Chevrolet Tracker ganha controles eletrônicos

Quando o Chevrolet Tracker remodelado chegou ao Brasil, no início deste ano, surgiram algumas reclamações pela ausência dos controles eletrônicos de tração e de estabilidade. E agora a nova versão Premier (R$ 96.790) não só substituiu a antiga LTZ como oferece esses importantes itens de segurança, além de assistente de partida em rampas, faróis com luzes diurnas de LED e monitores de ponto cego e de tráfego cruzado. Opcionalmente, o pacote 1SF eleva o preço a R$ 99.990 incluindo os airbags laterais/cortina (já disponíveis no antigo LTZ II) e alertas de colisão frontal e de mudança de faixas.

A dirigibilidade esperta é mérito do motor 1.4 com turbo e injeção direta, também presente nos Cruze Sedan/Sport6 – esse propulsor entrou no lugar do antigo 1.8 aspirado de 140/144 cv (g/e). O fôlego do Tracker é garantido pelo bom torque enviado desde cedo, junto do pequeno turbo lag (atraso antes de o turbocompressor encher) e do trabalho ligeiro do câmbio automático de seis marchas nas trocas de marchas. Na cidade, o start-stop reduz o consumo e as emissões, ao desligar o motor nas breves paradas de semáforo. Já na estrada, as suspensões mais firmes, comparadas às do modelo antecessor, garantem desenvoltura no contorno de curvas, produzindo mínima inclinação de carroceria. A tração é dianteira (nos Estados Unidos, tem também integral), enquanto as rodas são de 18 polegadas.

Ao abrir a porta, as grandes mudanças internas aparecem nos botões do ESC e do alerta de mudança de faixas no painel. O acabamento é razoável e há bancos de couro com ajuste lombar elétrico, teto-solar, central multimídia com Android Auto e Apple CarPlay e serviço de concierge OnStar (pontos de interesse, rotas e notícias, por exemplo). Já o bem-estar dos passageiros é assegurado pela boa altura da carroceria. A vinda dessa nova configuração Premier não é a única novidade da linha 2018 do Tracker: a versão de entrada LT (R$ 85.890) passou a exibir os repetidores de seta nos retrovisores externos e há a opção de cor vermelho glory. Diferentemente da Premier, as rodas da LT são de 16” e os controles de tração e de estabilidade não estão presentes.


Ficha técnica:

Chevrolet Tracker Premier

Preço versão LT: R$ 85.890
Preço versão Premier: R$ 96.790
Preço versão Premier II: R$ 99.990
Motor: 4 cilindros em linha 1.4, 16V, turbo, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 1399 cm3
Combustível: flex
Potência: 150 cv a 5.600 rpm (g) e 153 cv a 5.200 rpm (e)
Torque: 24 kgfm a 2.100 rpm (g) e 24,5 kgfm a 2.000 (e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,258 m (c), 1,776 m (l), 1,678 m (a)
Entre-eixos: 2,555 m
Pneus: 215/55 R18
Porta-malas: 306 litros
Tanque: 53 litros
Peso: 1.413 kg
0-100 km/h: 9s4 (e)
Velocidade máxima: não divulgada
Consumo cidade: 10,6 km/l (g) e 7,3 km/l (e)
Consumo estrada: 11,7 km/l (g) e 8,2 km/l (e)
Emissão de CO2: 121 g/km
Nota do Inmetro: C
Classificação na categoria: A (Utilitário Esportivo Compacto)

NOSSO VEREDICTO
Motor
Câmbio
Desempenho
Consumo
Segurança
Equipamentos
Multimídia
Conforto
Porta-malas
Prazer ao dirigir
COMPARTILHAR
Notícia anteriorPeugeot 2008 vira AT6 e agora não falta nada
Próxima notíciaMitsubishi ASX