Como anda o Audi A3 Sedan nacional

Depois de nove anos, a Audi volta a comercializar um modelo produzido no Brasil. O primeiro foi o A3 hatch, fabricado em São José dos Pinhais (PR) de 1999 a 2006. Dessa vez o modelo escolhido foi o A3 Sedan, que compartilha a plataforma do Volkswagen Golf na mesma fábrica do Paraná. O A3 Sedan nacional chega às concessionárias em novembro, mas já pode ser encomendado. A estimativa da Audi é produzir 10.000 carros em 2016. Para isso, o A3 Sedan nacional sofreu modificações técnicas importantes.

O motor 1.4 TFSI (turbo com injeção direta) agora é bicombustível e a potência subiu de 122 para 150 cv (tanto com gasolina como com etanol). O torque também subiu: foi de 20,4 para 25,5 kgfm numa ampla faixa de giros (1.500 a 5.500 rpm). É a primeira vez que a Audi fabrica um carro com motor flex – e o resultado foi excelente. Tanto que melhorou sua classificação no programa de etiquetagem do Inmetro, passando de C para B (as emissões de CO2 caíram de 127 para 119 g/km). Na categoria Grande, a nota agora é A.

Com os novos números de consumo, o Audi A3 Sedan 1.4 é capaz de rodar 495 km na estrada e 390 km na cidade sem reabastecer. Com gasolina, o alcance na estrada é de 715 km e na cidade é de 585 km. Tudo isso com excelente desempenho, pois a potência específica do motor 1.4 passou para excelentes 107,5 cv/litro (era de 87,4 cv/litro). E a relação peso-potência (responsável pela boa ou má aceleração) também melhorou, caindo de 9,9 para 8,2 kg/cv.

As outras duas modificações técnicas importantes podem não agradar a todos. O câmbio S tronic de sete marchas (automatizado com dupla embreagem) foi trocado pelo Tiptronic de seis velocidades (automático sequencial). E a suspensão traseira, que era independente, agora é com eixo de torção (ou semi-independente). As molas das suspensões dianteira/traseira também foram trocadas por outras ligeiramente maiores. Segundo a Audi, essas mudanças foram feitas para dar mais robustez ao carro. Faz sentido, pois a caixa automatizada e a suspensão independente são mais sujeitas a produzir ruídos quando enfrentam pisos ruins – o que é muito comum no Brasil.

Durante o test drive não sentimos perda de agilidade do carro nas mudanças de marcha, pois o Tiptronic importado do México também é muito bom. Quanto à suspensão, a perda de estabilidade traseira só será sentida por motoristas que fizerem curvas em alta velocidade, mas esse não é o perfil do comprador do A3 Sedan 1.4. Vale dizer que a versão 2.0 TFSI, que chega em janeiro, continuará com o câmbio S tronic automatizado e com suspensão independente nas quatro rodas (com 220 cv de potência, esse será o carro para motoristas mais agressivos na condução).

De resto, o Audi A3 Sedan nacional é o mesmo excelente carro que já conhecíamos. A versão avaliada tinha o sistema multimídia MMI Plus (opcional de R$ 11.000. O sistema de série tem tela um pouco menor, mas ainda é completo), com inúmeras possibilidades de conexão e som de alta qualidade para ouvir músicas. Como nem tudo é perfeito, as simples e práticas entradas USB/auxiliar não existem no A3. Em seu lugar a Audi vende como acessório um cabo específico para ser conectado no carro e em cada aparelho de mídia (só o cabo USB custa R$ 490). Um transtorno caro e desnecessário.

Além disso, o ar-condicionado não é automático (meus amigos sentiram falta de saídas de ar na traseira) e itens interessantes, como piloto automático, teto panorâmico elétrico e auto park com câmera de ré, são opcionais. Já o volante multifuncional com shift paddles está disponível só na versão Ambiente (de série). O A3 Sedan 1.4 TFSI chega nas versões Attraction (R$ 99.990) e Ambiente (R$ 109.990). Já o 2.0 TFSI terá só a versão Ambition (estimada em R$ 150.000). Importado desde o início de 2014, o A3 Sedan soma 7.105 unidades vendidas no Brasil.

—–

Ficha técnica:

Audi A3 Sedan 1.4 TFSI

Preço estimado: R$ 99.990
Motor: 4 cilindros em linha, 16V, turbo, injeção direta, start-stop
Cilindrada: 1395 cm3
Combustível: flex
Potência: 150 cv de 4.500 a 5.500 rpm (g/e)
Torque: 25,5 kgfm de 1.500 a 5.500 rpm (g/e)
Câmbio: automático sequencial, seis marchas
Tração: dianteira
Direção: elétrica
Dimensões: 4,456 m (c), 1,796 m (l), 1,416 m (a)
Entre-eixos: 2,637 m
Pneus: 205/55 R16 (Attraction) e 225/45 R17 (Ambiente e Ambition)
Porta-malas: 425 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.240 kg
0-100 km/h: 8s8 (g/e)
Velocidade máxima: 215 km/h (g/e)
Consumo cidade: 11,7 km/l (g) e 7,8 km/l (e)
Consumo estrada: 14,3 km/l (g) e 9,9 km/l (e)
Emissão de CO2: 119 g/km
Nota do Inmetro: B
Classificação na categoria: A (Grande)

Veja também

+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar