Captiva 2.4


A versão quatro cilindros da Captiva está chegando ao mercado nacional em meados de fevereiro. Além de uma mecânica exclusiva para o mercado nacional com o moderno motor Ecotec 2.4 VVT de 170 cv, a utility da Chevrolet deve arrebentar a concorrência com um preço surpreendente, em torno dos R$ 82 mil. Lembrando que, apesar da complicada situação econômica mundial e da queda nas vendas nacionais de automóveis, a Captiva hoje é um dos poucos produtos que continua crescendo (dados de novembro em relação ao mês de outubro), ainda tem fila de espera nas revendas e até ágio sobre seu preço sugerido pela fábrica na versão V6. Essa é uma prova mais que incontestável de seu estrondoso sucesso em nosso mercado.

Se considerarmos a modernidade do projeto e tudo o que o modelo mais econômico (tanto no preço de aquisição quanto no consumo) deverá oferecer ao consumidor, pode-se afirmar tranqüilamente que a deverá transformar-se em um sucesso desde o início de suas vendas. Se hoje a Chevrolet já comercializa cerca de 1.500 unidades/mês da Captiva V6, e ainda faltam carros para atender à demanda, estima- se que, com a versão quatro cilindros a um custo bem mais atraente, a marca deverá passar a vender cerca de três mil unidades/mês da Captiva, o que significa uma venda de 36 mil unidades/ano.

O lançamento da versão Ecotec 2.4 VVT deverá fazer com que a linha Captiva fique mais equilibrada em termos de ofertas de opções de equipamentos. O modelo quatro cilindros de entrada deverá ter a mesma aparência externa da atual versão V6, mas com rodas de liga leve aro 16 sem cromo no acabamento (na V6 elas são aro 17 e cromadas) e saída única de escapamento. Internamente, a Chevrolet oferecerá tecido aveludado na forração dos bancos, sistema de som completo e ar-condicionado automático. Na mecânica, o carro de entrada terá apenas tração dianteira (não será oferecida a versão 4X4 como na V6) e transmissão automática de quatro marchas com comando eletrônico e possibilidade de trocas seqüenciais. Na versão V6 continuarão sendo oferecidas as opções 4X2 ou 4X4, dependendo das necessidades do consumidor, câmbio automático de seis marchas e interior com forração em tecido ou couro.

A VERSÃO 2.4 PERDE O ESCAPE DUPLO E AS RODAS ARO 17

É interessante ressaltar que essa versão Ecotec 2.4 de quatro cilindros foi desenvolvida especificamente para o mercado nacional, pois ela não existia na linha da planta mexicana onde a Captiva é fabricada. Produzida e vendida em diversas partes do mundo, a Captiva é um carro mundial da GM. Desde seu lançamento em 2007, já foram vendidas mais de 230 mil unidades do modelo, com diferentes marcas do grupo GM. Para o mercado nacional, o SUV mundial da Chevrolet chegou em agosto de 2008 e imediatamente se transformou em um sucesso de vendas. A versão V6 2009 começou a ser comercializada em novembro de 2008 e trouxe, como grande diferença com relação à versão anterior, o novo computador de bordo e o aumento do limite eletrônico de velocidade máxima de 160 km/h para 180 km/h. Com isso o preço básico sugerido pela Chevrolet para a versão V6 subiu de R$ 91.990 para R$ 94.850.

Agora, o lançamento da versão Ecotec 2.4 deve colocar o novo modelo no mercado por cerca de R$ 82 mil, ou seja, perto de R$ 13 mil mais em conta que a versão V-6. Para quem quer um carro moderno, confortável e de status (e não tem na performance sua prioridade no momento da escolha), essa versão mais barata vem como uma opção bem interessante. Se considerarmos então os concorrentes, a versão de quatro cilindros 2.0 4X2 automático do CRV da Honda custa mais de R$ 96 mil, Hyundai Tucson 2.0 quase R$ 82 mil e o Kia Sportage 2.0 manual quase R$ 80 mil. Comparada com os principais rivais a a Captiva Ecotec 2.4 fica ainda mais interessante. Depois do início de suas vendas, em fevereiro, essa versão deverá transformar-se no carro a ser batido. Um desafio para o restante do mercado.

Ecotec 2.4 VVT: Sinônimo de modernidade

O moderno Ecotec 2.4 é um motor mundial da GM. Produzido nas versões 2.0, 2.2 e 2.4 litros, chegará ao Brasil inicialmente na versão mais potente, que produz 170 cv quando utiliza gasolina. Para 2009 já será lançada a versão flex desse motor 2.4, inicialmente apenas no modelo retrô HHR, mas, em breve, deverá estar disponível em todos os Chevrolet que utilizam esse propulsor. Com álcool, o Ecotec 2.4 produz 174 cv, com significativo aumento do torque e com comportamento mais suave da curva de força. Ótimo para a dirigibilidade. Em um primeiro momento, a Chevrolet venderá aqui apenas a versão a gasolina. Mas é apenas uma questão de tempo até termos a versão bicombustível, que difere da norte-americana apenas na partida a frio, que os americanos dispensam: como eles não usam o E100 (100% de álcool) e sim a tendência mundial que é o E85 (85% de álcool e 15% de gasolina), essa mistura desobriga a utilização de gasolina na primeira partida.

Totalmente confeccionado em alumínio, o Ecotec alia leveza à rigidez estrutural graças ao bom projeto bloco/cabeçote. Essas características permitem ajustes maiores das folgas de operação tornando o motor mais silencioso e durável. Possui duplo comando de válvulas no cabeçote com variador de fase tanto na admissão quanto no escape, recurso que favorece o torque nas baixas rotações; quatro válvulas por cilindro com a vela posicionada no centro da câmara de combustão; pistões com cabeça desenhada de maneira a permitir encaixe das válvulas e, ao mesmo tempo, maior taxa de compressão; bomba, injetores e toda a linha de combustível em materiais inoxidáveis para resistir à corrosão provocada pelo álcool contido em nossa gasolina e por aí vai. A Captiva será o primeiro Chevrolet com esse moderno motor, que equipará outros modelos da marca que estão chegando por aqui.

 

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

COMPARTILHAR
Notícia anteriorAproveite as oportunidades
Próxima notíciaO C4 que faltava