Como gastar menos combustível: dez dicas para reduzir o consumo

Na vida, há momentos em que é melhor ter o pé leve. Considerando os preços atuais dos combustíveis, agora é um deles, pois os aumentos tiveram forte impacto em nossos bolsos. Para refrescar a memória, mostramos aqui truques simples – mas eficazes – para reduzir o consumo do nosso carro: uma espécie de tutorial para poupar o tão caro combustível

reduzir consumo

1 – Mantenha seu carro em forma

Manter seu carro com plena saúde é um dos aspectos mais importantes para não reduzir o consumo. Filtros de ar e de combustível sujos reduzem a eficiência do motor a longo prazo. Já em relação aos pneus, a recomendação usual é enchê-los bem. Além de ser questão de segurança, pois a pressão errada afeta a frenagem e a estabilidade, o consumo também entra em jogo: alguns décimos de PSI a menos do que o recomendado já aumentam a resistência ao movimento para frente – e, portanto, o consumo. O gráfico acima é bastante ilustrativo: se a pressão recomendada for 35 PSI e você viajar a 23, vai rodar cerva de 8% a menos.

2 – Sem desastres aerodinâmicos

A resistência ao avanço, da qual deriva a energia que é necessária para o carro andar, é determinada pelos pneus, pela mecânica e pela aerodinâmica. Na verdade, é preciso muito pouco para piorar drasticamente o Cx do carro. Exemplos? Um rack no teto pode piorar o consumo de combustível em cerca de 7,5%, e uma caixa de transporte montada sobre ele – dos bem estudados do ponto de vista aerodinâmico –, em até 16%. Se você chegar a extremos, como aqueles carros que vemos muito pelas estradas no começo do verão, o aumento do consumo pode chegar a quase 40%. É um golpe considerável na carteira.reduzir consumo

3 – Atenção ao ar-condicionado

Se o sistema de aquecimento do carro é gratuito, o ar gelado tem um custo. O ar-condicionado do carro usa um compressor, que é acionado pelo motor, exigindo uma absorção de potência de até 5 kW, aumento de consumo em torno de 10%. Isso não significa que tenhamos que suar, mas usar o sistema com um pouco mais de cuidado pode trazer benefícios: para reduzir o consumo, desative o compressor quando não for tão necessário resfriar ou desumidificar (ou use a função Eco presente em muitos carros); após uma pausa ao sol, abra as janelas para deixar sair o ar quente, enquanto o ar funciona no máximo, e depois feche e ligue a recirculação, para limitar o volume de ar que deve ser resfriado.reduzir consumo

4 – Use seu smartphone

Uma ferramenta quase indispensável no nosso cotidiano, o smartphone pode ajudar muito a reduzir o consumo de combustível. Primeiro, com aplicativos que monitoram os preços dos combustíveis nos postos. Usando um deles, você pode descobrir que a poucos quilômetros de casa, ou no caminho para o trabalho, há um posto mais barato que o normal: procure “preços de combustíveis” na loja de aplicativos do telefone. Além disso, sempre use os aplicativos de navegação que indicam a situação de trânsito em tempo real (Google Maps e Waze são os melhores deles), mesmo que você já conheça o trajeto. Eles podem evitar congestionamentos ou pontos de lentidão que gastariam seu combustível desnecessariamente.

5 – Utilize o navegador

A navegação desempenha um papel fundamental em reduzir o consumo, principalmente no caso de alguns carros híbridos plug-in, e comprovamos isso durante um teste prático entre dois modelos com o sistema, Audi e Mercedes. Definir o destino, mesmo que seja conhecido, pode economizar combustível, pois o sistema analisa o trajeto e define os momentos mais adequados para fazer funcionar só o motor elétrico, por exemplo, em áreas urbanas. Durante o teste, entre a navegação desligada e ligada, a economia (gasolina e eletricidade) atingiu 11 a 12%.

