Chevrolet Monza ganha sistema híbrido-leve e faz 21,3 km/l

O sedã é o "queridinho" do público chinês e, agora estreou novas opções de motores em prol da eficiência e da baixa emissão de poluentes

O Chevrolet Monza estreou no mercado chinês em março do ano passado e já somou mais de 140.000 unidades entregues. A novidade fica por conta da introdução do sistema híbrido-leve associado aos motores tricilíndricos 1.0 turbo de 125 cv e 1.3 turbo de 163 cv de potência, para reduzir o consumo e a emissão de poluentes.

Entre os componentes, o conjunto é composto pelo sistema elétrico de 48V, o módulo de gerenciamento e um pequeno propulsor movido a bateria, cuja função é de auxiliar nas acelerações – diminuindo a carga do motor a combustão -, além de recarregar as baterias durante as desacelerações.

De acordo com o fabricante, o consumo é de 21,7 km/l na opção 1.0 turbo. Ao todo, a gama oferece quatro configurações híbridas leves (RS 1.0 e 1.3 ou Redline também 1.0 e 1.3). Os preços na China iniciam em 108.900 yuans (algo próximo de R$ 89.000, em conversão direta). O Monza também está disponível, com motor de quatro cilindros aspirado 1.5.

Outra novidade está na estreia do motor de três cilindros 1.3 aspirado no Chevrolet Onix Sedan (o nosso sedã Onix Plus). A unidade dotada de injeção direta e comando de válvulas variável está casada ao câmbio manual de cinco marchas para entregar 107 cv e 13,3 kgfm. O consumo é de 20,8 km/l em ciclo misto cidade/estrada, enquanto o preço do Chevrolet Onix chinês começa em 79.900 yuans (ou R$ 65.518, em conversão direta).

Veja também

+ Fiat faz desconto em toda a linha; preço do Toro cai R$ 32 mil
+ Acesso de fúria de macaco deixa um homem morto e 250 pessoas feridas na Índia
+ Risco de casos graves de Covid é 45% maior em pessoas com sangue do tipo A, segundo pesquisadores europeus,
+ Aprenda a fazer o brigadeiro de paçoca de Ana Maria Braga