Conheça o Type 10, o primeiro carro da Bugatti

Protótipo construído em casa por Ettore Bugatti serviu de base para os futuros carros de corrida da marca francesa

Ettore Bugatti e o Type 10 (Divulgação)

Toda história tem um início. E no caso da Bugatti, hoje conhecida por hipercarros como o Chiron de 1.500 cv (confira aqui a nossa avaliação), o primeiro carro foi o Type 10, que completou 110 anos em 2018.

Então com 27 anos, o italiano Ettore Bugatti morava na cidade de Colônia (Alemanha) e era chefe do departamento de produção na empresa alemã Deutz. Ao mesmo tempo, desenvolvia alguns projetos pessoais em uma oficina montada na sua casa. O Type 10 surgiu com a ideia de construir um automóvel leve e compacto, porém veloz o suficiente para vencer corridas.

Numa época em que era comum que os carros tivesse motores de mais de 4 litros, Bugatti projetou e construiu um pequeno propulsor 1.2 de quatro cilindros e 10 cv, que permitia ao modelo de dois lugares e peso de apenas 365 kg atingir os 80 km/h de velocidade máxima. O Type 10 trazia várias inovações como o propulsor com comando de válvulas no cabeçote e uma embreagem como a dos carros atuais, numa época que o uso de corrente de transmissão ainda era comum.

Animado pelo interesse causado pelo Type 10, Bugatti deixou o seu emprego na Deutz e se mudou para a cidade de Molshein (cidade que se tornaria parte da França após a Primeira Guerra Mundial), onde montou uma fábrica para produzir carros com o seu sobrenome. O Type 10 foi junto na mudança e serviu de base para o Type 13, modelo que seria o primeiro de uma linha de famosos carros de corrida e de luxo comercializados pela Bugatti.

Ettore Bugatti nunca se desfez do Type 10. Em 1939, o carro ainda era utilizado regularmente pela sua mulher, Barbara. Com o início da Segunda Guerra Mundial, Bugatti escondeu o carro na cidade de Bordeaux, onde ficou guardado até a sua morte, em 1947. Alguns anos depois, o Type 10 foi encontrado em mau estado por um piloto francês que restaurou o carro e o vendeu a um colecionador britânico, que por sua vez repassou o Bugatti anos depois a outro colecionador, nos Estados Unidos. O Type 10 está vivo até hoje, participando ocasionalmente de encontros de carros antigos.