6 – Quem espera sempre economiza

Há algum tempo, o chamado “guia preditivo” foi implementado para reduzir o consumo em vários modelos de luxo. Usando dados do mapa, ele sugere o melhor momento para soltar o acelerador e deixar o carro “solto” em direção a uma rotatória ou parada. Mesmo sem esses sistemas, para economizar combustível basta ter essa mesma mentalidade: sempre olhar para a frente e prever os movimentos do trânsito, evitando desacelerações – e novas partidas – bruscas. Se você vir ao longe um semáforo prestes a ficar vermelho, por exemplo, ou qualquer outra situação em que vai precisar desacelerar, solte o pedal do acelerador com muita antecedência e aproveite a inércia, em vez de continuar acelerando e depois frear bruscamente. Até mesmo pilotos de Le Mans fazem isso com seus protótipos híbridos para recuperar energia: no jargão, é a manobra “lift and coast” – também chamada de eco-driving.

7 – Acelere com critério

Este conselho pode parecer trivial, mas não é. A utilização do pedal do acelerador, com a consequente abertura do sistema de alimentação de combustível, deve ser sempre encarada como uma torneira de água: entre sair de uma curva usando um “fio” de gasolina ou com o pedal no final do curso, há um aumento desproporcional do consumo, com resultados – em termos de velocidade – muitas vezes desprezíveis. Se o seu carro tiver um indicador de consumo instantâneo, preste muita atenção: acelerar de forma suave e progressiva pode fazer maravilhas, sem afetar tanto a velocidade.

8 – Nada de banguela

No caso dos carros com transmissão manual, não cometa o erro de achar que circular sem marcha engatada, seja no plano, seja em declives, fará o carro consumir menos. Com o motor em ponto morto, na verdade, o acelerador fica aberto e o combustível continua passando; com a marcha engatada, mas sem acelerar, uma função de corte interrompe o fluxo. Mito desmascarado. E, entre outras coisas, a segurança também entra em jogo: usar o neutro em uma descida não permite aproveitar o freio motor, e isso impacta muito na resistência e na fadiga dos freios. O correto é, nesta situação, proceder com marchas baixas: você verá que tanto consumo quanto sistema de frenagem ganharão. Assim como sua segurança.

9 – De olho na marcha

As transmissões automáticas cada vez mais têm uma nova lógica de funcionamento que pode favorecer o consumo, deixando pouca margem para a intervenção do motorista. Mas, no caso do câmbio manual, usar bem a alavanca pode fazer uma enorme diferença em termos de consumo. Os motores são mais eficientes quando trabalham em determinadas rotações, então cabe a nós garantir que a agulha do conta-giros esteja sempre na faixa mais “lucrativa”. É uma boa ideia sempre mudar para a marcha mais alta o quanto antes for possível: basta pensar que, a uma velocidade constante de 60 km/h, na terceira marcha seu carro consome o dobro do que se estivesse com a sexta engatada.reduzir consumo

10 – Pode confiar nele

Sim, aquele botão que você talvez nunca tenha usado, que permite alterar entre diferentes modos de condução, pode ser muito útil. Diversos carros possuem um modo “Eco”, que adota estratégias para limitar o consumo: reduz o trabalho do compressor do ar-condicionado, altera o mapeamento do pedal do acelerador, tornando-o menos reativo, e, na presença de uma caixa de câmbio automática, muda para lógicas de operação que favorecem ainda mais a eficiência. No caso dos elétricos, o modo Eco muitas vezes intervém de forma ainda mais significativa, limitando também a potência do motor.reduzir consumo

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ Jeep Renegade: versão Limited vai retornar na linha 2023
+ Licenciamento: veja o calendário completo e como pagar em SP
+ Gasolina em SP deve ficar R$ 0,48 mais barata na bomba
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens
+ Chevrolet libera teaser da nova geração da S10; assista
+ Compra do Ano 2023/Hatch premium: Mercedes-Benz Classe A
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe
+ Piquet chama Hamilton de ‘neguinho’ e é repudiado por Mercedes e F1
+ Creta 2023 recebe comando de voz para o teto solar; veja os preços
+ Novo Fusca mescla linhas do passado e itens futuro por R$ 3 milhões
+ Ford revela nova Ranger Raptor com as cores da bandeira LGBTQ+