Contato

” Fiat linea não foi feito para brigar com Civic e Corolla. A marca precisa lançar logo o Fiat Viaggio aqui ” @ Carlos Silva

“Porte grande, motor de 290 cv, uma gama interessante de itens tecnológicos que mimam tanto o motorista quanto os passageiros. Um “executivo” que vai dar trabalho para a concorrência. Parabéns à MOTOR SHOW!” @ Walter Franco Jr.

“Fiquei impressionado com a beleza do 208. espero que a Peugeot não atrase mais uma vez o lançamento do carro no brasil e que ele venha idêntico ao europeu. é o mínimo que podemos esperar depois do 207” @ Paulo Andrade

 

Nem sempre maior é melhor

Gostei muito da reportagem e dos elogios ao carro. Mas não concordo que seja vantajosa a aquisição do modelo 2.0 por mais r$ 3 mil. Na verdade, além dessa diferença, os gastos pós-compra seriam maiores no 2.0: haveria aumento do consumo e do valor do seguro do veículo, sem contar que o pneu 17″ com perfil baixo absorve muito mal os impactos das esburacadas ruas brasileiras. Parabéns pelo sucesso da revista!

@ Gustavo Mosso Pereira

Problemas com os freios

Segundo carro da Mitsubishi, problema recorrente. Minha Pajero Full, com menos de 15 mil km, apresentou empenamento dos discos de freio. Agora, no outlander Gt, a mesma coisa. o pior é que a Mitsubshi insiste em cobrar pelo reparo, informando que se trata de um “desgaste natural”. Tudo bem, mas vamos informar aos consumidores que os carros empenam os discos de freio com pouquíssima quilometragem. Disseram que, por eu morar na serra, há grandes diferenças de temperatura, uso na descida, etc., e isso poderia ocasionar o problema. Tudo bem, então vamos informar aos seus consumidores que moram em serras que seus carros vão apresentar defeitos logo, logo.

@ Luiz Felipe Di Giorgio Mauad

Resposta da montadora:

A MMC Automotores do Brasil entrou em contato com o cliente e, nesta oportunidade, forneceu os devidos esclarecimentos sobre o caso.

Resposta do leitor:

Eles disseram que eu teria que pagar R$ 200 para resolver o problema no disco. Não fiquei satisfeito com o atendimento. Vou vender meus dois carros e comprar um BMW X1.

Automático gosta de buraco?

Pretendo comprar um carro com câmbio automático, mas tenho um sítio e, para chegar até ele, enfrento ruas de terra, esburacadas e com lama. Haveria problemas em transitar nesse terreno?

@Alvimar Antonio Verticchio

Se você estiver pensando em comprar um carro urbano, com tração 4×2, a transmissão automática oferecerá menos recursos para sair de situações de baixa aderência. Prefira modelos que tenham opção manual ou modo de direção na neve (que serve bem para lama). Agora, se sua opção for por um SUV com tração 4×4, mesmo que com transmissão automática, terá menos problemas, já que esses modelos normalmente têm recursos que facilitam o uso off-road, como bloqueio do diferencial e marchas reduzidas.

Esperando a plataforma

A nova plataforma MQB da Volks, mostrada na edição 350, estará disponível quando? o preço final do veículo sofrerá aumento?

@ Victor Hugo

A plataforma modular do grupo Volkswagen já está sendo usada. Nela está sendo montado, por enquanto, apenas o modelo Audi A3. Em breve, outros carros do grupo receberão a mesma base. No Brasil, provavelmente, a MQB começará a ser utilizada em 2014, na produção do Golf VII e do Audi A3. Com relação ao preço, é difícil afi rmar se ele irá baixar. Esta nova plataforma torna mais barato o custo de produção, mas, se essa economia será repassada ao cliente, só o futuro dirá. O valor de venda de um carro não considera apenas quanto ele custa e a margem de lucro da montadora. Ele leva em conta também quanto o consumidor está disposto a pagar por um carro daquela categoria, o preço dos concorrentes, a capacidade produtiva e a demanda que será gerada, entre outros fatores.

Genesis é igual ao Cadenza?

Na seção Motor News da edição 349, há uma notícia sobre a chegada do novo Hyundai Genesis ao Brasil. Esse carro nada mais é do que o modelo Cadenza, da também coreana Kia. Ambos têm motores V6 de 290 cv, e a diferença está apenas na cilindrada: um é 3.5 e o outro é 3.8. Possuo um Cadenza e digo que o único ponto em que o Genesis causa inveja é naquela central multimídia.

