegade e o Hyundai Creta 2.0. Ele foi desenvolvido na plataforma modular T1X, mede 4,338 metros e utiliza motor turboflex 1.5 de 147/150 cv de potência. O torque é de 21,4 kgfm, disponíveis entre 1.750 e 4.000 giros. O bloco e o cabeçote são de alumínio. Um detalhe técnico interessante é o câmbio de seis marchas, automatizado de dupla embreagem (normalmente superiores aos automáticos com conversor de torque e aos CVT). Ele tem modos de condução Eco e Sport. Como a proposta é de carro urbano e viagens curtas, o porta-malas tem 340 litros.

Tiggo 7 e Tiggo 8

O Tiggo 7 chega para brigar diretamente com o Jeep Compass, o líder do segmento. Outro SUV que serviu de referência para a Caoa Chery na montagem do pacote técnico do Tiggo 7 é o Hyundai ix35. O Tiggo 7 mede 4,505 metros e tem a distância entre-eixos 4 cm maior do que o 5X (2,670 contra 2,640 metros). O porta-malas tem capacidade para 414 litros. Segundo a Caoa Chery, o Tiggo 7 recebeu cinco estrelas no teste de impacto do C-NCAP, agência chinesa similar ao Latin NCAP. O motor é o mesmo 1.5 do Tiggo 5X.

Como é normal nos carros vendidos pelo Grupo Caoa, o Tiggo 7 chegará ao mercado em janeiro com alto nível de equipamentos, como teto solar panorâmico, bagageiro em dois níveis, câmera 360 graus, controle de tração e uma completa central multimídia. Os preços do Tiggo 7 e de seu irmão menor 5X – ambos fabricados em Anápolis, Goiás – ainda não foram definidos.

Já o Tiggo 8 será o SUV topo de linha da Caoa Chery. Ele não estava sendo esperado para o Salão, mas a empresa decidiu antecipar sua apresentação. Ele tem capacidade para oito passageiros e vai brigar diretamente com o Peugeot 5008 e o Volkswagen Tiguan Allspace, entre outros. O Tiggo 8 será o primeiro veículo da marca a utilizar o conceito Chery Lion de veículos inteligentes. O carro mede 4,700 metros uma tela multimídia de 10,5” e Wi-Fi 4G com navegador por GPS integrado.

Futuro da Caoa Chery
Chery Arrizo 5 (Roberto Assunção)

Apresentado antes do Salão, o sedã Arrizo 5 teve seus preços revelados. A versão de entrada (RX) custará R$ 65.990 e a topo de linha (RXT) sairá por R$ 72.990. O carro faz parte da estratégia da marca de vender 34.000 unidades em 2019 e chegar ao 11º lugar no ranking brasileiro de veículos leves. Com duas fábricas funcionando (uma em Anápolis e outra em Jacareí, SP), a Caoa Chery cresce num ritmo surpreendente e motivou a vinda ao Brasil do vice-presidente da Chery Automobile, He Xiaoqing. Ele fez a apresentação de abertura da marca no Salão de São Paulo.

Mais tarde, conversando com MOTOR SHOW, He Xiaoqing disse ser uma apaixonado pelas coisas do Brasil e que a presença da Chery no país é um sinal de que a empresa não está aqui somente para fazer negócios, mas para participar de seu desenvolvimento. “Caoa é muito forte em marketing e em logística e a Chery é muito forte na produção, então temos uma união forte aqui”, afirmou. “Espero que no futuro a Caoa Chery possa estar entre as 10 maiores produtoras de carros do Brasil.”