Comparativo: BMW X2 vs. Volvo XC40

Compactos, o BMW X2 e o Volvo XC40 mostram que tamanho menor não significa desempenho inferior nem equipamentos reduzidos

16215

Eles chegaram ao mercado praticamente ao mesmo tempo. E chamam a atenção. Não houve um dia sequer sem ninguém virar o pescoço para identificar quais eram os carros. Estamos falando do Volvo XC40 e do BMW X2, avaliados nas versões R-Design (R$ 214.950) e sDrive20i M Sport X (R$ 245.950), respectivamente, ambas topo de linha. Mas cada modelo exibe um apelo diferente, seguindo o DNA das marcas.

O XC40 tem desenho elegante, com faróis com a característica linha “T” batizada de “Martelo de Thor”. As lanternas traseiras também são estilizadas, mas a cereja do bolo é o teto em preto de série na versão R-Design. Já o X2 é mais ousado, com um toque de esportivo. Ele possui dianteira invocada e saída dupla de escape. Contudo, o que chama a atenção é o logotipo na coluna C, uma homenagem aos esportivos da BMW no passado. Visualmente, ele parece um hatch “bombado”. Não é SUV nem tenta ser cupê como o X4 e o X6.

Os dois modelos têm motor 2.0 turbo a gasolina com injeção direta e sistema start/stop.
O Volvo desenvolve 255 cv e 35,7 kgfm a partir de 1.800 rpm, enquanto o X2 entrega 192 cv e 28,5 kgfm a 1.350 rpm. Vale a pena citar que o BMW possui um ronco mais encorpado ao dar a partida. A relação peso/potência é de 6,8 kg/cv no XC40 e de 8,3 kg/cv no X2, embora este seja 140 kg mais leve. A transmissão é automática de oito marchas no Volvo e automatizada de sete com dupla embreagem no BMW. Nem a tração é igual: integral no primeiro e dianteira no X2.

Na prática, o XC40 é melhor em desempenho. Ele é mais progressivo e controlado, o que não é ruim. É um carro bem “na mão”, ainda mais com a tração integral. Porém, ao mesmo tempo, há muitos méritos no X2, que é bem prazeroso de guiar e entrega um comportamento mais dinâmico. As acelerações são mais intensas, fruto do torque máximo disponível um pouco antes e do turbo com dupla voluta, que reduz bastante o lag (tempo para o turbo encher). É um hatch quanto à dirigibilidade. Indo a 120 km/h, os dois rodam em torno das 2.000 rpm, o que representa um nível de silêncio incrível.

No BMW há os modos de condução Eco Pro, Comfort e Sport, enquanto no Volvo eles são Eco, Comfort, Dynamic, Individual e – seu diferencial – Off-Road, mexendo também nos parâmetros do controle de estabilidade. Todos alteram respostas de direção, câmbio, aceleração e suspensão. Aliás, a suspensão é mais confortável no XC40, mais macia, ainda que sofra interferência das rodas de 20 polegadas. Ao passar por ondulações no asfalto, o trabalho é primoroso, mas em buracos os ocupantes sentem o impacto. Já no X2 o acerto é firme, passando um pouco mais para a cabine as imperfeições do piso. E os pneus run flat só aumentam essa sensação. A estabilidade em ambos é muito boa, com pouca rolagem da carroceria. Outra vantagem do Volvo é o sistema de condução semi-autônoma com frenagem automática, alerta de mudança de faixa, piloto automático adaptativo e sistema que mantém o carro na trajetória até 130 km/h.

Vida a bordo

O XC40 é mais moderno e requintado. Até um pouco futurista. Ele tem quadro de instrumentos digital personalizável e central multimídia com tela de 9” vertical que funciona como um tablet – você pode alterar as funções passando o dedo para os lados. Há até carregador de smartphones por indução, item inexistente no X2. Você pode ficar horas explorando a cabine do Volvo para descobrir soluções, como a lixeira removível no console central, ou que os alto-falantes saíram das portas e foram parar no painel para abrir espaço para itens maiores no porta-objeto. O X2 segue o estilo esportivo por dentro, com a tela de 8,8” encaixada no topo do painel, controlada por um botão sensível ao toque no console e compatível somente com Apple CarPlay – há Android Auto também no Volvo.

O X2 é menor em todas as dimensões: são 2,67 m de entre-eixos frente aos 2,70 m do XC40. Há menos espaço para pernas e especialmente para a cabeça de quem vai no banco traseiro do BMW. O porta-malas é outro ponto negativo, com 370 litros, enquanto no Volvo são 460. Ambos têm abertura da tampa por movimento sob o para-choque. A lista de equipamentos de série é bem recheada, já que são versões topo de linha, incluindo ar-condicionado dual zone, câmera de ré, faróis full LED, bancos elétricos com memória para motorista e seis airbags. O XC40 traz a mais piloto automático adaptativo, controle de descida, alerta de colisão e o sistema semi-autônomo. Já o X2 oferece a mais pneus run flat, head-up display e assistente de estacionamento.

BMW X2 e Volvo XC40 miram públicos diferentes. O primeiro oferece um estilo ousado, de olho nos jovens, enquanto o segundo foca em conforto e segurança. O X2 é mais caro, porém a BMW não tem revisões programadas: há um alerta no painel quando está na hora de trocar algum componente. Isso representa economia de tempo e dinheiro. A Volvo, por sua vez, cobra R$ 3.597 pela revisões periódicas até os 30 mil km. Se esse quesito não ajudou a decidir qual é seu preferido, as notas deram vitória ao VolvoXC40, que é superior ao BMW X2 em desempenho, equipamentos e conforto, sem falar no espaço interno.

blog comments powered by Disqus