@Sergio Moreira

Na verdade, há uma confusão na sua afirmação. Na linha Hyundai, o correspondente ao Kia Cadenza é o Azera, mostrado na edição 348. Eles compartilham a mesma plataforma, mas o modelo da Hyundai tem motor menor. Já o Genesis, citado no Motor News e posteriormente tema de uma reportagem de capa da edição 350, é um veículo superior, tanto na base mecânica quanto nos itens de conforto e tecnologia.

Cowboys do asfalto

O câmbio automatizado realmente era o que faltava para o Volkswagen CrossFox. Ele, como todos os demais aventureiros urbanos, precisa oferecer o máximo de conforto no trânsito pesado da cidade. Pena seu porta-malas ser menor do que o do concorrente Sandero. Caso contrário, seria uma lavada, apesar do preço maior.

@Ailton Cruz

Ailton, o porta-malas de 260 litros do VW realmente é inferior ao do Renault Sandero, com 320 litros. Mas o bagageiro do CrossFox pode chegar a 350 litros. Basta usar a regulagem longitudinal do banco traseiro, colocando o assento para a frente. Mas, nesse caso, perde-se espaço para as pernas. Em espaço, não tem jeito, o modelo da Renault oferece mais.

Em defesa do Impreza

Sou proprietário de Impreza 2.0 automático 2010 mostrado na seção Carro Usado da edição 349. É um excelente carro! Concordo com tudo o que foi escrito na reportagem, exceto com o valor do seguro. É preciso cotar com várias seguradoras, pois, sendo um carro pouco conhecido, as seguradoras tendem a cotar um valor muito alto.

@ Eduardo Castello Branco

Eduardo, obrigado pelos elogios. Com relação ao seguro, MOTOR SHOW tem como praxe cotar o seguro sempre com a mesma corretora e com a mesma seguradora, para dois tipos de perfil: o do melhor cliente e o do pior cliente, considerando o risco. Dessa forma, os preços das apólices de dois modelos diferentes podem ser comparados entre si. Esse valor, na verdade, é uma referência, mas, claro, cada consumidor terá um valor diferenciado, que, depende, inclusive, do seu relacionamento com a empresa de seguros.

Optima, o híbrido coreano

Gostei bastante do modelo da Kia mostrado na edição 349, na reportagem intitulada “O mais elétrico dos híbridos”. A opção de deixar desacoplar o motor quando não está sendo usado foi uma grande sacada dos técnicos da marca.

@Natanael Andrade

O selo MOTOR SHOW de emissão de CO2

A emissão de CO2 (dióxido de carbono) dos veículos avaliados por MOTOR SHOW a partir da edição de maio de 2012 passou a ser calculada com base no consumo real dos carros (leia mais sobre como ela é calculada abaixo) e nos dados sobre nosso combustível. Quanto maior o consumo, maior a emissão do gás, que é um dos principais responsáveis pelo aquecimento global. A cor do selo mostrado varia conforme as emissões de CO2 do veículo (em g/km), como mostra a tabela abaixo (“reajustada” em maio de 2012 para o consumo real). Se a marca não divulga o consumo, ganha, como “punição”, o selo vermelho.

ETANOL: CO2 = ZERO

Nos carros flex, usar etanol é benéfico para o meio ambiente. Além de a emissão de CO2 do motor ser mais baixa, ela é reabsorvida pelo cultivo da cana (e por isso a consideramos zero). Segundo estudos da Embrapa, se considerarmos todo o processo produtivo dos combustíveis, o etanol reduz em 73% as emissões de CO2 na comparação com o uso da gasolina.

O CONSUMO REAL

Em nossas fichas técnicas, mostramos dois dados de consumo. O primeiro é laboratorial e segue a norma NBR 7024. No segundo, o consumo real, aplicamos os redutores usados pelo Inmetro no Programa de Etiquetagem Veicular, que refletem melhor a realidade de gastos no uso cotidiano.

Perguntas e sugestões devem ser enviadas para:

Redação MOTOR SHOW Rua William Speers, 1.088, sala 31, Lapa – São Paulo (SP) – CEP 05067-900 Fax (11) 3618-4324.

E-mail: leitor@motorshow.com.br

Todas as cartas e e-mails devem conter nome completo, endereço e/ou telefone para contato.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool
+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas
+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial
+ Os 20 carros 1.0 mais econômicos do mercado brasileiro
+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar



COMPARTILHAR
Notícia anteriorConforto acessível
Próxima notíciaAgora no rumo certo