Chevrolet Montana fica mais econômica na linha 2017

0
16154

A Chevrolet Montana chega na linha 2017 com novos equipamentos de série e modificações mecânicas para reduzir o consumo de combustível.

Não foi desta vez que a picape compacta da marca trocou o 1.4 da geração EconoFlex de 94/99 cv (gasolina/etanol) pelo modernizado 1.4 ECO de 98/106 cv, que estreou nos Onix e Prisma remodelados. Ao invés disso, a Chevrolet optou por uma atualização parcial, colocando no propulsor mais antigo alguns itens (pistões, bielas, alternador e sistema de arrefecimento) do motor mais novo.


Apesar disso, houve uma melhora em eficiência energética na comparação com a Montana 2016. De acordo com o Inmetro, o utilitário subiu da nota ‘C’ para a ‘B’ na pontuação geral. Para efeito de comparação, a média de consumo na Montana LS com ar-condicionado foi de 7,1/8,3 km/l na cidade e 10,4/12 km/l na estrada (etanol/gasolina) para 7,5/8,4 km/l na cidade e 11,3/12,6 km/l na estrada (etanol/gasolina).

Outras novidades da linha 2017 da Montana são novos freios e rolamentos de baixo arrasto, pneus ‘verdes’ e indicador de mudança de marcha no painel. A picape ganha em todas as versões a capota marítima e defletores aerodinâmicos sob o assoalho para reduzir a resistência ao vento.

A Montana segue em linha em duas versões. A de entrada é a LS (R$ 45.550), que sai de fábrica com direção hidráulica, banco do motorista com regulagem de altura e alerta de esquecimento de faróis ligados e rodas de aço de 15 polegadas.

A mais cara é a Sport (R$ 55.550), que acrescenta rodas de liga leve de 16 polegadas, faróis com máscara negra e acendimento automático, faróis de neblina, rack de teto, ar-condicionado, computador de bordo, piloto automático, vidros, travas e retrovisores elétricos e rádio com conexão bluetooth.