Cilindros à la carte

O que mais interessa nesse novo Fox 1.0 Bluemotion não é sua oferta em si, mas seu motor. Fabricado em São Carlos (SP), ele marca a chegada da moderna família EA211 ao Brasil. São unidades, que, a princípio, vão conviver com os EA111 de muitos dos Volks vendidos aqui – mas, em um futuro próximo, os substituirão. O que acontece com a chegada desse Fox ocorrerá com outros modelos, com exceção do up! – que já nasce com esse motor. Quer experimentar o três cilindros? Opte por ele (comprando o Bluemotion por R$ 32.500). Prefere o tradicional quatro cilindros? Ele continua a venda. Por enquanto.

Mas, já adianto, não há motivo para preferir um cilindro a mais. Talvez só o preconceito. Você pode achar que está perdendo algo, mas não está. Ganha tecnologia e poupa seu dinheiro na hora de abastecer. Ele não é o primeiro três cilindros do mercado e não será o último. No Brasil, Kia Picanto e Hyundai HB20 1.0 já usam motores tricilíndricos. Na Europa, a Ford já os usa até em modelos grandes, como Focus e Fusion.

Há inúmeros benefícios em “cortar” um cilindro, mas a tecnologia desse EA211 não se resume a isso. A apresentação das novidades desse motor pelos engenheiros da Volks levou quase três horas. Elas vão dos conhecidos blocos em alumínio e comando variável na admissão a polias triovais que evitam a trepidação da correia. E passam pelo coletor de escape integrado ao bloco do motor e pelo sistema duplo de refrigeração. Há, ainda, outras inovações, como o comando de válvulas integrado à tampa do motor. Tudo para reduzir atrito e gastar menos.

O que importa, no fim, é o resultado prático. Esse 1.0 gera 75/82 cv (gasolina/etanol), mais que os 72/76 cv do quatro cilindros, e consome 5 a 10% menos. Na ficha técnica, você confere os números seguindo as normas do Inmetro – não impressionam, mas, em um modelo com melhor aerodinâmica, seriam ainda melhores. O Gol, equipado com esse motor, provavelmente roubará do Renault Clio o título de carro (não híbrido) mais econômico do Brasil. Ao volante, em um test drive no interior de São Paulo, o Fox equipado com esse motor mostrou um ruído agradável e boa disposição em todas as rotações, graças ao bom torque em baixa. Atingiu impressionantes marcas de 17 km/l na cidade e 20,9 km/l na estrada (gasolina). Por isso, prefira sempre o três cilindros. Sem preconceitos. Aceite o futuro.

COMPARTILHAR
Notícia anteriorNão sou careta
Próxima notíciaEsperem por mim