Cinco hábitos que detonam um carro blindado

Detalhe da janela do Volvo XC90 Armoured (Divulgação)

De acordo com dados da Abrablin (Associação Brasileira de Blindagem), mais de 16 mil carros são blindados no Brasil por ano, procedimento que exige um alto investimento por parte dos proprietários do veículo.

+“Até tu, Brutus?”: Ferrari 458 Speciale é blindada (e ganha 30 kg e 40 cv)
+Veja o Trailblazer blindado, o novo carro da Polícia em SP
+Mercedes-AMG G 63 ganha blindagem contra granadas
+Toyota oferece blindagem certificada para o Novo Corolla

Mas embora a tecnologia de blindagem tenha evoluído bastante nos últimos anos, inclusive com alguns fabricantes oferecendo a possibilidade de instalação da proteção balística sem perder a garantia de fábrica, alguns cuidados no uso cotidiano são importantes para proteger este investimento.

Confira a seguir alguns hábitos que devem ser evitados para manter a proteção do veículo em bom estado por mais tempo.

1 – Rodar com os vidros abertos

Rodar com os vidros abertos em um carro blindado pode fazer com que as janelas saiam dos trilhos e possam sofram danos por conta da vibração.

Nessa situação, não existe reparo. A única solução é fazer a troca da peça.

2 – Choque térmico

“O choque térmico é um dos grandes inimigos da blindagem”, explica a head de vendas da oficina de blindagem Soma Blindados, Fábia Riginik.

Evite lavar seu carro quando o sol estiver muito forte, pois os materiais que compõem o bloco balístico possuem graus de dilatação diferentes, o que pode provocar trinca entre os materiais.

3 – Desleixo com a pintura

Mantenha o seu veículo sempre bem conservado.

Desgastes na pintura ou na lataria pedem em seu reparo um trabalho maior e mais especializado, que exige inclusive a retirada e reinstalação da blindagem.

4 – Pneus fora da calibragem

Se os pneus com pressão de menos já são prejudiciais em um carro comum, imagine só em um veículo que precisa aguentar ainda o peso adicional da blindagem, que pode chegar a 200 kg.

Por este motivo, a recomendação é utilizar sempre a calibragem recomendada pelo fabricante para o veículo com carga máxima.

5 – manutenção desleixada

A necessidade de seguir o plano de manutenção é outro ponto que também é importante nos veículos sem blindagem e acaba ganhando peso dobrado nos blindados.

Já que o serviço muitas vezes afeta a garantia de fábrica, é necessário seguir corretamente o cronograma de revisões da blindadora do veículo para não perder a proteção oferecida pela oficina que fez o serviço.

Mais na Motor Show

+Nova Suzuki GSX-S1000 2021 é revelada no exterior. E no Brasil?
+Entenda como a nova lei de trânsito pode afetar o seguro automóvel
+Mini Cooper S Cabrio 2022 estreia por iniciais R$ 269.990
+Licenciamento de 2020 em MG será obrigatório só a partir de julho
+Virtus e Polo 2022 ganham nova central multimídia VW Play
+Como funcionam os pneus que rodam sem ar

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel