Crime sem castigo

Tirar racha, além de extremamente perigoso, é ilegal e imoral. Nós não recomendamos. A não ser que você esteja em um game como esse Need For Speed No Limits, mais um da franquia de corridas mais famosa do mundo. Como sempre, há uma historinha por trás: você é um novato em uma cidade cheia de gangues de racha –e precisa correr para ganhar fama, dinheiro e poder comprar novos carros. Além dos adversários fora-da-lei, porém, em muitas das corridas a polícia aparece para atrapalhar a festa. É bom conseguir fugir dela.


A polícia não dá moleza. À esquerda: nas largadas é preciso dosar o acelerador; a oficina permite mexer no carro; e se bater demais, o carro acaba destruído

O controle do carro pode ser feito tocando nos cantos da tela (padrão, mais recomendado), inclinando o celular ou usando um volante virtual. A aventura começa com um Ford Fiesta ST, um esportivinho divertido, e logo dá para comprar um Subaru BRZ. Depois, conforme se vai evoluindo, dá para chegar em Ferrari, Porsche, McLaren…Os carros, como de costume, podem ser incrementados com alterações mecânicas, que melhoram a performance, e visuais, mas para fazê-las não basta ganhar algumas provas. A evolução é lenta e difícil. A novidade é que há também um mercado negro de peças.

Durante as corridas, o carro vai sofrendo danos, e é preciso gastar dinheiro para arrumá-lo. Adversários e polícia não hesitam em te jogar para fora da pista, e se bater demais o carro pode acabar destruído no meio da disputa. Quanto mais ousada sua direção, melhor: tirar finas e dar saltos, por exemplo, aumentam a nitroglicerina, muito útil na hora de ultrapassar. O game ocupa cerca de 600 MB de memória e é gratuito. Está disponível para smartphones com sistemas Android e iOS. Há opção de compras no app para apressar a evolução, mas o mais legal é aperfeiçoar a direção e ganhar fama por conta própria. Só não deixa a polícia te pegar, porque aí a brincadeira acaba.

Veja também

+ A biblioteca básica do motociclista cool

+ Tomografia revela que múmias egípcias não são humanas

+ Homem compra Lamborghini após fraude em auxílio emergencial

+ Restaurar um carro: quanto custa e quanto ele pode valorizar