Como Chevrolet e Chrysler ‘ajudaram’ a construir o primeiro Toyota

Conheça a história do Toyoda A1, o primeiro automóvel feito pela marca japonesa

34397
Toyoda A1 (Foto: Divulgação)

A japonesa Toyota faz sucesso por aqui e no restante do mundo. Modelos como o médio Corolla e a picape Hilux ajudaram a colocar a montadora no ponto mais alto do ranking mundial de vendas de veículos em 2017, segundo a consultoria Focus2Move. Mas o que nem todo mundo sabe é que a Toyota contou com a ajuda (ainda que involuntária) da Chevrolet e da Chrysler para o seu nascimento. Conheça a história do Toyoda A1, o primeiro automóvel feito pela marca japonesa.

A história é contada em detalhes pela própria Toyota, em um material comemorativo dos 75 anos da empresa e que é disponibilizado na internet (em inglês). No início dos anos 1930, Ford e a Chevrolet dominavam o mercado japonês. Era difícil para as empresas locais competirem com a combinação de preço baixo e a fama dos americanos de então. E os que tentavam produzir tinham que enfrentar problemas como a dificuldade de encontrar uma siderúrgica disposta a produzir chapas de aço para a produção de automóveis.

Apesar de todos os problemas, o empresário Kiichiro Toyoda, dono de uma fábrica de teares automáticos, resolveu investir na produção de automóveis. Em setembro de 1933, abriu a divisão automotiva da sua empresa e começou a enviar técnicos para o exterior, com o objetivo de visitar fábricas e importar maquinário de ponta.

Partindo do zero para desenvolver o seu primeiro produto, os engenheiros adotaram uma fórmula que seria repetida por diversos fabricantes até os dias atuais: a de comprar carros da concorrência e avaliar as soluções técnicas adotadas. A Toyoda comprou um DeSoto (então uma divisão da Chrysler) Airflow e um Chevrolet, ambos de 1934. O Airflow, equipado com uma revolucionária carroceria aerodinâmica, serviu de inspiração para a carroceria do A1, enquanto Chevrolet teve o seu motor de seis cilindros copiado, permitindo inclusive o uso de algumas peças originais americanas. Algo que seria impensável nos dias de hoje!

DeSoto Airflow 1934 (Foto: Reprodução/internet)

O Toyoda A1 foi revelado em maio de 1935 mas teve apenas três unidades produzidas, já que o governo japonês pediu a empresa que desenvolvesse e produzisse um caminhão (o modelo G1). No final das contas, o A1 serviu de base para o sedã Toyoda AA, versão atualizada do A1 e que, aí sim, foi o primeiro carro de produção em série da empresa, com 1.404 unidades produzidas entre 1936 e 1943.

Nesse período, a divisão automotiva se tornou uma empresa independente, com o nome de Toyota. E começou a investir em pesquisas para se livrar das cópias dos projetos de outros fabricantes. O resto é história…